Governo Marina gera polêmica entre leitores e jornalistas

"E se Marina ganhar? Como e com quem vai governar?" A questão que levantei aqui no Balaio na coluna de segunda-feira, diante do crescimento da ex-ministra e ex-senadora Marina Silva na última pesquisa Datafolha, ficando em segundo lugar, a apenas 9 pontos da presidente Dilma Rousseff (35 a 26), dividiu meus colegas jornalistas e causou polêmica entre os leitores.

Dois jornalistas que muito admiro, o Carlinhos Brickmann e o Heródoto Barbeiro, meu colega no Jornal da Record News, deram respostas bem diferentes às perguntas que fiz sobre a viabilidade de um eventual governo Marina Silva. Meu bate-papo com o Heródoto no R7 desta terça-feira, em que ele defende a possibilidade de alguém governar o país mesmo sem ter maioria no Congresso Nacional, bastando que se cumpra a Constituição, está reproduzido no link ao final deste texto.

A bem humorada opinião de Brickmann, que transcrevo abaixo, está na nota "A pergunta e a resposta", que ele publicou em sua coluna (www.brickmann.com.br) em vários jornais desta quarta-feira:

"A resposta, como diria o senador Suplicy se cantasse em português, é trazida pelo vento. Nada mais simples: se Marina Silva ganhar, vai governar com seus seguidores de sempre, adeptos da natureza, defensores do meio-ambiente, protetores dos povos da floresta, praticantes da sustentabilidade, reciclagem e consumo responsável. Terá a seu lado sonháticos que cuidam com carinho da terra; terá com ela o senador Sarney, o deputado Alfredo Nascimento, o senador Jucá, o deputado Maluf, o senador Renan Calheiros, o deputado Marco Feliciano, o senador Fernando Collor; partidos preocupados com temas como o aquecimento global _ PCdoB, por exemplo; líderes políticos comprometidos com a causa socioambiental, como Kassab, Delfim, Palocci, Waldemar Costa Neto. Não falta gente para formar um Governo e até estender sua ecológica militância pelos Estados. A exemplo do Acre, império sustentável dos irmãos Jorge e Tião Vianna.

Seguindo Marina, seus eventuais colaboradores serão, como ela, ativos defensores dos direitos dos animais _ e, como ela, vegetarianos. Como são hoje, aliás; embora muitos deles não larguem do osso, a erva viva que circula em Brasília é o que melhor os alimenta. Se Marina ganhar, gente para ajuda-la não lhe faltará".

Nos 42 comentários sobre o assunto publicados pelo Balaio até a hora em que comecei a escrever nesta fria manhã de quarta-feira, os leitores também se dividiram entre pró e contra um "Governo Marina". Destaco os comentários enviados por dois leitores:

Em defesa de Marina, escreveu Henrique Crato, às 14:44 de 13.8:

"Tem gente ficando preocupada com a Marina. Sinal que as chances vão aumentando. Marina irá governar com a ética e com as ruas. As máquinas políticas é que terão que se adaptar às novas realidades. Usar a bandeira da esperança e depois se render ao velho esquema já foi tentado por Lula e, pelo jeito, nem todos se conformaram com esta atitude. Marina, eu acredito!"

Na direção oposta, o leitor CesarT criticou a eventual candidata da Rede Sustentabilidade, em comentário enviado às 10:03 de 13.8:

"Nos debates da eleição passada, não lembro de nenhum plano de governo de Marina, seu voto é basicamente evangélico conservador e de protesto. Com os partidos e seus políticos desacreditados, teremos plebiscito até para escolher a cor do vestido que ela usará no 7 de setembro. Quem viver verá".

Vale a pena dar uma olhada nos demais comentários. Há tempos não tínhamos um debate de tão bom nível aqui no blog, bem diferente do eterno Fla-Flu entre tucanos e petistas.

O debate continua aberto, podem mandar suas opiniões.

Abaixo, o link para a minha conversa com o Heródoto Barbeiro no Jornal da Record News:

http://r7.com/ShCq