Publicado em 08/07/2014 às 18h44

O futebol brasileiro perdeu para a arrogância

A arrogância de Felipão prevaleceu no Mineirão. Ela derrubou esquema tático, bagunçou o time brasileiro, subestimou o jogo alemão e fez com que a seleção passasse a maior vergonha de sua história em pleno quintal de casa.

Em vez de trazer humildade ao grupo, Felipão trouxe rancor. No lugar dos treinamentos de jogadas, veio com pedras na mão contra a imprensa, se achando o centro do universo. Se podia chamar jogadores mais habilidosos e com a cara do futebol brasileiro, optou por Jô, Fred e meia dúzia de volantes brucutus.

O que a torcida testemunhou hoje no Mineirão foi um massacre de uma verdadeira seleção contra um amontoado de moleques. Amontoado que bem treinado poderia igualar as coisas, mas que passou dias na Granja Comary ensaiando chutões para que o tenebroso Fred perdesse a bola logo em seguida.

Fosse a proposta treinar balões ao ataque, por que reunir uma corja de dinossauros ultrapassados? Felipão é um mero incentivador, que, às vezes, chega ao sucesso exclusivamente dessa forma. Parreira, apesar do título de 1994, fracassa muito mais do que conquista. E Murtosa? O que dizer do maior aspone do futebol brasileiro? Ele enriquece às custas da CBF por puro capricho de Felipão em tê-lo ao seu lado até nos momentos mais íntimos.

O futebol brasileiro sofreu a maior derrota de sua história nesta terça, mas não foi para a Alemanha. O futebol brasileiro foi derrotado por seus próprios gestores, que se mostraram um mar de arrogância e incapacidade.

Tá lendo por quê?

Publicado em 07/07/2014 às 15h28

Parem de babar o ovo do Neymar

Torcida brasileira, caros amigos jornalistas: já deu. Parem de babar o ovo do moleque Neymar.

Peço isso por dois motivos. Primeiro, porque, ao contrário do que está parecendo, ele não morreu. Apenas se machucou jogando bola, algo normal na carreira de um atleta. Segundo, porque o nosso badalado menino prodígio simplesmente sumiu nos momentos decisivos da Copa do Mundo.

Neymar não jogou absolutamente nada contra o Chile, nas oitavas de final, e mais uma vez se escondeu em campo quando enfrentamos a fraquíssima Colômbia, nas quartas.

Só fez gol mesmo quando não era mata-mata, quando a pressão era muito menor.

Marcou quatro gols na Copa: dois contra o horrível time da Croácia, que conseguiu não se classificar para a segunda fase, e mais dois contra a ridícula e desastrada equipe de Camarões.

Onde estava nosso 'grande craque' contra o México, Chile? Quando realmente mais precisamos? Se não fossem nossos zagueiros, estaríamos perdidos.

Faça-me o favor. Analise os fatos e pare de chorar por uma estrela que não brilhou neste Mundial.

Ele é líder? Não. David Luiz é um comandante nato e já provou isso.

Ele acalma o time? Não. Quem faz isso, e muito bem, é o Luiz Gustavo, que estará de volta contra a Alemanha.

Ah, então ele é decisivo? Conte outra piada, por favor.

Neymar não só se esqueceu de jogar bola no Barcelona como esteve muito abaixo do que se esperava dele na Copa do Mundo. Aceitem isso, e parem de babar o ovo do moleque mimado.

Não concorda. Então tá lendo por quê?

Publicado em 18/06/2014 às 08h32

O Brasil é hexa!

essa O Brasil é hexa!

Que venha a Holanda! Alemanha? Fichinha. Argentina? O que é Argentina?

Nós, brasileiros, estamos prontos. Empatamos brilhantemente com o México ontem.

Descobrimos que os adversários têm goleiros. Agora ninguém segura o Brasil.

Saber que temos no banco alguém como Jô, que substituiu brilhantemente o formidável Fred que tão bem jogou a partida não tem preço.

Ver nosso técnico apelar a uma jaqueta no frio de Fortaleza como “amuleto” nos deu muito mais segurança.

Agora é golear Camarões facilmente na segunda e apenas quatro jogos nos separarão do título.

Já mandei reservar minha passagem de volta ao Brasil. Havia ficado traumatizado com a abertura, mas já estou à procura de ingressos para a final. Por sinal, também não há cambistas na Copa. Orgulho!

Estou alugando por míseros R$ 4.000 um apartamento quarto e sala na Vila Madalena, em São Paulo, para aproveitar o bairro. Me disseram ser um dos mais limpos do mundo. Genebra perde. Os R$ 4.000 por quanto tempo? Por semana! Isso. Nem eu mesmo acreditei na pechincha. Achei que fosse por dia.

