Para sair deste baixo astral em que o país e o Balaio entraram nestes últimos dias, que nem eu aguento mais, quero partilhar com vocês uma bela história de vida, com final feliz, que acabei de ler. Pena que aconteceu nos Estados Unidos, e não aqui.

Reproduzo abaixo, na integra, a matéria "Após quase fracassar, festa de garoto autista nos EUA tem até bombeiros", publicada nesta terça-feira, na página A12 da Folha, um belo texto com o crédito "Das agências de notícias". Ao final, tenho certeza que o caro leitor também ficará comovido e com mais esperanças no ser humano, como eu fiquei.

***

glenn buratti 2 Bombeiros fazem a festa do menino autista

A festa de aniversário de seis anos do pequeno Glenn Buratti se encaminhava para um total fracasso em sua casa na cidade de Saint Cloud, no condado de Osceola, na Flórida (EUA).

Nenhum dos colegas de classse do garoto autista que foram convidados apareceu para comemorar com ele.

Sua mãe, Ashlee, havia chamado 16 amigos para a confraternização.

Ao ver que ninguém aparecia para a festa, Glenn ficou arrasado, disse sua mãe.

"Desde a hora em que ele acordou naquele dia, queria saber quantos minutos faltavam até que seus amigos viessem", afirmou Ashlee ao jornal local "Osceola News-Gazette".

Ela diz que os olhos do filho se encheram de lágrimas quando ele percebeu que não haveria ninguém na festa.

No site do jornal, Ashlee expressou a frustração do garoto na página "Osceola Rants, Raves and Reviews List", voltada aos moradores da região e que tem mais de 10 mil membros.

"Sei que isso pode ser algo bobo para reclamar, mas meu coração está partido por causa do meu filho", escreveu.

Quando outros membros do grupo viram a publicação, começaram a enviar mensagens perguntando se podiam levar seus próprios filhos para a festa de Glenn.

O texto chegou ao departamento de polícia de Osceola, que pediu o endereço da família e disse que um helicóptero iria sobrevoar a casa.

Em cerca de uma hora, o helicóptero passou voando baixo sobre a casa de Glenn, para que ele pudesse acenar para o piloto.

O menino, que ama policiais e bombeiros, ficou impressionado quando esses profissionais começaram a chegar para a sua festa, em seus carros e caminhões.

Embora seja um garoto tímido, sua mãe disse que Glenn brincou com os novos amigos como se os conhecesse há muito tempo.

No total, 15 crianças e 25 adultos apareceram na casa do garoto para dar presentes, comemorar e comer o bolo.

John Buratti, pai de Glenn, se comoveu com o gesto da sua comunidade. "Ele se divertiu muito".

***

Os 16 amigos de Glenn convidados pela mãe dele e que não apareceram no aniversário não sabem o festão que perderam, por puro preconceito.

Vida que segue.

http://r7.com/SPLJ