"Pode-se escrever tudo e não adianta nada" (Luis Fernando Verissimo, na crônica "Palavra" publicada hoje no Globo). *** Nestes tempos de pós-verdades e de mentiras convenientes, em que 140 carateres no twitter podem ameaçar o mundo inteiro e mudar... Continue lendo