paula fernandes Uma bela tarde com a bela Paula Fernandes

Podem ficar com inveja. Como ninguém é de ferro e repórter também é gente, aceitei correndo a convocação que me foi feita pela revista "Brasileiros", onde também trabalho, para participar de uma entrevista com Paula Fernandes, a bela mineirinha que mais vende discos no Brasil.

Ainda ontem tinha acabado de fazer um pedido aos leitores para que contassem alguma história boa aqui no blog, que anda meio baixo astral ultimamente, na esteira do noticiário catastrófico dominante na grande imprensa.

Passar algumas horas na companhia desta moça na tarde de quarta-feira, no estúdio do grande fotógrafo Márcio Scavone, na Vila Mariana, me fez um bem danado.

Ao encontrá-la se preparando para dar início à sessão de fotos que duraria três horas, lembrei da primeira vez que a vi num palco, no Ginásio do Ibirapuera, em 2010, durante o show beneficente "Emoções Sertanejas", apresentado por Roberto Carlos, em comemoração aos seus 50 anos de carreira.

Assim como eu, muita gente nunca a tinha visto antes, e ficou encantada quando viu aquela figura brejeira de cintura fina e longos cabelos cacheados, cruzando as belas pernas e ajeitando o violão no colo para cantar ao lado do sanfoneiro Dominguinhos.

"Quem é essa?", perguntaram-se as pessoas ao meu lado, mais impressionadas ainda quando Paula soltou sua voz firme e ao mesmo tempo meiga.

Criada na roça em Sete Lagoas, Minas Gerais, Paula já estava na estrada há tempos _ começou a cantar com 8 anos e gravou seu primeiro disco com 10 _ e tinha rodado o país se apresentando em rádios, rodeios e circos, havia gravado muitos discos, mas seu rosto bonito ainda era uma novidade para grande parte da plateia que lotou o ginásio.

Quem mais se empolgou com ela foi o próprio Roberto Carlos que naquela noite mesmo a convidou para participar do seu show de final de ano na Globo. A partir daí, a sua vida deu uma cambalhota e ela virou uma estrela.

Dois anos depois, Paula Fernandes apresenta em média 20 shows por mes no comando de uma trupe de 40 funcionários que rodam o país levando uma carreta com duas toneladas de equipamentos, um grande circo que é montado e desmontado todos os dias. Neste período. ela já vendeu mais de 3 milhões de discos.

A história completa da caminhada de Paula Fernandes de Souza, 28 anos, o maior fenômeno musical brasileiro dos últimos anos, será contada pela equipe de "Brasileiros" (Fernanda Cirenza, Alex Solnik, Nirlando Beirão e eu, com fotos de Márcio Scavone) na edição de janeiro.

Com corpo e pose de modelo, 1,65 de altura e 51 quilos, Paula é ligeira ao fazer as trocas de roupas. Profissional ao extremo, pede sugestões ao fotógrafo, ouve os assistentes, tem toda paciência do mundo para o resultado ficar bom. Sem toques de estrela, consegue ser mais bonita pessoalmente do que na televisão.

"Essa cinturinha fina não é fotoshop", brinca Scavone, quando Paula vai conferir as fotos no monitor. Tem umas dez pessoas trabalhando na operação, mas tudo flui naturalmente, como se tivesse sido longamente ensaiado.

Cinco da tarde, hora marcada para a entrevista, gravadores ligados, Paula começa a contar sua vida de altos e baixos até chegar ao topo, com uma simplicidade comovente. Parece estar falando de outra pessoa, sem criticar ninguém, sem se queixar de nada, nem da dificuldade para encontrar o namorado, o dentista Henrique do Valle, que mora em Brasília.

Paula ainda mora com a mãe, dona Dulce, e um irmão, Nilmar, que cuidam da sua empresa, numa chácara nos arredores de Belo Horizonte. Quando lhe pergunto no final o que quer ser na vida quando crescer, ela ri gostoso, e responde na lata. "Quero ser igual a minha mãe".

