Como é a vida... Apenas 15 dias atrás, a presidente Dilma  Rousseff surfava no alto das pesquisas de aprovação popular e Felipão e sua seleção só recebiam críticas e vaias por onde passavam.

Virou tudo neste breve intervalo: bastaram duas convincentes vitórias da seleção (contra França e Japão), para Felipão ser aplaudido e elogiado, com seus jogadores recuperando o apoio da torcida, enquanto Dilma caía nas pesquisas, recolhia notícias ruins na economia e terminava a semana vaiada na abertura da Copa das Confederações, em Brasília.

kotscho Em apenas 15 dias, virada nas vidas de Dilma e Felipão

O que aconteceu? Embora o tema do meu encontro com os leitores na 13ª Feira Nacional do Livro de Ribeirão Preto, no domingo, de onde acabei de chegar, fosse jornalismo e literatura,  este assunto dominou as conversas e debates, com todos procurando respostas para tão violenta guinada nas vidas dos dois personagens que dominaram o noticiário nos últimos dias.

Todos queriam saber o que teria provocado a mudança no humor da população, revelada não apenas nas pesquisas, mas nas manifestações de insatisfação popular que pipocaram por todo o País na semana passada, pulando das redes sociais para as ruas, e atingindo níveis de violência como há muito não se via no nosso País.

Na opinião quase geral, a questão do aumento das tarifas de ônibus foi apenas o pretexto imediato que mobilizou os internautas a extravasar sua insatisfação com os rumos do País, um sentimento difuso, uma espécie de "de saco cheio genérico contra tudo e contra todos", que fica evidente nos comentários cada vez mais agressivos que circulam na grande rede. Os protestos deixaram de ser virtuais para se tornarem reais, sem que um fato grave e determinante fosse registrado neste período.

A economia já vem rateando há algum tempo e as denúncias de corrupção em diferentes latitudes não chegam a constituir uma novidade, mas de uma hora para outra, assim como Felipão conseguiu acertar seu time, parece que a presidente Dilma perdeu o controle do jogo, o que ela contesta, veementemente, em cada pronunciamento. De fato, nada aconteceu que justifique este clima de véspera de fim de mundo que se instalou no País nos últimos dias, com cada qual correndo para um lado e ninguém se entendendo.

Parece que hoje, finalmente, os dois lados vão conversar em São Paulo para evitar a repetição das cenas de vandalismo e de violência policial, mas nunca se sabe o que pode acontecer quando 200 mil pessoas manifestam pela internet sua vontade de participar do ato desta segunda-feira marcado para o Largo da Batata, em Pinheiros.

À primeira vista, trata-se de uma questão municipal e estadual, mas como as manifestações se repetem e se multiplicam por todo o País, pelas mais diferentes razões, chegando hoje a interditar uma importante rodovia em Minas Gerais, em protesto contra a má qualidade do transporte público, claro que isto se reflete também no governo federal, encarregado primeiro de zelar pela manutenção de um clima de ordem e paz no País.

Não dá mais para ninguém, nem qualquer instituição, fingir que não é com ele, como estão fazendo o Congresso Nacional, os principais partidos políticos do País, as centrais sindicais, os lideres religiosos e até os da UNE, que simplesmente sumiram de cena desde que os revoltosos botaram a cara nas ruas. Entre os manifestantes e os policiais, não se viu mediação para evitar a violência.

É exatamente esta falta de interlocução e de representatividade por parte das instituições que pode estar na raiz do problema, quando as pessoas já não sabem para onde canalizar suas demandas e buscar soluções para os males que as afligem.

Ah, até ia me esquecendo de falar da Feira do Livro de Ribeirão, que terminou domingo, e foi de novo uma beleza, com mais de 100 autores e milhares de jovens participando das atividades culturais ao longo de 10 dias. Coisas boas também acontecem no nosso País, mas encontram muitas dificuldades para cavar espaços entre as coisas ruins que rendem manchetes.

 

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes
31 Comentários

"Em apenas 15 dias, virada nas vidas de Dilma e Felipão"

17 de June de 2013 às 11:22 - Postado por rkotscho

* preenchimento obrigatório



Digite o texto da imagem ao lado: *

Política de moderação de comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Comentários
  • J. Leite
    - 18 de junho de 2013 - 13:27

    É bom ver o povão nas ruas mas. Para lutar por esmolas para os trabalhadores?... Não é isso que o trabalhador precisa. O trabalhador precisa de autoestima e. Auto estima só se conquista com independência financeira. É preciso lutar por um salario mínimo suficiente para todos os trabalhadores pagar suas passagens no transporte publico e todos os confortos que a família precisa Tem mil motivos mais importantes para lutar e reivindicar. Na minha opinião o principal é investimento em infraestrutura para o país poder crescer e aumentar o seu PIB e baratear os preços dos nossos produtos. Estes governos chamados de democráticos, além de não investir nada em infraestrutura ainda venderam tudo o que foi construído nos governos Getúlio Vargas e os governos militar. Acredito que o povo demorou demais para acordar.

    Responder
  • RGS(PESQUISADOR)
    - 18 de junho de 2013 - 11:53

    Gostaria de saber, como promover uma manifestação dessas, noutros municípios?. Vitória da Conquista, terceira maior cidade da Bahia, precisa de uma manifestação de tamanho impacto.

    Responder
1 2 3 4 5
Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com