tv Cadê a TV que estava aqui?

Se você comprou pacote de uma das seis operadoras de TV por assinatura que controlam o mercado, prepare-se: a partir da meia noite desta quarta-feira, não vai mais encontrar o sinal das emissoras RecordTV, SBT e RedeTV.

Deixamos de ser analógicos e nos tornamos digitais, que maravilha!, mas o desrespeito aos direitos do consumidor continua o de sempre nesta terra do vale tudo em que a única lei feita para valer é a do mais forte, e danem-se os prejudicados.

Como não houve acordo comercial com as emissoras sobre o pagamento de direitos de transmissão, a exemplo do que já fazem com outros canais nacionais e estrangeiros, as operadoras NET, Claro, Embratel, Oi e Sky simplesmente vão cortar o sinal.

E o que nós já pagamos para receber o pacote completo, como fica?

É como você comprar um apartamento de três quartos e, na hora de entrar no imóvel, descobre que só tem dois porque houve um desacordo entre a incorporadora e a construtora, mas o valor da prestação continua do mesmo tamanho.

O prejuízo não será só dos assinantes lesados nos seus direitos. Mais grave, para o país, é a falta de regulação deste mercado, cada vez mais concentrado.

É uma terra de ninguém que facilita o controle do fluxo de informações e impõe cada vez mais o pensamento único.

Pois são, ironicamente, as empresas que mais pregam a liberdade de expressão e o livre mercado as maiores beneficiárias da eliminação pura e simples da concorrência das TVs abertas na TV paga.

Ficamos nas mãos de meia dúzia de operadoras que decidem o que podemos ou não ver no novo sistema digital.

Meu colega Heródoto Barbeiro, aqui mesmo no R7, chamou a atenção para a gravidade do que está em jogo neste momento:

"Além da questão comercial em pauta, há uma outra que envolve a cidadania. Ao invés de incentivar a multiplicidade jornalística, artística, estética, as operadoras optam por diminuir a oferta de canais para que o público, livremente, possa escolher o que quer e quando quer ver esta ou aquela programação".

Os exemplos de retrocessos civilizatórios junto com a chegada de novas tecnologias vêm de cima todos os dias.

Do jeito que vai indo, de recuo em recuo, de abuso em abuso nos nossos direitos, sem ninguém fazer nada, vão acabar revogando até a Lei Áurea e a lei da oferta e da procura.

Vida que segue.