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes
41 Comentários

"Uma bela tarde com a bela Paula Fernandes"

6 de December de 2012 às 10:56 - Postado por rkotscho

* preenchimento obrigatório



Digite o texto da imagem ao lado: *

Política de moderação de comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Comentários
  • leticia laumann
    - 15 de janeiro de 2013 - 20:18

    Adorei o modo delicado e respeitador ,de quando vocês falam da bela paula Fernandes!Ela é o máximo mesmo,sem exagero .Parabéns ,a toda equipe da revista.

    Responder
  • Raissa
    - 17 de dezembro de 2012 - 22:21

    A PAULA É UMA CANTORA MARAVILHOSA E TALENTOSA, NAO É PRODUZIDA PELA MIDIA PQ PASSOU 20 ANOS TENTANDO SER RECONHECIDA E FINALMENTE COM GARRA, DIGNIDADE E PURO TALENTO CONSEGUIU........É UMA DAS MAIORES CANTORAS DO BRASIL ATUALMENTE E FAZ POR MERECER, É OBVIO Q TEM QUEM NAO GOSTE MAIS UMA COISA É FATO NAO SE PODE NEGAR, ELA ESBANJA TALENTO E BELEZA, TALENTO ESSE Q SUPERA MUITOS "CANTORES" Q FAZEM "MUSICA" TIPO "TCHU, TCHA", AS PESSOAS APLAUDEM E DEPOIS VEM AKI FALAR Q ELA NAO CANTA BEM E Q A SUA MUSICA É RUIM? PELO AMOR DE DEUS AO MENOS A MUSICAS DELA TEM LETRA, MELODIA, E TRANSMITE EMOÇOES A MILHARES DE PESSOAS, PARABENS PAULA FERNANDES.

    Responder
  • Robson de Oliveira
    - 8 de dezembro de 2012 - 12:14

    Everaldo, nós não nos conhecemos no baláio. Nós nos reencontramos. Talvez, de outras existências onde você era o direitista e eu o esquerdista. O fato, é que eu não me coloco em nenhum desses lados. Como eu disse; A terra é redonda (fato também confirmado por Lula numa certa ocasião), então, ela também não pode ter lado. Essa Lara Fabian, é uma de minhas "deusas"!!! E já que faz tempo que não posto um "videosinho" por aqui. Agradeceria o Ricardo se pudesse postar esse dessa diva. https://www.youtube.com/watch?v=tfTqWCdI6kE&feature=g-hist

    Responder
  • Victor Hugo
    - 8 de dezembro de 2012 - 10:25

    Edurardo 16h11, Michel Telló é sucesso até entre os esquimós de Plutão !!! Isso não me parece bom sinal, mas respeito seu gosto musical e não tenho a pretensão de mudá-lo. Já nosso Airton 14h06 continua revoltado com o fato de haver pessoas que pensam diferente dele. Eu mereço !!!! ///// Everaldo, o Robson de Oliveira tem dupla personalidade ou é bicordiano, ou seja, tem dois corações: um que ama os bem-te-vis, tucanos, americanos e o Alckmin e outro que odeia o PT, Lula, José Dirceu, José Genoino e o Victor Hugo. Também gosto do Robson, Dum, Johnny e do Luiz Carlos Velho, que idolatra Roberto Jefferson e não tem medo de declarar a idolatria. Abração a todos do Balaio.

    Responder
  • Maria Fulô
    - 7 de dezembro de 2012 - 21:57

    Rezo para que esse tal de Sertanejo Universitário se forme logo e vá estagiar no Alaska... Ô coisa ruim!

