agencia estado Estão rindo de quê? Só pode ser da nossa cara

Na primeira reunião com os líderes dos partidos, em que foi adiada a votação do Orçamento para depois do Carnaval, na terça-feira, os novos presidentes do Senado, Renan Calheiros, e da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves, ambos do PMDB, aparecem à cabeceira da grande mesa felizes da vida, dando risada, mas não se sabe os motivos da alegria.

Estão rindo de quê? Só pode ser da nossa cara, os eleitores, que mandaram para o Senado e para a Câmara os parlamentares que deram a vitória a Renan e Alves. Parece que, mais cedo do que se pensava, os novos manda-chuvas estão costeando o perigoso terreno da galhofa.

Quase com as mesmas palavras, os dois saíram da reunião responsabilizando a oposição pelo adiamento, achando a coisa mais normal do mundo deixar para depois do Carnaval a decisão sobre tema de tamanha importância para o País, que já deveria ter sido votado no ano passado

"A saída é nós votarmos o Orçamento depois do Carnaval. O acordo era necessário agora, precisamos de consenso", justificou o presidente do Senado.

"A oposição ficou contra. Uma matéria dessa dimensão tem que ser votada por consenso", repetiu o presidente da Câmara.

Esqueceram-se ambos de duas coisas: ainda havia três dias úteis na semana antes do Carnaval para votar a matéria e que a fragilizada oposição não tem votos para derrubar a proposta orçamentária do governo.

Essa história de consenso é balela. A oposição alegou que quer votar antes os 3.000 vetos presidenciais, como se isso fosse possível, e o País possa ficar por tempo indeterminado sem votar o Orçamento da União.

Quem resolveu deixar tudo para depois do Carnaval foi a própria base aliada que está insatisfeita com a presidente Dilma, por não liberar recursos para as emendas parlamentares.

Renan e Alves estrearam no cargo querendo dar uma demonstração de autonomia do Legislativo, como prometeram em suas campanhas.

O Palácio do Planalto não passou recibo pela derrota, confiando na promessa de Renan Calheiros de votar o Orçamento logo após o Carnaval. Esse primeiro sinal dado pela dupla apenas confirma o que escrevi no Balaio ontem: com os novos presidentes da Câmara e do Senado, o governo Dilma vai ter bem mais trabalho no Congresso.

Só me resta desejar a todos um bom Carnaval, posto que para os nobres parlamentares a folia já começou.

+ Leia mais sobre a vida de repórter de Ricardo Kotscho no R7 Livros 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes
20 Comentários

"Estão rindo de quê? Só pode ser da nossa cara"

6 de February de 2013 às 12:56 - Postado por rkotscho

* preenchimento obrigatório



Digite o texto da imagem ao lado: *

Política de moderação de comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Comentários
  • Netho
    - 12 de fevereiro de 2013 - 23:23

    O PMDB já fez Dilma ajoelhar-se. Agora esperam que reze! E a presidenta já começou a dedilhar o rosário. As emendas vão sair, rápidas!

    Responder
  • Edison da Silva Jardim Filho
    - 12 de fevereiro de 2013 - 23:01

    Esta sua postagem merece um reparo em nome da verdade. Quem colocou os Srs. Renan Calheiros e Henrique Alves nos lugares em que se encontram, além dos respectivos eleitorados ignorantes, foi a sem-vergonhice do PT!

    Responder
  • nicanor amaro da silva neto
    - 11 de fevereiro de 2013 - 13:01

    Permita-me caro Kotscho acrescentar que "essa folia" vem desde 1500. A folia começou lá com a famosa carta enviada ao "chefe". Hoje, essa folia tem até o beneplácito dos tucanos que ajudaram na dita eleição.

    Responder
  • Brasil de Abreu
    - 8 de fevereiro de 2013 - 22:01

    Só podem estar rindo do povo que paga com seu suor (impostos) essas ''coisas''. Pior, a maioria deles o elegeu como ''presidente''...Isto mostra que a maioria têm a mesma linha de pensamento, digo, aproveitamento. Por isso, morrem de rir. Mas,...é carnaval...e nada é digno de registro...o Momo só ri como eles...tão ''ético''...como os quinze dias que eles terão de festejos... não fazem falta alguma.

    Responder
  • Brasil de Abreu
    - 8 de fevereiro de 2013 - 11:05

    Ainda temos que ver esses ''eticos'' risos sarcásticos, sabendo que não podemos contar com a maioria dos senadores, os quais elegeram Renan para ''presidí-los''? Só podem estar rindo do povo mesmo, que além de tudo, ainda os pagam para obter esse ''retorno''. Já não somos palhaços, (ofende os profissionais do riso), somos pior que escravos que destinamos nosso suor em prol do próprio sofrimento. Um absurdo essa tolerância.

