Um bom motivo para celebração: Sobrevivemos!

Sobreviventes

Não precisamos de muita coisa. Só uns dos outros (Carlito Maia, publicitário e filósofo popular, morto em 2002).

***

Neste Natal sem enfeites nem presentes, na noite em que Jesus nasceu, 2016 anos atrás, temos um bom motivo para celebrar a vida, gritando bem alto: "Sobrevivemos!".

E é isso o mais importante: a vida que segue.

Se você está me lendo é sinal de que ambos conseguimos atravessar a tormenta do ano que está acabando.

Aos trancos e barrancos, balançando ao sabor das ondas, fomos tocando nosso barquinho pelo mar encapelado e soturno, certamente o mais difícil e sofrido para quase todos os brasileiros.

Já chegando à praia de 2017, quero do fundo do coração desejar a todos um Feliz Natal e, se possível, um ano novo melhor do que este que passou e não deixou saudades.

Quero agradecer a todos os internautas e telespectadores que me acompanharam nesta travessia.

Meu muito obrigado a todos os colegas das redações do R7 e da Record News pelo apoio e pela camaradagem, em especial ao Odair Braz Jr, editor de blogs, por me aturar, e ao Luiz de Belém, da maquiagem, por me divertir.

Este ano foi tão corrido, com bombas estourando quase todo dia, que nem me lembrei de registrar o aniversário do Balaio, carregado pela primeira vez num dia que não dá para esquecer, 11 de setembro, oito anos atrás.

Comecei ali minha segunda vida profissional, quase toda feita no papel, e esperava, a essa altura do campeonato do jornalismo, depois de 52 temporadas, poder viver dias mais tranquilos com a família.

Internet não existia nem estava no horizonte quando comecei na profissão, assim como nunca planejei ser comentarista de televisão num canal de notícias, coisa que também não havia.

Como ensina o velho samba, deixei a vida me levar e cá estou, sobrevivendo.

Vou agora tirar uma breve folga e volto no dia 10 de janeiro.

Até lá.