f2214ea41452fee3fe5d1e5b973d5cbb2670 Dia Nacional de Luta fracassa e lembra um filme de época
Em São Paulo, meio-dia, hora marcada para o início do principal ato de protesto organizado para o "Dia Nacional de Luta" pelas centrais sindicais nesta quinta-feira fria e ensolarada na maior cidade do País. Da avenida Paulista, a umas dez quadras de onde moro, vem um alarido que me lembra carro de som, velhas palavras de ordem entoadas pela multidão, que na verdade se resume a umas 2.000 mil pessoas (mais tarde, chegaria a 4.000 mil, segundo a PM). Luta contra quem, para quê?

Se era para ser um contraponto às oceânicas manifestações de junho convocadas pelo facebook, sem líderes nem palanques, o movimento das centrais deu com os burros n´água, como se dizia no tempo em que os sindicatos mobilizavam as massas já nos estertores do regime militar, no final dos anos 1970.

São Paulo não parou, nem qualquer outra grande cidade do País, como havia anunciado o deputado federal Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, boquirroto presidente da Força Sindical. Ao contrário, os congestionamentos foram muito menores do que a média dos dias normais, com ruas desertas de carros e gente como em dias de feriado _ não pela prometida "greve geral", mas pelo simples e bom motivo de que boa parte dos paulistanos preferiu não sair de casa com medo de confusão e de não conseguir voltar.

Ao ver pela televisão as imagens dos sindicalistas marchando em direção à Paulista, cada lado com seu uniforme _ os da CUT, de vermelho; os da Força Sindical de laranja _ carregando suas bandeiras padronizadas e empunhando as mesmas faixas de outras manifestações, dei-me conta de que este protesto de hoje nada tinha a ver com os que inundaram as ruas do País no mês passado, numa cacofonia de vozes, policromia de tipos e multiplicação de mensagens, sem roteiro e sem diretor.

Agora, parecia estar vendo um filme de época, em branco e preto, absolutamente previsível, trazendo de volta antigos discursos e personagens de um tempo que passou.

As máquinas não pararam nas fábricas da maioria das cidades, apesar dos bloqueios montados nos acessos a portos e em 40 rodovias de 14 Estados. Os transportes públicos funcionaram normalmente no Rio, em São Paulo e Brasília. Após a hora do almoço, mesmo em Vitória, Recife, Porto Alegre e Belo Horizonte, onde os transtornos foram maiores, a vida já estava voltando ao normal, enquanto a manifestação da avenida Paulista seguia pacificamente para o centro da cidade. Pelo menos por aqui, não foram registrados atos de violência nem de vandalismo.

A calmaria se deveu também, além da baixa adesão popular ao protesto, a um acordo selado na véspera entre as principais centrais sindicais. A CUT não defenderia a bandeira do plebiscito em defesa da proposta de reforma política da presidente Dilma Rousseff e a Força Sindical deixaria em casa os cartazes de "Fora Dilma", que havia ameaçado levar às ruas.

Logo cedo, ao comandar uma manifestação próxima à ponte do Socorro, na zona sul, e receber os primeiros informes sobre o esvaziamento do protesto, Paulinho, sem dar o braço a torcer, propôs à "assembleia" de sindicalistas formada diante dele uma reunião das centrais nesta sexta-feira para marcar uma greve geral de verdade em todo o País para agosto.

Aplaudido pela plateia, que começou a gritar a palavra de ordem "se a Dilma não ceder, o pau vai comer", o líder da Força Sindical não atacou a presidente, mas aproveitou a oportunidade para pedir ao menos a cabeça do seu ministro da Fazenda, Guido Mantega.

Ao final, foi apenas mais um dia de prejuízos para a já combalida economia nacional, de atropelos para quem quer exercer seu singelo direito de ir e vir, seguir a sua rotina entre a casa e o trabalho e, se possível, tomar uma cervejinha depois do expediente, que ninguém é de ferro.

E tudo isso para quê? Para nada.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

.

