Após três meses de hibernação, as reformas voltaram à agenda do Congresso, mas nas contas do principal articulador político do governo, Eliseu Padilha, e do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, faltam votos para serem aprovadas ainda este ano. Se... Continue lendo