Fui mal. Pouco antes de entrar no ar ao vivo no Jornal da Record News de terça-feira, fiquei impressionado com os novos números do Ibope sobre as eleições presidenciais no Rio e em São Paulo, que indicavam uma disparada de Marina Silva, e repeti a mesma avaliação no dia seguinte no blog: "Ninguém segura Furacão Marina rumo à vitória".

20 Blogueiro foi mal ao entrar na dança das pesquisas

Não segui meu próprio conselho dado logo na abertura do texto _ "Sei que é sempre arriscado fazer análises ou previsões numa campanha eleitoral tão cheia de reviravoltas como esta de 2014" _ e quebrei a cara. No final da tarde de quarta-feira, quando o Ibope e também o Datafolha divulgaram suas pesquisas nacionais sobre a corrida presidencial, vimos que o quadro está estabilizado, indicando uma dura disputa entre Dilma e Marina no segundo turno, como se pode ver na atualização que fiz em seguida.

data2 Blogueiro foi mal ao entrar na dança das pesquisas

Até agora não entendi os motivos que levaram o Ibope a fatiar sua pesquisa e antecipar para a véspera os números que mostravam um forte crescimento de Marina nestes dois grandes Estados, que me levaram a conclusões precipitadas, e até o momento ninguém do instituto explicou esta jaboticaba eleitoral.

Confesso que entrei na dança das pesquisas, que agora saem quase todo dia, e dou razão aos leitores que me criticaram pela afoiteza. Escrever todos os dias, assim como viver, é correr riscos. Às vezes, a gente acerta; noutras, erra. Só os donos da verdade acertam sempre e nunca reconhecem seus erros.

Para tirar conclusões, sei que melhor é esperar a abertura das urnas no dia 5 de outubro, mas não posso ficar sem escrever até lá _ afinal, vivo disso. Tem razão minha amiga Eliane Cantanhêde ao escrever em sua coluna desta quinta-feira, sob o título "É cedo para cantar vitória":

"O fato, gente, é que era cedo para cantar vitória para Dilma e é cedo para cantar vitória para Marina. Ainda tem muita guerra pela frente e o momento não é só de sobreviver, mas de matar. Aliás, a eleição já fez três vítimas: Eduardo Campos, Aécio Neves e Guido Mantega". E o blogueiro que vos escreve também, poderia acrescentar...

Vida que segue. Mesmo errando, só não podemos perder o bom humor. Por isso, recomendo a leitura da coluna do grande José Simão na Folha, impagável como sempre, em que ele fala dos três candidatos:

"A Marina é uma típica ambientalista, em cada ambiente tem uma opinião diferente".

"E a Dilma Grande Chefe Toura Sentada entrou pra turma da Maisena, só engrossa. A pittbúlgara partiu pro ataque! Todos para o Forte Apache!"

"E o Aécio? Deve ser horrível pro Aécio, todo playboyzão, apanhar de duas mulheres. Na frente de todo o mundo. Rarará!".

Pois é, amigos, acontece. "Foi mal, vovô", costuma dizer meu neto André, de apenas sete anos, mas que já entende das coisas mais do que eu.

***

Em tempo:

Fui alertado pelo meu amigo Ricardo Noblat que quem batizou primeiro o "Furacão Marina" foi ele, e não eu, em nota publicada no dia 25 de agosto. Usei esta expressão no dia seguinte. Ontem, foi dia de errar...

Peço desculpas a ele e aos leitores.

http://r7.com/5xKf