esse ese Um em cada três eleitores está sem candidato

Em Minas Gerais, o índice dos eleitores que pretendem votar em branco ou nulo é de 13% e o dos que ainda não escolheram candidato chega a 31%, um total de 44%. Este número é próximo da soma das intenções de voto nos dois principais candidatos, que estão tecnicamente empatados, segundo o Ibope: Fernando Pimentel, do PT, com 25%, e Pimenta da Veiga, do PSDB, que tem 21%.

O desinteresse e o desencanto dos brasileiros nesta campanha de 2014, que ainda não deu sinais de vida nas ruas do país, a apenas dois meses e cinco dias da abertura das urnas, ficam evidentes também em São Paulo e no Rio de Janeiro, mostrando um quadro preocupante nos três maiores colégios eleitorais do país, onde vive 42% da população apta a votar em outubro.

A nova pesquisa do Ibope sobre eleições estaduais, divulgada na noite de quarta-feira, mostra que, em São Paulo, o total de entrevistados que declararam votar em branco, nulo ou não sabem é de 29% e, no Rio de Janeiro, este índice atinge 33%. Ou seja, um eleitor em cada três ainda está sem candidato.

A situação parece definida em São Paulo, onde o candidato tucano Geraldo Alckmin está praticamente reeleito no primeiro turno. Alckmin aparece com 50% das intenções de voto, enquanto os demais candidatos somados alcançam apenas 21%. A surpresa negativa desta campanha é o petista Alexandre Padilha, que continua empacado em 5%, tecnicamente empatado com cinco nanicos (a margem de erro é de três pontos percentuais).

Já no Rio, como em Minas, a disputa está embolada. Anthony Garotinho, do PR, continua na frente no eleitorado fluminense, com 21%,  tecnicamente empatado com  Marcelo Crivellla, do PRB (16%), e o governador Luiz Fernando Pezão, do PMDB (15%). Com a máquina do governo nas mãos, o apoio de mais de 20 partidos e um latifúndio de tempo na propaganda da televisão, dificilmente Pezão deixará de ir para o segundo turno contra um dos seus dois principais adversários. Lindberg Farias, do PT, aparece atrás, com 11%.

Os números do Ibope para os candidatos a governador nestes três Estados, antes do início do horário eleitoral, dia 19 de agosto, não são nada bons para a campanha pela reeleição da presidente Dilma Rousseff. Pimentel, Lindberg e Padilha estão bem abaixo do patamar de 30% que os candidatos do PT costumam registrar historicamente nesta altura da campanha.

Também são preocupantes os índices desta pesquisa para o presidenciável Eduardo Campos, do PSB, que perde feio em Pernambuco, seu principal reduto eleitoral. O principal candidato da oposição Armando Monteiro Filho, do PTB, apoiado pelo PT, está com 43%, contra apenas 11% de Paulo Câmara, o nome lançado por Campos para governador.

Mais do que os números do Ibope, porém, o que mais me chamou a atenção esta semana foi o levantamento divulgado pelo TSE sobre os novos eleitores. Em relação à eleição de 2010, caiu 31% o número de jovens entre 16 e 18 anos que vão votar pela primeira vez para presidente. Depois de tanta luta para que tivéssemos de volta as eleições diretas para a presidência da República, é triste descobrir que a juventude está se interessando cada vez menos pela política e não se anima nem mesmo a tirar o título eleitoral, que não custa nada.

http://r7.com/Uj35