1agenciacorinthians1 No Brasil de Tite, CBF insiste em ficar com Dunga

"Viva o Timão, viva o Tite, já pintou o campeão". Na manhã de 20 de setembro, quer dizer, um domingo de 48 dias atrás, foi este o título que dei aqui no Balaio após a vitória do Corinthians contra o Santos, por 2 a 0, no Itaquerão, com dois gols de Jadson.

De vez em quando, a gente acerta. Também, eu reconheço, não era preciso ser nenhum gênio da cronica esportiva, um craque como Cosme Rímoli ou Juca Kfouri, para acertar esta previsão. O motivo da minha certeza com larga antecedência era um só: Tite, de longe o melhor técnico em atividade no país.

Tite tornou-se uma unanimidade nacional, menos para Marco Polo Del Nero, o herdeiro de José Maria Marin na CBF, que prefere insistir com Dunga, um técnico medíocre, mas muito obediente a quem manda.

Prestes a conquistar o bicampeonato brasileiro pelo Timão, Tite não contava, no começo do Brasileirão, com um elenco dos mais brilhantes e ainda perdeu alguns dos seus melhores jogadores, mas com o que sobrou montou uma equipe compacta, solidária, com jogadas bem ensaiadas.

Renato Augusto, Jadson e Elias é que se tornaram craques nas mãos dele, cada qual com seu papel bem definido no meio de campo e no ataque, com deslocamentos constantes e toques de bola rápidos.

Se estivesse na seleção, Tite poderia até convocar os mesmos jogadores de Dunga, mas a seleção certamente ganharia logo um outro padrão de jogo para voltar a ser respeitada pelos adversários, ao contrário deste amontoado café com leite de Dunga, com seu futebol burocrático e cansadão, previsível como o do meu São Paulo.

Escrevi no texto citado na abertura e posso repetir hoje: "Tite é um cara meio chato, fala num gauchês enrolado, e ficou ainda pior depois de fazer um estágio na Europa, agora com ares de professor emérito. Dá mais entrevistas na televisão do que o Joaquim Levy, mas não podemos duvidar da sua competência. E é isso que interessa no futebol, na política, na economia, no jornalismo, na publicidade e em tudo na vida. Quando perde, não culpa os jogadores nem a diretoria. Se ganha, não precisa explicar nada".

http://r7.com/SGmC