    Responder
  • sergio m pinto
    - 8 de fevereiro de 2013 - 07:34

    Acho que na verdade estão rindo do pessoal que votou neles.

    Responder
  • sandro villar
    - 7 de fevereiro de 2013 - 23:18

    Caro Ricardo, diante da sua indignação, vale citar a frase lapidar de Eça de Queiroz: "Os políticos e as fraldas devem ser mudados frequentemente e pela mesma razão". Nada contra o Parlamento, tudo contra o custo excessivo do Parlamento pro bolso do contribuinte. Não há Mao Tsé-tung que sempre dure nem Ben Stiller que não se acabe. E chegou o Rei Momo. Sei não, a República corre risco. Te cuida, Dilma! Por falar no monarca, lembro que o Carnaval não é uma festa pagã. É uma festa paga.

    Responder
  • Robson de Oliveira
    - 7 de fevereiro de 2013 - 20:39

    Boa noite Ricardo. Só uma palavra define, na minha opinião, a classe política brasileira. "Promiscuidade". Robson de Oliveira http://ecoblog-blogeco.blogspot.com.br/

    Responder
  • Helena/S.André (SP)
    - 7 de fevereiro de 2013 - 17:08

    São um bando de safados mesmo. O duro é engolir a brusca mudança de posição do deputado Alves em relação à cassação dos condenados na AP 470. Antes de ser eleito presidente da Câmara dizia com toda certeza que a cassação caberia à Camara decidir mas, após um encontro com o BatBarbosa, está dizendo que a Câmara deve acatar a decisão do STF. Eles pensam que somos uns bandos de manés se julgam que vamos acreditar que não houve moeda de troca nessa repentina mudança de posição do Sr. Alves. Estão rasgando a nossa Constituição e querem que aceitemos isso sem reagir. Vamos reagir sim. José Dirceu tem toda a razão. A direita midiática está querendo dar o golpe e acabar com o projeto de governo do PT. O povo vai reagir sim e vamos àS RUAS se for preciso. Não vamos deixar esses manés rirem de nossa cara não.

    Responder
  • mario
    - 7 de fevereiro de 2013 - 15:12

    Estranho kotcho, vc ironizar esta dupla perguntando do que eles estão rindo, pois se não me engano a presidenta Dilma apoiou a dupla.

    Responder
  • Vannelder
    - 7 de fevereiro de 2013 - 14:17

    Contragosto de cachorro é salsicha! O PMDB tem bem mais poder agora no Legislativo - como nunca antes na história deste país - porque o PT deixou. E o recibo vai ser amargo. Começou o leilão para a eleição de 2014. Leva o apoio do PMDB quem der mais. E a nossa querida presidente que se prepare pra esculachar a Ideli, hora sim, hora também, porque o que vai começar de vergonha alheia no Congresso Nacional pro Governo será digno de um espetáculo circense. Essa dupla dinâmica que está à frente do Congresso vai transformar a Dilma em Sugar Spun Sister! Os caras não são amadores, são profissionais altamente gabaritados pra isso.

    Responder
  • J. Leite
    - 7 de fevereiro de 2013 - 11:27

    Estão rindo da cara do povo brasileiro. Eles podem deitar e rolar. Corromper. Ser corrompido que na hora das eleições são sempre os campiões de votos. Para isso existe os bolsafamilia, bolsa escola, bolsa novela. Bolsa para tudo.

    Responder
  • mario
    - 7 de fevereiro de 2013 - 10:59

    Engraçado vc ficar indignado pela risada dos dois, pois foi a propria Dilma que apoiou suas eleições. Isto que é engraçado não é?

    Responder
  • alfredo st
    - 7 de fevereiro de 2013 - 10:58

    LI no blog do Herodoto que o senador Eduardo Suplicy, em quem já votei numa ocasião, declarou ter votado em Renan Calheiros para a presidência do senado. Ele podia, ao menos, se abster, já que solicitou a renúncia de Renan a candidatura, em favor de Pedro Simon. Qual será o motivo que levou Eduardo Suplicy a votar em Renan? A sua atuação como ministro da justiça (um dos oito ou dez) do governo FHC? Ou outros pontos eventualmente potisivos que desconheço no representante de Alagoas? Com essa votação secreta, o senado - famoso pelo empreguismo, pelos fartos gastos e pela pouca produtividade - deu mais passo para se consolidar como uma das maiores vergonhas desta nação. E não adianta nada votar em gente que parece melhor, mais integra. Vestais, ou qe assim parf4ecem, como Eduardo S, Pedro Simon, Sarney e outros nada fazem ou pelo menos não aparentam nada fazer para melhorar a instituição, acabar com regras podres como esse voto secreto, essa manifestação típica de fisiologismo acima do bom caminho para a nação. Uma vergonha para o Brasil, os partidos (PSDB, PT) e para gente como E.Suplicy e outros