 

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes
39 Comentários

"“Dia Nacional de Luta” fracassa e lembra um filme de época"

11 de July de 2013 às 15:30 - Postado por rkotscho

* preenchimento obrigatório



Digite o texto da imagem ao lado: *

Política de moderação de comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Comentários
  • Eduardo
    - 14 de julho de 2013 - 00:05

    kotscho, fique ao lado do povo brasileiro e não dos petistas. Mas tome cuidado, será alvo de críticas. o povo precisa de gente séria que mostre os fatos. E se leio seu texto é pq respeito a sua opinião. Mesmo não concordando com tudo, mas sabedo que é o que vc pensa! Abs

    Responder
  • Eduardo
    - 14 de julho de 2013 - 00:00

    olá. Caro kotscho, acredito que as suas expectativas em relação ao Dia nacional de luta é diferente do dos seus leitores. Vc já viu outras manifestações e esperava algo mais. Eu não vejo e/ou acompanho tais manifestações e achei que cumpriu seu papel e ocorreu em 14 Estados. Mas devemos respeitar a opinião dos outros e não ofender ninguém. Vamos em frente. kotscho, fala do nosso São Paulo F.C!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Abs

    Responder
  • Upc
    - 12 de julho de 2013 - 16:54

    Em respostas as citações do meu nome Apenas para constar, vou a Cuba freqüentemente nos últimos 4 anos Retorno agora dia 11 de agosto e permaneço por 14 dias É um dos meus locais prediletos no Caribe Tenho vários amigos lá e desfruto de Havana, Pinar del Rio, Matanzas, Manzanillo, Puerto Padre e Varadero, local criado pelo governo para os capitalistas e burgueses gastarem seus dólares. É um país muito pobre, péssimo para morar e ficar doente, mas muito organizado e solidário com o seu povo. Muitos cubanos olham os brasileiros como novos imperialistas, devido aomfato da Odebrechet ser a tende empregadora depois da industria do turismo. Felizmente a maior parte da populacao estimula a parceria com o Brasil e deseja uma abertura econômica mais rápida. Quanto a Globo, não assisto a grade da sua programação, portanto não alimento esse ódio visceral pela emissora. Inclusive, acho a programação de péssimo gosto mas não deve ser diferente das concorrentes. Essas atitudes raivosas tem características quixotescas

    Responder
  • Aurélia
    - 12 de julho de 2013 - 14:35

    Irretocável, Kotscho!

    Responder
  • jose marcos
    - 12 de julho de 2013 - 11:25

    Complementando meu comentário anterior: Ricardo, infelizmente você é mais um que a cada dia me decepciona neste país. Um editorial dos jornalões da velha imprensa não seria melhor do que seu texto ultra-reacionário. E com tantas fotos para colocar foi estampar logo esta??? veja alguns exemplo melhores com o seu colega Azenha. É pena, cada vez mais esta nação fica pobre de pessoas que não abrem mão de seus princípios.

    Responder
  • nona fernandes
    - 12 de julho de 2013 - 09:10

    Depois de vilipendiar adoidado o movimento de ontem, no final ainda se pergunta e responde "E tudo isso para que? Para nada. O melhor objetivo de todos, na minha opinião, parece ter sido totalmente alcançado. Fazer com que a mídia golpista devolvesse a quem de direito, um movimento que se iniciou com o Passe Livre, mas que ela (mídia) tentava a todo custo se usurpar dele para forjar um golpe de estado. Existe conquista melhor? E tem mais. Com tantos cartazes interessantes, bem escritos e bem focados, com tantas bandeiras, camisetas e bonés vermelhos, Kotscho escolheu essa foto?

    Responder
  • everaldo
    - 12 de julho de 2013 - 08:33

    ...dotô !!! o senhor não pode estar enganado não ??? -Tô não meu fi, catarata senil...senil. Não gostei nem um pouco da forma como ele pronunciou este segundo senil. Lembra daquela forma como o Brizola pronunciava Brasil, levando a ponta da língua ao céu da boca ? Pois é, foi assim. Por um instante, passou pela minha cabeça, um filme destes 65 anos de vida. Senil ? Eu ? Parece que nasci ontem ? Me lembrei da vez, quando tinha 7 dias de nascido, quando meu pai me elevou acima de seu rosto e eu mijei em sua cara, sempre que falo isto, todos me consideram louco, ou, no mínimo, mentiroso, mas minha mãe sempre estava ali para comprovar que era verdade. Me lembrei dos sábados de manhã, quando íamos para a feira em Itaporanga e antes de chegarmos, já ouvíamos Luiz Gonzaga sendo tocado nos alto-falantes: "Luiz respeita Januário...Luiz respeita Januário...",Veio-me lágrimas agora nos olhos com esta lembrança. Me lembrei de meu velho avô sentado na cabeceira da mesa e me colocava em cima da mesma para comermos, cuzcuz com leite e carne torrada. Me lembrei das novenas que minha velha avó rezava com suas filhas e amigas cantando: "Bendiiito louvado seja...Berndiiito louvado seeeeja..." no oitão da cazinha eu me deliciava ouvindo aquilo. Me lembrei... Me lembrei... Me lembrei... Parece que tudo tinha acontecido ontem...ontem não...agora há pouco!!!. Eu ??? Senil ??? Por pouco eu disse ao coitado do médico: Senil ??? É a pta que o pariu !!! Viu ??? Escrevi estas besteiras Vítor Hugo !!! Porque, me parece, que o velho Kotscho, esta com alguma forma de catarata, ao ver estas manifestações. Ou é a convivência com a maldita TEP ( Tradicional Elite Paulista ) ??? PS. As lembranças que mais me deixaram desconfortado, foi a dos projetos que, por preguiça ou desleixo, adiei ou deixei de realizar, e que, de alguma forma, iriam ajudar outras pessoas. Estas ainda estão me machucando. Bom dia a todos os Balaieiros...e vamú que vamú.

