Reprodução/Facebook

Com o Judiciário e o Legislativo em férias até fevereiro e o presidente Michel Temer em Portugal, o ano político em Brasília começa como o de 2016 terminou: um deserto de homens e de ideias. Por falta de concorrência, o palco ficou livre para a... Continue lendo