A partir desta terça-feira, com a viagem do presidente Michel Temer à China (ver post anterior), André Fufuca (PP-MA), 28 anos, mais conhecido por Fufuquinha, assume o comando da Câmara.

Deputado em primeiro mandato, ele é filho de Fufuca Dantas (PMDB), prefeito de Alto Alegre do Pindaré, no Maranhão, e se tornou conhecido como mascote da tropa de choque de Eduardo Cunha quando o então presidente da Câmara tentava salvar seu mandato na Comissão de Ética no ano passado.

Apesar da pouca idade, Fufuquinha já passou por vários partidos. Elegeu-se deputado estadual, em 2010, pelo PSDB e chegou a federal quatro anos depois, pelo PEN (Partido Ecológico Nacional), para onde está indo o presidenciável Jair Bolsonaro. Transferiu-se após a eleição para o PP de Paulo Maluf e fez parte do Centrão de Cunha antes de ocupar o atual cargo na Mesa Diretora da Câmara.

O vice-presidente Fábio Ramalho (PMDB-MG), outro expoente da atual legislatura, que se tornou conhecido pelos banquetes de comida mineira que oferece aos colegas, preferiu viajar na comitiva de Temer, mas hoje ainda estava na dúvida se seria conveniente deixar para Fufuquinha a cadeira que um dia já foi ocupada por Ulisses Guimarães.

Os dois tiveram uma reunião de manhã com o presidente no Palácio do Planalto para discutir a agenda da Câmara em que estão pendentes votações importantes, além das reformas e do Orçamento.

Esta semana, o governo espera aprovar o novo Refis sem as mudanças feitas pelo relator Newton Cardoso Júnior, do PMDB, filho do ex-governador mineiro, que praticamente anistiava os sonegadores, aumentando o rombo fiscal deste ano.

Também está prevista a votação da nova taxa de juros do BNDES, a TLP, que deve ficar mais próxima dos valores cobrados pelo mercado, outra medida para equilibrar as contas.

Fica tudo nas mãos de Fufuquinha, se Ramalho não mudar de ideia.

Certa vez, perguntaram ao já citado Ulisses Guimarães se aquele Congresso que rejeitou a Emenda das Diretas, em 1984, era o pior que já tivemos.

A resposta: "Espera para ver o próximo...".

Sábio doutor Ulisses.

Vida que segue.