- Ricardo Kotscho - http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho -

País parado à espera de decisões do Judiciário

Postado por rkotscho em 03/04/2017 às 9:14 em Sem categoria | 23 Comments

 País parado à espera de decisões do Judiciário [1]

Alexandre de Moraes toma posso no STF (Foto: Agif/Folhapress)

Já estamos em abril, mas nada muda. Mais uma semana começa com o País nas mãos do Judiciário. O pior é que não há prazo para esta agonia acabar.

Enquanto isso, vivemos das especulações sobre o julgamento da chapa Dilma-Temer no TSE, que começa amanhã, e dos novos vazamentos da Lista do Janot, que continua sob sigilo no STF.

É como se o Brasil real não tivesse batido na semana passada o recorde histórico de 13,5 milhões de desempregados.

Em Brasília, não está na pauta de ninguém do governo ou do Congresso nenhuma reunião de emergência para discutir o desemprego galopante.

Estão todos, situacionistas e oposicionistas, mais preocupados com a "reforma política" para deixar tudo como está e salvar a própria pele.

Qualquer que seja a decisão do TSE, que dificilmente sairá ainda este ano, não corremos o menor risco de que nossas vidas possam melhorar tão cedo.

Se Michel Temer for cassado, quem vai escolher o novo presidente da República em eleição indireta é este mesmo Congresso totalmente desmoralizado.

Se só Dilma Rousseff for punida, com a separação da chapa, quem se desmoraliza é a Justiça.

Basta lembrar que os sete ministros titulares do Tribunal Superior Eleitoral já votaram pelo princípio de indivisibilidade das chapas.

Até o presidente do TSE, Gilmar Mendes, já relatou acordão em que escreveu de forma expressa ser a cassação do vice uma consequência do processo, ainda que os atos tenham sido realizados apenas pelo titular.

No STF, o ministro relator da Lava Jato, Edson Fachin, parece não ter pressa para abrir de uma vez a Lista do Janot tantas vezes vazada. Toda semana a quebra do sigilo é adiada para a semana que vem. O País que espere.

A última vítima dos vazamentos seletivos agora é um grão-cacique tucano, o senador e presidenciável Aécio Neves, acusado pela "Veja" de receber propina em Nova York na conta da irmã.

Com justa indignação, os irmãos Neves divulgaram vídeos neste final de semana em que acusam a revista de "mentira vergonhosa" e pedem acesso ao conteúdo da delação da Odebrecht para poderem se defender.

A trágica ironia desta história é que foi o próprio PSDB de Aécio Neves, que agora protesta contra os vazamentos, quem moveu a ação contra a chapa Dilma-Temer por abuso de poder econômico.

Até hoje, ninguém foi investigado e muito menos punido pelos vazamentos no curto caminho entre a Procuradoria Geral da República e o STF, o que Aécio agora reivindica em sua coluna publicada na "Folha" desta segunda-feira:

"Protocolei no STF petição solicitando abertura de investigação sobre esse vazamento (...). Usarei para isso todos os meios que estiverem ao meu alcance"

Nestes três anos de Operação Lava Jato, enquanto as acusações vazadas alvejavam preferencialmente os ex-presidentes petistas Dilma e Lula, outros líderes políticos e seus aliados na grande mídia nativa se calaram. Achavam até bonito, em nome do combate à corrupção.

Agora, que está todo mundo no mesmo barco furado do sistema político apodrecido, querem investigar os abusos de uma Justiça lenta, onipotente e seletiva, que faz as suas próprias leis.

Vida que segue.

  [2]
  [3]


Artigo impresso de Ricardo Kotscho: http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho

Endereço do artigo: http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/2017/04/03/pais-parado-a-espera-de-decisoes-do-judiciario/

Endereços neste artigo:

[1] Imagem: http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/files/2017/04/alexandre.jpeg

[2]  : http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/2017/04/03/pais-parado-a-espera-de-decisoes-do-judiciario//emailpopup

[3]  : http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/2017/04/03/pais-parado-a-espera-de-decisoes-do-judiciario//print

© 2010 R7.com. Todos direitos reservados.