Resumindo, estou feliz. Enfim, mais uma prova de que Galvão Bueno sempre está certo.

É hexa! É hexa!

Não gosta do Brasil? Odeia a Copa? Então tá lendo por quê?

É hexa! É hexa!

Publicado em 13/06/2014 às 08h21

Vocês não nasceram para isso

gol Vocês não nasceram para isso

Confesso ser muito difícil para eu deixar a Europa e passar alguns dias aqui nesse País que vocês acham muito ruim, mas não fazem nada para mudá-lo. Pois bem, Copa do Mundo aqui e eu vim.

Primeira pergunta: que horas sai o próximo voo de volta?

Queridos, eu sinto muito, mas não dá. Isso, continuem organizando torneios de várzea, peladas na praia, futebol de botão, o que quiserem. Mas levar a sério um evento internacional como a Copa não é para vocês.

Fui ao jogo. Comecei a epopeia na estação Pinheiros do metrô. Aquela mesma que desabou durante as obras. Perguntei em português qual bilhete deveria comprar. A funcionária me disse que era na bilheteria do outro lado da estação. Fui até lá.

- O senhor precisa comprar na bilheteria do lado de lá. Aqui é só trem.

- Mas a moça de lá é quem acabou de me enviar para o lado de cá. E tem mais, não quero saber se é trem ou metrô, nem sei a diferença entre os dois eu quero é chegar ao estádio.

Foram quatro idas e vindas. Quatro. E as duas não se entendiam. Quando ameacei dar chilique, veio um segurança e me perguntou:

- Para onde o senhor quer ir?

Eu. Camisa de seleção, ingresso na mão.

- Para Londres. Quero voltar para Londres.

- Porque se for para o estádio, eu posso lhe ajudar. Moro lá perto.

Ou seja, o funcionário do metrô só conseguiu me ajudar não porque recebeu um treinamento para explicar como chegar ao estádio de abertura da Copa do Mundo, para onde iriam mais de 62 mil pessoas, mas, sim, porque mora perto.

Metrô e trem depois chego a uma estação que dizem ser a do estádio. Desço. A multidão me engole. Não, não como nas Olimpíadas quando centenas de voluntários se revezavam para prestar qualquer tipo de ajuda ou mesmo solidariedade se preciso fosse. Não. O que havia eram as chamadas autoridades de pequenas causas.

- Seu ingresso é entrada oeste e esta  fila é para entrada leste.

Fila? Centenas de torcedores apertados em um corredor com uma saída mínima porque o restante do espaço estava protegido por grades.

Nas Olimpíadas de Londres, as catracas eram liberadas e todas as saídas das estações ficavam abertas. Fluxo. Entendem o que é isso?

Como caí na tal fila errada, quis voltar.

- Por aqui não pode.

Era a autoridade de pequenas causas novamente. Mas eram apenas 200 metros. A escada para a minha plataforma era logo ali.

- Não. O senhor deve seguir o fluxo, ir para a ala leste e de lá caminhar até a próxima estação de metrô, comprar outro bilhete e voltar.

Nem Monty Python faria melhor. Tampouco Ionesco. Foram vinte minutos de caminhada ao lado de um jornalista argelino que também tentava entender o que ocorria, outro ingresso de metrô, mais 10 minutos e consegui chegar, meia hora depois a 200 metros de onde estava.

Desço as escadas certas e descubro que caí na radial leste interditada, liberada apenas para pedestres. Caminhei mais 15 minutos. Cheguei ao estádio, sentei em meu lugar não sem antes terem me explicado três vezes de maneira errada onde ele ficava. Isso porque falo português.

Não perderei tempo falando sobre o jogo. Há gente muito mais competente no R7 para fazer isso.

Do mesmo modo que há países muito mais preparados para receber uma Copa do que o Brasil. Já ouviu falar no Iraque? Sudão do Sul?

Desejo sorte ao Brasil no torneio. Estou adorando a Copa do Mundo. Principalmente esta que estou assistindo aqui no lounge da companhia aérea do aeroporto.

Alguém quer comprar meus ingressos restantes? Vendo baratinho.

Publicado em 06/06/2014 às 00h05

Vaaaaaai, México!!!

Já venho pensando nisso há certo tempo, porém, finalmente me decidi. Torcerei pelo México na Copa de 2014.

Explico para vocês o motivo da minha escolha. Como o tal Itaquerão está bastante zicado, a seleção brasileira não conseguirá vencer a Croácia lá, tive uma visão em um momento de vidente e vi que os comandados do bigodudo perderão por 1 a 0.