    Responder
  • everaldo
    - 7 de dezembro de 2012 - 21:20

    Robson de Oliveira...que junto com o Ênio, a Aliz e a Norminha, são umas das pessoas mais lindas que tive a alegria de conhecer por causa da existência deste Balaio, do velho Balaio de outro portal, cujos arquivos deveriam ser publicados pelo Kotscho, com uma aula, de como mostrar àqueles que usam a internet como forma de se comunicar, a maneira de fazê-lo com alma. O velho Balaio, foi um dos momentos mais lindos da internet, desde a sua invenção. Houveram pôstes que chegaram a ter mais 1200 comentários, era uma "feira de mangaio", mas era lúdico, a ponto de nos deixar com saudades.Até o p..ra do Jaciron, aquele vagabundo, ficou em nossas lembranças. Me apaixonei por este "féla da mãe" deste Robson, por este paradoxo acoturnado, inesplicável direitão assumido ( já dediquei muitas madrugadas tentando entender, como um sujeito com a sua sensibilidade pode defender a direita), numa madrugada em que fiz um comentário petralha mal feito e êle me deu, poeticamente, com classe, a maior surra, a maior descascada, que já levei por ter feito um comentário, em qualquer blog. Hoje aí em baixo ele me dá outra. Como resposta, quero lhe dizer: -Querido amigo...para seu governo, não discrimino ideologicamente as reais manifestações artísticas primeiromundistas, tanto isto é verdade que, quando me vem a vontade de chorar, de reverenciar a beleza, de contemplar o cristo que se esconde dentro de cada ser humano, seja ele de esquerda ou direita, entre outros, vejo estes dois vídeos: https://www.youtube.com/watch?v=x1i7pevupAM https://www.youtube.com/watch?v=N-roGMGyFu0 ...ô Vítor Hugo !!! O que qui a gente faz com este cara, heim???

    Responder
  • divaldo
    - 7 de dezembro de 2012 - 20:43

    A primeira vez quer ru vi a Paula Fernandes foi no youtube e logo de cara me identifiquei com ela. Engraçado, pela internet eu achei que ela fosse dequele tipo de mulher alta mas pelo que disse ela é baixinha mas não deixa de ser um mulherão na acepção da palavra. A voz é uma delicia e suas músicas toca o coração de um cara sensível como eu. Musica para mim é música seja rock, samba, seja até musica alemã do tipo rancheira que me agrada. Agora não me fale de rap, eita coisinha horrivel pois não tem musica, só declamação e enche o saco, do mesmo modo o tal de fanck, mas moda é moda e a mim não agrada, tem seu público. Eu confesso a voces que um dia acessei o blog do Nassif e havia uma indicação de musica russa e passei a ouvir e até que gostei e passei a aprender o russo inline e estou me dando bem, mas cá entre nós a mulherada russa é de uma beleza até imoral, sei lá esta é minha opinião, tem gente que não gosta de mulheres mas eu spo fanático, ainda mais belas como elas. Mas voltando a Paula, uma beleza genuinamente nacional a considero um pão de mel um docinho e sempre a ouço pelo Yuotube. Outra coisa que é meu sonho é um dia quando for aos EUA possa ver e ouvir pelas emissoras locais e mesmo na TV a Paula Fernades com um sucesso e a moçada de lá curtindo-a como curtem a Katy Parry, a Nelly Furtado, a Beyoncé, a kesha e outrora a Carmem Miranda entre outras. Mas acho que isto é uma utopia pois cada país tem a sua musica preferida e só os EUA e Inglaterra tem suas musicas tocadas no mundo inteiro mas é tudo por causa da necessidade do brasileiro aprender o ingles e outros cidadãos de outros países também. porisso eu acho que ao lado da necessidade que não poderia existir, acompanha em seu bojo a necessidade de ouvir musicas de lá; é o imperialismo em forma de música dominando um povo. Mas voltando a Paula Fernandes daqui vou direto para o Youtube para curtir a sua belezura, é imperdível e já estou saudoso dela e das suas musicas. Até mais.

    Responder
  • nona fernandes
    - 7 de dezembro de 2012 - 20:38

    Acho muito interessante essa divergência de gostos.O ideal seria se todos nós estivéssemos em uma mesa de bar, ou melhor, de um boteco a la carioca, tomando todas as biritas, de preferência a minha cuba libre a la Havana de Fidel. Digo tomando todas as biritas, só para animar a festa, mas na verdade verdadeira, no máximo que chego é a uma terceira pequena dose de martini, uisque ou cuba libre. Mesmo se eu não ingerir nada que contenha álcool, fico alegre com esse tantão de gente "cabeça feita", canto e danço a depender da música. Aliás, conversar nesse estilo sempre foi um dos meus maiores prazeres. Sou fascinada por gente de ideias diferentes, e por conversar muito.Já cheguei a ficar rouca só conversando nesse tipo de ambiente.