    Responder
  • Maria Fulô
    - 7 de fevereiro de 2013 - 10:28

    "Executivo e legislativo, tudo farinha do mesmo saco" Que tal, Maria das 03:18, sermos governados pelo Judiciário? Melhor, com o Joaquinzão Batman como Presidente, sem necessidade de eleições, porque esse povinho aí não sabe mesmo escolher, certo? Parece que você, sem querer, encontrou a solução dos problemas que afligem nossa Imprensa e nossas elites... Congrats!

    Responder
  • Maria
    - 7 de fevereiro de 2013 - 03:18

    Executivo e legislativo, tudo farinha do mesmo saco. Ambos só fazem rir da nossa cara.

    Responder
  • RGS
    - 6 de fevereiro de 2013 - 21:27

    Rindo da cara do Lula, do Dirceu, do governo e aliados -Com certeza ,não é!.A maioria do povo brasileiro,tem estes como representantes e bem os merecem.

    Responder
  • silvinho
    - 6 de fevereiro de 2013 - 20:21

    A Constituição Federal reza que o orçamento deve ser votado até o dia 31 de dezembro, caso contrário os parlamentares não entram de férias. Mas no nosso caso tudo é folia, de quinta categoria.

    Responder
  • Pedro Pedreiro
    - 6 de fevereiro de 2013 - 17:49

    Jornalismo pouco nobre, Sr. Kotscho... É proibido sorrir? Essas são artimanhas dignas da Folha e Veja, que costumeiramente usam fotos "nada a ver" com manchetes "nada a ver" em relação à Lula e Dilma. Vamos critica-los por coisas objetivas, mas ficar usando artifícios menores, francamente... não é o seu estilo.

    Responder
  • divaldo
    - 6 de fevereiro de 2013 - 16:00

    PSDB e PMDB, tudo a ver. Um não nasceu do outro? A turma do PSDB não aceitava ser lá meio esquerda e se separam pois apostaram em ser totalmente direita, isto é, a favor da elite e o PMDB ficou assim como camaleão que seria bem mais fácil e é o que acontece. Para governar sozinho contra os dois é impossível pois de alguma forma o povo é torpedeado com promessas de ambos e porisso eles tem seus eleitores que podem e pesam na balança. Muitos colegas criticam as alianças que o PT é obrigado a fazer com eles por causa da governabilidade e todos sabem que ser só presidente não basta, temos que ser maioria para atender os anseios do povo, a maioria. Quantos projetos de interesse deste povo não são barrados lá na camara e senado por causa de falta de apoio? Para mim ser presidente é como ser um artista de circo que fica equilibrando num cabo de aço e se bobear, cai lá de cima e se esborracha no chão. Além disso, tem que prestar atenção em tudo que o cerca para tomar deliberações, medir bem as consequencias para não desagradar a A ou B. Para a oposição, eles divulgam ao povo que o presidente pode tudo e tem que resolver os problemas, ainda mais sendo alguém da classe média prá pobre que ocupa o cargo. O povo nesta hora fica sendo massa de manobra pois é tanta coisa, tanto palavreado técnico que os confunde a mente e acabam se enrrolando e vai no canto da sereia. Quem por ventura entendeu o que disse o STF sobre o julgamento do tal de mensalão? Apareceram com o tal de dominio do fato e esta foi a tese que usaram para o julgamento que o povão nem entendeu do que se tratava e ficou por isso mesmo. O povo queria é se livrar de cobrança de taxa de inspeção veicular, de cobrança de extorsivos pedágios, de inflação e nada mais. STF? Que é isso? Marca de cigarros? De bebida? Uma nova cerveja? Dominio do Fato? Que fato? Dentro deste contexto, quem quer levar vantagem, tem que ficar como eles, encima do muro e o povo quando vota, vota no escuro e nem sabe o que se sucederá porque eles do PMDB são cara e corôa de uma mesma moeda. Porisso eu entendo as alianças que o Lula e a Dilma precisam fazer, porque para o bem ou para o mal, tem que dar uns tapinhas nas costas e dizer, mesmo a contra-gosto que gosta de tê-los como aliados.

    Responder