Com isso, se o México, que já é uma pedra no sapato dos brasileiros há alguns anos, fizer a sua parte, o Brasil provavelmente estará eliminado da Copa e eu estarei bem mais feliz.

Por conta disso, decidi que a minha seleção na Copa será o México. Arriba muchachos! Vamos colocar esses brasileiros babacas para chorar... É isso que eu quero!

Se você não vai torcer para o meu amado México, então tá lendo por que?!

Veja mais:
+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!
+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Publicado em 04/06/2014 às 00h05

Tá comemorando por quê?

foto 1  Tá comemorando por quê?

O bando de meninos mimados da seleção brasileira não fez mais do que a obrigação ao vencer o fraquíssimo Panamá na última terça-feira (3). Contra um adversário que nunca foi à Copa do Mundo, o tal do Neymar tinha mesmo que mostrar o seu superestimado valor. Não dá para comemorar esse resultadozinho no Serra Dourada, em Goiânia (GO).

Felipão ainda vai pagar por ter deixado os medalhões de fora da convocação para o Mundial. Mesmo no inexpressivo amistoso, é público e notório que a equipe carece de grandes jogadores. Ou alguém confia em Oscar? Hulk? Fred? Já disse e repito que a Copa do Mundo será um fiasco para a outrora poderosa seleção brasileira.

O que já era ruim no primeiro tempo, ficou ainda pior com a entrada dos reservas. Aquele Henrique teve trabalho para marcar os horrorosos atacantes do Panamá. Lá na frente, o Jô mostrou por que nunca deu certo fora do País.

Não concorda? Então tá lendo por quê?

Veja mais:
+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!
+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Publicado em 03/06/2014 às 00h15

No Brasil, a Copa é da Argentina

Não há dúvidas para mim: quem ganha a Copa do Mundo do Brasil é a Argentina. Perto do timaço do técnico Alejandro Sabella, os operários de Felipão não têm a menor chance.

Se nós temos Neymar, um craque em formação, eles têm Messi, um gênio que já está pronto.

Enquanto temos os apenas esforçados Hulk, Oscar e Fred, a Argentina tem o melhor ataque do mundo, com Aguero, Di Maria e Higuain

Se temos a pressão de vencer em casa, os hermanos estão com a motivação de estragar a festa.

Se o torcedor brasileiro esbraveja contra o time e pede por hospitais, nossos vizinhos são fanáticos pela seleção e estarão com ela até o fim.

Enquanto não disputamos as Eliminatórias, eles a venceram com folga.

Se estamos em um grupo mais complicado, eles jogam contra os ‘poderosos’ Irã e Bósnia.

Se, em nossas oitavas, o caminho tem Espanha ou Holanda, o deles cruza com Honduras, Suíça ou Equador.

Se o Brasil tem um técnico teimoso e ultrapassado, o maior rival vem com uma promessa dos bancos.

Se nós temos sonhos, eles têm chances...

Não concorda? Então tá lendo por quê?

Veja mais:
+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!
+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Publicado em 30/05/2014 às 00h05

Cadê os medalhões, bigodudo?

foto 1 Cadê os medalhões, bigodudo?

Felipão, o senhor só pode estar de brincadeira com os 200 milhões de torcedores brasileiros que sonham com o hexa no Mundial de 2014.

A história mostra que para conquistar a Copa do Mundo é necessário ter experiência de sobra no elenco. Aqueles jogadores que já foram testados em situações adversas, limites. Que na hora da adversidade esbanjam frieza e liderança. Cadê esses jogadores Felipão? Levar apenas seis jogadores que já disputaram uma Copa do Mundo é uma irresponsabilidade sem tamanho.

Felipão, desde o dia em que você reassumiu o comando da seleção, sem merecer, só para constar, você já deveria ter isso bem claro. Onde estão os nossos medalhões? Esqueceu dos craques Kaká, Ronaldinho e Robinho? Ou tu, como você mesmo adora dizer, acha que com Oscar, Bernard e William a gente traz essa Copa? Só pode ser brincadeira, não é possível.

Enfim... Perderemos a Copa do Mundo e a culpa será sua por ter levado esse grupinho medíocre e sem experiência para a disputa do maior torneio de futebol do planeta.

Do jeito que o povo brasileiro é trouxa, vão acreditar nesse seu discursinho ridículo de que o Bernard tem alegria das pernas e não sei o que, não sei que lá e ainda torcer para você... Eu torço por você! Para que você se dê muito mal e aprenda que Copa se ganha com medalhão e não com moleques...

Não concorda? Então, tá lendo por que?

