Corremos o risco da perda de confiança no país

Comércio com portas fechadas (Foto: Alessandro Costa / Ag. O Dia)

Os números da nova pesquisa Ibope com o Índice de Confiança Social, antecipados pelo colega José Roberto de Toledo em sua coluna no Estadão, mostram que houve uma preocupante perda de credibilidade em todos os níveis de poder, com exceção do Judiciário.

A desconfiança é generalizada e crescente, mostra a pesquisa de 2015, que foi a campo entre os dias 16 e 22 de julho, em 142 municípios de todo o país.  Da Presidência da República e do Congresso Nacional até chegar aos prefeitos e partidos, todos perderam pontos na escala, que vai de 0 a 100. Vejam os índices:

* A instituição Presidência da República caiu para 22 pontos, metade do que tinha no ano passado.

* É o mesmo índice do Congresso Nacional, que perdeu 13 dos 35 pontos registrados em 2014. "Uma votação de impeachment da presidente será o roto decidindo o destino do esfarrapado", conclui Toledo.

* A população também acredita menos nos prefeitos. Os poderes executivos locais perderam 9 dos 42 pontos, o que aponta para dificuldades aos que tentarem disputar a reeleição no próximo ano.

* Partidos políticos são a instituição pior avaliada: em um ano, a confiança nas 30 e tantas siglas que temos atualmente caiu 13 pontos, batendo no índice de 17. Ou seja, 83 em cada 100 não confiam em nenhum deles.

* Em compensação, o Judiciário, com o protagonismo da Operação Lava Jato, é a única instituição que mantem o índice: teve 46 pontos, em 2013, subiu para 48, no ano passado, e voltou agora aos 46.

Marcia Cavallari, a CEO do Ibope Inteligência, constata que "houve uma diminuição da confiança nas instituições políticas como um todo", em consequência dos escândalos envolvendo políticos de todas as latitudes.

É este o resultado da política do toma-lá-dá-cá, do dá ou desce, do é dando que se recebe, que continua imperando em nosso país. Tivemos nesta quinta-feira, no mesmo dia da reunião da presidente Dilma Rousseff com 26 governadores, mais um exemplo de como funciona este sistema político falido, que está na raiz de todas as crises: em agosto, o governo federal vai lotear 200 cargos para partidos aliados e, até o final do ano, entregará R$ 4,9 bilhões em emendas parlamentares.

O risco que corremos agora é a perda da confiança dos brasileiros não apenas nos atuais ocupantes dos cargos públicos e dos mandatos parlamentares, mas nas próprias instituições. Sinto que estamos perdendo, na verdade, a confiança no nosso país, como mostram os comércios fechando suas portas e a queda dos investimentos e dos empregos na indústria. Por toda parte, multiplicam-se as faixas de "Passa-se o ponto" e placas de "Aluga-se".

Enquanto isso, partidos e políticos, do governo e da oposição, dedicam-se à disputa do poder pelo poder a qualquer preço.

http://r7.com/Ahwz