    Responder
  • carlos moura
    - 12 de julho de 2013 - 07:29

    A Classe Pelegada blefa o "pára" isso.

    Responder
  • Carlos Galhardo de Moura
    - 12 de julho de 2013 - 03:25

    Prezado Kotscho, é com um grande pesar que leio hoje este seu post. Confirmei duas vezes para ter certeza que estava no seu blog mesmo. As centrais não convocaram greve geral. O dia 11 foi de convocação de luta, para chamar a atenção sobre realmente "velhos" problemas que até hoje atingem os trabalhadores. Você foi bastante reducionista ao comparar um movimento legítimo e ordeiro, com as manifestações de junho que descambaram para atitudes facistas, depredação e desordem. Pode ter certeza que a maioria silenciosa do povo brasileiro e os trabalhadores em geral não aprovaram aquilo. Quanto a minha surpresa, deixa para lá... Depois de 53 anos já estou acostumado com essas coisas. Já falei para meu netinho que se alguém disser que vaca voa, não desacredite de imediato, saia para a rua para conferir...

    Responder
  • Enio Barroso Filho
    - 12 de julho de 2013 - 03:00

    Vannelder Pelo que tu escreve concluo que fostes criado e doutrinado para ser um eterno "baixinho" da Xuxa !!! Vai ficar aí falando sozinho !!! Esse é o teu castigo !!!

    Responder
  • Joao Lopes Mendes
    - 12 de julho de 2013 - 01:46

    Acho que o Kotscho está "acordando" de um longo período de "hibernação"...

    Responder
  • Pedro Rocha
    - 12 de julho de 2013 - 01:18

    "Se eu não gosto da Globo, não assisto" - "Essa estória da Rede Globo é outra "cortina de fumaça"... Alguma dúvida que por trás do UPC e do Vannelder está o mesmo ex-jornalista em atividade? Conhecido nos anos 70 e 80 como o "leitão" de estimação do Maluf? Figura asquerosa e adiposa... Vá de retro!

    Responder
  • Dias
    - 12 de julho de 2013 - 01:14

    Kotscho, sugiro que abandone às janelas de sócios do Millenium para ver o Brasil, que melhor que ninguém sempre soube ver e descrever, para agora nos horrorizar com esse texto medonho, a ponto de começar a considerar que suas opiniões futebolísticas são um primor quando comparadas. Não tenho direito de cobrá-lo pelo silêncio no episódio óbvio, além de considerar que não cobrar cala mais fundo em quem se admira, mas não dá para não expressar que pior que o malfeito com sonegação, surrupio do processo e até mortes, é o silêncio constrangedor dos que se calam quando a estória de vida sugere que falem. Para dar ponto final nesse dolorido, segue um parágrafo que já esqueci de ter lido: "Ao ver pela televisão as imagens dos sindicalistas marchando em direção à Paulista, cada lado com seu uniforme _ os da CUT, de vermelho; os da Força Sindical de laranja _ carregando suas bandeiras padronizadas e empunhando as mesmas faixas de outras manifestações, dei-me conta de que este protesto de hoje nada tinha a ver com os que inundaram as ruas do País no mês passado, numa cacofonia de vozes, policromia de tipos e multiplicação de mensagens, sem roteiro e sem diretor. Agora, parecia estar vendo um filme de época, em branco e preto, absolutamente previsível, trazendo de volta antigos discursos e personagens de um tempo que passou." Realmente o de junho nada teve a ver com o de hoje, nem poderia, né? Afinal seria muito engraçado a massa trabalhadora ir curtir e compartilhar balada no asfalto e postar fotinhas no Instagram.