    Responder
  • Robson de Oliveira
    - 7 de dezembro de 2012 - 17:10

    Boa tarde Ricardo! Vejo pelos comentários o lado crítico que cada um mantém. É certo que esse post veio amainar os lados mais belicosos, embora ainda conseguem manter politizações até nesses assuntos. Mas, como sempre, dá gosto de ler os comentários do Enio. Mesmo com apenas um único dedo, conseguiu se expressar melhor que eu com os 10. A música assim como os perfumes, é algo bastante íntimo de cada um. Não cabe aqui ostentar ufanismos descabidos. Obrigatoriedades em aceitar ou apreciar somente os cantos da terra. A terra é a TERRA o planeta inteiro. Existe música em tudo. Em cada canto do nosso mundo, instrumentos se fazem "sentir" através da audição. Não é porque seja de um país que não gostemos que vamos erguer mais bandeiras de guerra. Eu particularmente, gosto de vários gêneros, detesto outros. Não gosto de samba por exemplo; Isso me torna menos brasileiro? Adoro Rock, isso me torna inglês ou americano? Gosto de algumas clássicas, detesto outras. Algumas óperas me atraem, outras nem posso ouvir. Depende do nosso estado de espírito no momento. Desde pequeno, sempre ouvia o que passava nas FMs de São Paulo. Meus pais não ouviam AMs. Fiquei com esse gosto então. Se é ou não é bom gosto, quem tem a autoridade pra definir? Melhor que não ter gosto nenhum. Sendo assim, na música, eu também não tenho lado. Não gosto de sertaneja, nunca gostei. Mas quando surgiu esse tal sertanejo "fabricado", passei a gostar. Qual o problema.? Acho que a única coisa...digo COISA mesmo, que não suporto, são aquelas músicas eletrônicas. Aqueles carros que passam com aquele TUM TUM TUM TUM TUM...dá vontade de mandar uma salva de pedras. Mas por graça do universo, geralmente eles PASSAM e quando se encontram a uns quilômetros depois, o som desaparece. Afinal, o Zé é Pai!!!! Grande abraço! Robson de Oliveira

    Responder
  • nona fernandes
    - 7 de dezembro de 2012 - 17:05

    Gente, não chegaremos a lugar algum, se ficarmos discutindo quem tem preconceito com o que, em relação aos gostos musicais. Acho que música deve ser mais ou menos igual a uma cor. Ou você gosta, ou não, e pronto. Um pouquinho diferente, porque gostar de uma cor não cabe argumentação,mas com a música cabe. Ainda assim, não vejo preconceito no fato de você argumentar sobre o seu gosto. Eu disse, gosto da MPB, porque ela nos leva a refletir, e talvez encontrarmos o nosso nirvana. Outra pessoa gosta de Paula Fernandes, porque ela lhe leva ao "encontro" do seu amor, ou a morrer de saudades do "filho que ainda não veio". E daí? Onde está o preconceito? Esta mesma pessoa (ou não) como diria o mano Caetano, odeia ter que refletir sobre a vida.Isso é preconceito? Eu odeio os estilos sertanejos, pagodes e axé. Se eu tivesse que participar de um julgamento para escolher qual o pior, certamente eu não saberia decidir, pois sinceramente eu não sei. Enfim, o certo é que cada qual fique com o seu cada qual e sejamos felizes para o resto da vida.

    Responder
  • PAULO FIGUEIRA
    - 7 de dezembro de 2012 - 16:07

    Quando é que esse pessoal do sertanejo "universitário" vai se formar?

    Responder
  • Cleudecir PSOL
    - 7 de dezembro de 2012 - 15:15

    Infelizmente ela tem um problema gravíssimo: É torcedora do Atlético Mineiro, ou se preferirem Patético Mineiro. Se não fosse isto seria perfeita. e Victor Hugo, seja mais eclético, eu também prefiro a turma que você citou, mas pelo menos reconheça, a voz dela é sim muito bonita e afinada. O estilo de música que ela canta, Sertanejo Universitário (Mais uma PRAGA SONORA que temos de aguentar) realmente deixa a desejar e não faz jus a seu talento vocal de uma rara contralto.