Veja mais:
+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!
+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

 

Publicado em 26/05/2014 às 00h05

Milionários, craques da seleção brasileira são um bando de meninos mimados

Neymar, Oscar, David Luiz, Fred e companhia estão prestes a passar pelo maior vexame de suas vidas. E vão arrastar todos nós brasileiros junto com eles quando a Copa do Mundo começar.

Esses moleques ricos, que ganham em um mês mais do que a maioria de nós não vai ganhar na vida, não passam de menininhos mimados que acumulam desastres por onde passam.

O que eles conquistaram no futebol até agora além de belas mulheres e milhares de dólares? Nada. A história mostra que essa turma atrapalhou muito, deu despesas gigantescas e só.

Pegue o Neymar, por exemplo. Está nos pés e na cabeça desse nenê de 22 anos boa parte dos sonhos da torcida brasileira. E quem entende o mínimo de futebol sabe que uma palavra define a primeira temporada dele na Europa: FIASCO.

Neymar conseguiu decepcionar todos. Torcida, jogadores, treinador. Fez até o Messi parar de jogar bola. E o que o nosso 'gênio' fez quando foi exigido nos momentos decisivos no até então melhor time do planeta? Amarelou.

O que falar de David Luiz e Oscar, então? Dois jogadores extremamente importantes da família Felipão afundaram o Chelsea, provavelmente o time mais rico do mundo. Nem Mourinho, melhor treinador em atividade no futebol, conseguiu salvar uma equipe que tem quatro dos nossos 23 convocados. Sim. Além dos dois citados, Felipão ainda inventou Ramires e Willian (quem?) como opções para aqueles jogos apertados.

Zero. Esse foi o número de títulos que essa legião brasileira de falsos craques deu para o Chelsea nessa temporada.

Pra finalizar, o cara que é conhecido como 'Don Fredón' (apelido criado por ele mesmo). Desde o ano passado, nosso homem gol só apareceu porque deu selinho em uma mulher no trânsito. Claro, se contundiu inúmeras vezes e fez seu Fluminense ser rebaixado em campo.

Enquanto essa molecada boba e inexperiente brinca e acumula vexames, os caras que deveriam carregar nossa seleção na Copa estarão em casa, vendo o torneio pela TV.

Kaká, Luis Fabiano, Robinho, Ganso, Pato, Felipe Melo, Miranda e Dedé: a piada já está pronta. A risada está garantida a partir do dia 12 de junho. Não concorda? Então tá lendo por quê?

Publicado em 23/05/2014 às 00h20

A seleção brasileira não tem ninguém para decidir. Nem Neymar

16 52 49 143 file A seleção brasileira não tem ninguém para decidir. Nem Neymar

Seleção brasileira favorita da Copa? Sem chance. Pense bem aqui comigo. O Brasil do Felipão – aquele mesmo que ele levou o Palmeiras para a Segunda - não tem nenhum jogador que possa decidir um jogo. Nem Neymar,  nosso mergulhador, o Aquaman de Barcelona, que não anda jogando nada ultimamente. Chamar a responsa, colocar a redonda embaixo do braço, estufar o peito e dizer: é comigo mesmo. Desisita, essa figura simplesmente não existe entre os convocados de Felipão.

Neymar, bem marcado, elementar meu caro Parreira, não vai resolver e o hexa vai para o para o espaço.

Na Copa das Confederações, Fred fez lá os seus gols, mas eu duvido que alguém acredite em seu poder de fogo Tudo bem... Aí você pode perguntar: “E o Paulinho?”. O volante do Tottenham teve uma carreira brilhante no Corinthians, mas no futebol inglês está deixando a desejar, não surpreende e nem assusta. Os torcedores do Tottenham preferem até aquele Sandro em seu lugar.

Nas laterais, há tempos que não surge alguém que realmente possa mudar o jogo. Então, prefiro nem mencionar o superestimado Daniel Alves e o esquentadinho Marcelo. Hulk, Oscar, Luiz Gustavo, Thiago Silva e David Luiz...Ainda restam esses entre os possíveis titulares de Felipão. E aí, você acredita que algum desses possa decidir um jogo? Se sim... Boa sorte! Acredite sozinho!

Até o Chile, que sempre levou porrada da seleção brasileira, tem mais jogadores decisivos. Isso porque Arturo Vidal é um dos melhores volantes do mundo e mostra isso com a camisa da Juventus, clube no qual já decidiu várias vezes e o meia Jorge Valdívia, que, mesmo com todo seu histórico de lesões, tem condições de achar um companheiro desmarcado e dar um passe de qualidade para ele decidir um jogo.

Por conta disso, se você brasileiro acha que pode ser campeão da Copa do Mundo, esqueça. Não tem ninguém nesse time para chamar a responsabilidade de sua.

Então tá lendo por quê?

Veja mais:
+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!
+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com