Sem dúvidas empreender tem sido o caminho profissional de muitos brasileiros atualmente, sobretudo em razão dos reflexos da crise econômica nos postos de empregos formais. Isso também se reflete na presença das diversidades no mercado de trabalho.

E para muitas pessoas com algum tipo de deficiência, começar o próprio negócio pode ser definitivamente uma ótima saída para gerar uma renda digna e também a satisfação profissional.

Não é atoa que o estímulo e a promoção do empreendedorismo é um dos comandos contidos na Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Lei nº 13.146/2015).

E esse foi o tema do Faça Parte dessa semana, no intuito de valorizar iniciativas empreendedoras que podem servir de motivação para quem começar o próprio negócio e ainda não colocou a mão na massa.

Thiago Helton conversando com um jovem que se comunica em libras. Um notebook esta em uma mesa entre os dois.

Na matéria dessa quarta (18) eu fui conhecer uma startup na capital mineira, liderada por um jovem surdo, que criou uma plataforma digital para quebrar as barreiras de acessibilidade comunicacional. A ideia é disponibilizar intérpretes de libras 24h por dia, fazendo tradução em tempo real, na tela de um computador ou smartphone. (Farei um post completo sobre essa plataforma em breve!)

Outro iniciativa que tem dado muito certo e que fizemos questão de valorizar é uma clínica de massoterapia criada por um casal de cegos empreendedores em Contagem/MG. Iniciativas que mostram que as diversidades tem espaço no mundo do empreendedorismo e que não existem limitações para as boas ideias.

Assista a matéria e compartilhe! Lembrando, qualquer sugestão de matéria, denúncias ou relatos sobre os interesses e direitos das pessoas om deficiência, envie para nossa equipe através do: e-mail: facaparte@recordminas.tv.br.