    Responder
  • nona fernandes
    - 7 de dezembro de 2012 - 15:14

    Para mim, romantismo na música, ou em qualquer outro lugar e situação, é pura bobagem. A delícia da MPB, é que ela é serena, quase romântica, pero no mucho, e antes de tudo, leva a gente a pensar, a olhar em torno do planeta, sentir onde estamos, para que viemos ao mundo e para onde iremos; e o melhor, nos leva a crescer como pessoas. Enfim, eu sou radical quanto ao gosto musical. Só gosto de MPB, viola caipira, e um pouco de música clássica. Meu amores da MPB são, o the best, Francisco Buarque de Holanda, a minha divina Elis Regina (a melhor de todas), Vinícius de Moraes, Tom Jobim,Toquinho, Djavan, Milton Nascimento, João Gilberto, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Maria Betânia, Geraldo Vandré, Geraldo Azevedo, Zé Ramalho, Renato Teixeira, Luiz Gonzaga, Almir Sáter, Pereira da Viola, Mercedes Soza, Elomar Figueira, (meu vizinho) Cássia Eler. Perdoem-me os que não foram citados, mas eles existem. Acreditem se quiserem, mas eu ouço esses deuses da música quase todos os dias. Ganho todas as energias positivas com deles. Acho que sem eles a minha vida não seria tão rica e maravilhosa como tem sido, e vai continuar sendo. Agora estou ouvindo Vinícius de Moraes, que está cantando "Eu não ando só/Só ando em boa companhia/Com meu violão/Minha paixão/Minha alegria". Está entrando Chico Buarque com "Funeral de um Lavrador "É uma cova grande para a tua carne pouca/Mas a terra dada/Não se abre a boca". Música para mim, não é uma questão de diversão, e sim, uma forma de que eu possa chegar ao meu nirvana.

    Responder
  • Luis Dantas Motta
    - 7 de dezembro de 2012 - 14:58

    Um docinho de coco. Quem não gostar, não a ouça. Troque de rádio...

    Responder
  • ROGERIO DELAMARE
    - 7 de dezembro de 2012 - 14:53

    Se esta é uma boa cantora tenho péssimo gosto musical. És somente uma cabrita a berrar, porém, mais enfeitadinha.

    Responder
  • Airton
    - 7 de dezembro de 2012 - 14:36

    José Eduardo, quantas vezes você já deve rotulado pessoas que chegaram ao sucesso com o chavão "produto de mídia" sem o menor pudor, sem a menor análise, sem nem mesmo conhecer a trajetória de quem você está falando. Mas isso não vem ao caso. "produto de mídia" por "produto de mídia" por que será que as "zilhões dividido por quatro" de cantoras que, com absoluta certeza, tiveram muito mais chances, muito menos barreiras a vencer, muito mais apoio(inclusive da toda poderosa rede Gbo), muito mais apoio financeiro, não vingaram. Nenhuma! "Umazinha" sequer? Será que elas não querem trabalhar? Será que elas não querem cantar em barzinhos por R$ 40,00 ou um sanduiche e um copo de água ao fim da apresentação? Será que elas não querem sair das respectivas zonas de conforto? Será que elas estão com medo de receber as mesmas críticas que você usou contra a Paula Fernandes? Ou será que o talento das suas zilhões de cantoras não é tão grande quanto o seu julgamento faz parecer?

    Responder
  • Airton
    - 7 de dezembro de 2012 - 14:06

    Victor Hugo, que gosto pra coisa velha! O cara vem posar de erudito e cita Bethoven e Cia. Em seguida desfila com "um monte de populares". Deve ser piada.

