Brasil

4/2/2013 às 19h29

Dilma defende pacto entre as principais economias

"Medidas são essenciais para que economia internacional inicie processo de recuperação", disse

Agência Estado

A presidente Dilma Rousseff destacou nesta segunda-feira (4), em mensagem enviada ao Congresso Nacional, que a intensa atuação do Brasil no mundo e nos vários foros internacionais, frente ao cenário de persistente crise econômica mundial, tem buscado a defesa pela construção de um amplo pacto pela ação coordenada entre as principais economias.

— Este pacto deve incluir a necessidade de equilíbrio entre ajustes fiscais e os estímulos necessários para a retomada do crescimento; maior regulamentação do sistema financeiro e o estabelecimento de controles à guerra cambial; e a reforma das instituições financeiras multilaterais para aumentar a participação dos países emergentes, principais responsáveis pelo crescimento da economia mundial.

Segundo a presidente, "essas medidas são essenciais para que a economia internacional inicie um consistente e sustentado processo de recuperação, que afaste de vez o perigo de uma depressão mais longa, alimentada por políticas excessivas de austeridade e de contração dos investimentos e da demanda agregada".

Leia mais notícias no R7

Ela disse ainda que a ampliação do Mercosul é de fundamental importância para os interesses brasileiros no subcontinente, "que vêm se fortalecendo muito com a exitosa integração regional".

— No Mercosul e na Unasul, democracia e integração andam juntas. Enquanto aguardamos a pronta retomada da normalidade democrática no Paraguai, mantivemos nosso compromisso com o bem-estar do povo paraguaio, descartando medidas que dificultem nossos fluxos comerciais ou de investimentos com esse país vizinho.

Segundo Dilma, o fortalecimento da relação com os países vizinhos permanece como preocupação central.

Dilma destacou ainda, na mensagem ao Congresso, o crescente protagonismo internacional do País, que, segundo ela, "caminha pari passu com seus êxitos internos".

— O Brasil influencia pelo seu exemplo, pela qualidade ímpar de seu desenvolvimento recente e por seu compromisso com o multilateralismo e com construção de uma ordem internacional mais justa e simétrica. A política externa do Brasil espelha suas políticas internas de inclusão.

Ela afirma que a política externa brasileira em 2013 seguirá voltada para a construção da paz, a defesa dos direitos humanos, o aperfeiçoamento do convívio democrático e a promoção do desenvolvimento sustentável com justiça social.

  • Espalhe por aí:

Veja também

Todas as notícias
Publicidade
Compartilhe
Pechinchas

Leilão da PF vende caminhonete por R$10,5 mil e GM Omega por R$ 1,8 mil

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Esposa modelo

Conheça Letícia Weber, a mulher do senador e pré-candidato Aécio Neves

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Duro na queda!

Novos blindados do Exército resistem a explosões e atingem alvo a 2.000 metros

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Relacionamento

Amor na política: conheça os casais que se formam nos bastidores da vida pública

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
  • Últimas de Brasil

  • Últimas de Notícias

X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!