    Responder
  • Mr. Chance (Muito Além do Jardim...)
    - 12 de julho de 2013 - 01:07

    Bem, caro Kotscho... Você está com um problemão nas mãos. Começa a ficar muito claro que estar bem com o mundo da velha mídia parece ser mais importante do que abordar um tema que não tem mais como fugir dele. Não dá para fingir que o Mensalão e sua tese maior, o tal do domínio do fato, foi algo inteiramente patrocinado pela Globo e encampado por Joaquim Barbosa e Gilmarzão que, surpresa, deu o HC para a funcionária da Receita que surrupiou e deu sumiço no processo de sonegação da Globo. Mas responda, Kotscho... tem domínio de fato maior que esse? Um processo milionário ser surrupiado por uma funcionária que beneficiaria o sonegador, no caso a Rede Globo? Sim, Kotscho... se o que Dirceu & Cia. fizeram foi considerado domínio do fato, como fingir que um delito para beneficiar diretamente um devedor da Receita não tenha igual tratamento? Caro Kotscho, repito... se você não percebeu o que isso significa e prefere posicionar-se do lado de antigos colegas, sei lá com que intuito, uma vez que eles jamais te chamarão para nada e você sabe disso, então é hora de fechar o Balaio e vamos todos tomar cachaça na zona.. É isso. Pense à respeito. Um forte e caloroso abraço.

    Responder
  • Renato Sousa
    - 11 de julho de 2013 - 23:51

    Foi o "Dia Nacional de Luta"...kkk...kkk...A única LUTA foi para encontrar alguém para participar desta COMÉDIA PASTELÃO. FOI UMA LUTA...ehehehe... Pelo amor de Deus, a nossa esquerda esta chegando ao fundo poço. Pelo menos não ficará sozinha pois encontrará Dona Dilma por Lá. PATÉTICO, é o mínimo que se pode dizer sobre isto...

    Responder
  • Manoel R.Mello Jr
    - 11 de julho de 2013 - 23:50

    cARO RICARDO, DE QUE LADO DA LUTA VOCE ESTA .FAVOR SE COMUNIQUE A FAVOR DE QUEM

    Responder
  • Milton
    - 11 de julho de 2013 - 22:37

    Em primeiro lugar queria colocar que apesar de discordar da forma como se faz sindicalismo hoje, quero lembrar que VELHO é O SEU TEXTO, Não tome como ofensa. Mais é como se eu estivesse lendo os recortes de jornais burgueses antigos. Não apresenta nada de novo no discurso em relação a tudo que já se foi dito contra as manifestações operarias. Em resumo é a reprodução do discurso burgues e pequeno burgues já dito nas primeiras manifestações da classe operaria na Inglaterra de capitalismo nascente. Em segundo lugar quero frisar que entre a manifestações da classe operaria e manifestações da pequena burguesia, ha uma diferença muito grande, pois a segunda se dá em certos períodos, com pautas diversas sem objetivos de mudança da estrutura da sociedade capitalista. Já as manifestações da Classe operaria é continua e seu objetivo e o fim da sociedade capitalista, pois ataca justamente as bases que sustenta o capital. Portanto falar de fracasso da luta da classe operaria é o mesmo que admitir que esta ainda é a unica classe com potencial de revolução, pois fica expresso o medo do levante desta.

    Responder
  • Fabio Sp
    - 11 de julho de 2013 - 22:37

    Vai ser conhecido como Dia Nacional de Luto.

    Responder
  • Victor Hugo
    - 11 de julho de 2013 - 22:01

    "Outra coisa é Cuba, vou a ilha seguidamente e blá blá blá". . . . . Everaldo, o UPC deve viajar seguidamente . . . . na maionese. Pior que o UPC só o Vannelder, que nem sabe porque estão cobrando do Kotscho um post sobre a Globo. O UPC vai seguidamente a Cuba onde encontra o Vannelder, que vive no mundo da lua. Consegue explicar, Everaldo ???? Eu mereço !!!!!

    Responder
  • Eduardo
    - 11 de julho de 2013 - 21:57

    Olá. Opa, as manifestações ocorreram em 14 Estados e o Kotscho acha qeu não foi nada. Parou inúmeras rodovias, fez um barulho enorme. Mas nada comparado aos protestos de junho (do ponto de vista de quantidade). Mas tinham o que protestar, apesar do Kotscho não ter visto, né. rsrs Pediram 40 horas semanais, não a terceirização, melhores aposentadorias e por aí vai. Estranho ver o Kotscho desmerecer as manifestações das Centrais Sindicais dizendo que foi um fracasso. Abs

    Responder
1 2