    Responder
  • Enio Barroso Filho
    - 7 de dezembro de 2012 - 13:36

    Caro Kotscho Tanto a beleza humana quanto a música são de acordo com os olhos e os ouvidos de quem vê ou escuta. Depende da ocasião. As mulheres que são belas para alguns podem não ser para outros e em relação a música é a mesma coisa. Existem pessoas belíssimas fisicamente mas quando falam ( ou cantam ) são horrendas assim como existem músicas horrorosas que agradam a certos ouvidos. EU GOSTO DE TODA MÚSICA QUE ME TOCA NAQUELA OCASIÃO, não faço distinção. Assim como GOSTO DE TODA MULHER QUE ME TOCA NAQUELA OCASIÃO e também não faço distinção !!! É assim que são as coisas, tudo vai de acordo com o freguês. Só não gosto de pessoas "industrializadas" pela mídia e de músicas produzidas pela mesma mídia e pela tal INDÚSTRIA fonográfica. Tais mulheres e tais músicas são feitas para consumo e portanto são umas DROGAS !!! Veja ( ou ouça ) por exemplo o caso do "Funk carioca" e suas respectivas "funkeiras". Para mim tanto as drogas industrializadas como o sertanejo universitário ou o pré-escolar são drogas lícitas mas o Funk Carioca é devastador porque nos chega de graça !!! Tu seria capaz de imaginar um mundo cuja trilha "sonora" fosse o Funk Carioca ??? EU TENHO MEDO, confesso. O viciado em Funk Carioca consume a tal droga dentro dos seus carros em altíssimo volume. O perigo é que isso vaza atingindo inocentes !!! As drogas mais pesadas podem ser inaladas, injetadas ou engolidas. O FUNK NÃO !!! Vem pelo ar, entra nos nossos ouvidos sem chance de defesa. Todos se horrorizam com o poder devastador do crack mas ninguém se ateve ainda aos efeitos avassaladores do Funk Carioca. O "crackeiro" pode ainda ter esperanças mas para o desgraçado do "funkeiro" não há salvação !!! O Funk Carioca se misturado com a "musica" eletrônica então...Nem se fale !!! MATA SEM PIEDADE qualquer possibilidade de evolução humana. Basta uma audição e é o fim. Mas enfim... Voltando para a Paula Fernandes... ela pelo menos em relação às demais cantoras é bem diferente: PREFERE NAMORAR HOMENS !!!

    Responder
  • Elaine
    - 7 de dezembro de 2012 - 12:14

    Ah! Kotscho Eu costumo dizer que Zezé Di Camargo é meu Chico Buarque! Não tenho vergonha disso. Chico escutei, é gente boa, respeito, mas não me faz chorar de emoção, não mexe profundamente com meus sentimentos! Está mais que na hora de terminar com certos preconceitos, separação, etc! Um abraço!

    Responder
  • Elaine
    - 7 de dezembro de 2012 - 12:09

    Oi Kotscho! Legal entrar aqui e ver você encantado com a Paula Fernandes. Afinal, bom o que vou falar pode não ser uma regra, mas a maioria dos blogs/sites de esquerda, centro-esquerda, ou de pessoas com idéias nessa direção, querem distância da música sertaneja - a não ser que seja de raíz, puramente de raíz. Fico feliz em ver aqui algo diferente. Já ouvi muitos outros estilos musicais, mas nenhum toca tanto minha alma, coração quanto a música sertaneja, seja ela misturada, de raíz ou não, romântica, com influências diversas, atual ou antiga. Já sofri preconceito por conta disso e de muitas outras coisas. Está melhorando, mas ainda existe. Como todo estilo, tem seus altos e baixos, bons e nem tão bons, etc. Respeito a MPB dita tradicional, bacana e tal, mas não me emociona. Críticos, jornalistas, certos artistas desses tantos outros estilos contribuiram para propagar o preconceito contra a música sertaneja/caipira. Triste isso. A gente entra, por exemplo, no blog do Nassif e vê indicações de quase todos os estilos/ artistas, vídeos, etc, mas do sertanejo, só de raíz e Raramente!! Não entendo... Obrigada, abraço forte e você é diferente dos outros em vários aspectos! Continue! Ah!Recentemente assisti, de novo, o documentário "Entreatos" em um canal de TV, fiquei com Saudade daquela época, difícil engolir as circunstâncias atuais! Fique bem! inté!! Foi com "Jeito de Mato" que conheci Paula Fernandes, já faz um bom tempo e é a mais linda dela, na minha modesta opinião. Minha essência é caipira e eu também adoro outros estilos populares.

    Responder
1 2 3