Small-house Faça do R7.com sua página inicial

SIM NÃO

Brasil

14/9/2013 às 00h30 (Atualizado em 14/9/2013 às 08h54)

Mesmo cassados, deputados podem manter plano de saúde da Câmara e convênios com Sírio e Einstein

Para ter as mesmas regalias, um trabalhador pagaria pelo menos o dobro que os parlamentares

Carolina Martins, do R7, em Brasília

Mesmo se perderem o mandato na Câmara, os deputados que foram condenados no processo do mensalão podem manter o plano de saúde da Casa e convênios com os melhores hospitais do País, como o Sírio-Libanês e o Albert Einstein em São Paulo (SP).

De acordo com o regimento da Câmara, os deputados em exercício podem se se associar ao plano de saúde dos funcionários, o Pró-Saúde, que tem cobertura familiar. A contribuição mensal é de R$ 249 por mês, mais 25% do valor da despesa médica.

Ex-deputados continuam tendo direito tanto ao atendimento gratuito no Demed (Departamento Médico) da Casa e, se já for optante e contribuinte do plano, pode manter o benefício — para continuar tendo acessos aos melhores hospitais. A diferença é que a contribuição passa para R$ 868 mensais.

Fotos: Barbosa já xingou jornalista, brigou com ministros e deixou Dilma no vácuo

Um trabalhador comum, que quiser ter um plano de saúde tão bom quanto o dos deputados, precisa desembolsar pelo menos o dobro desse valor todos os meses.

Leia mais notícias de Brasil e Política

Com atendimento VIP, medicina de ponta e muito conforto, Sírio-Libanês conquista políticos brasileiros 

A reportagem R7 fez um levantamento em três operadoras que estão no ranking das dez melhores da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar). Um plano empresarial para um homem de 60 anos, que é a média de idade dos deputados condenados, com cobertura no Sírio-Libanês e no Albert Einstein, assim como o convênio dos parlamentares, não sai por menos de R$ 1.700 por mês.

Os planos com cobertura semelhante ao dos deputados são sempre os mais caros. Dependendo da operadora, a mensalidade pode chegar a R$ 2.879.

No entanto, parlamentares condenados por crimes como corrupção, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro conseguem atendimento hospitalar de luxo pagando 48% menos, se forem cassados.

Se não perderem o mandato, o “desconto” é ainda maior. Caso permaneçam deputados, a mensalidade do plano da Câmara é 85% mais barata que no mercado.

Plano vitalício

Os deputados têm três opções quando precisam de algum serviço hospitalar: podem realizar consulta no Departamento Médico da Câmara; procurar um especialista particular e pedir o ressarcimento pela consulta; ou pagar o Pró-Saúde.

No caso do Demed, o caráter é vitalício. Ex-deputados, mesmo que tenham sido cassados, e suplentes, independentemente do tempo que tenham exercido o mandato, podem ser atendidos gratuitamente pelo departamento médico da Câmara para o resto da vida, assim como os cônjuges e os filhos.

Se o Departamento Médico não oferecer a especialidade que o parlamentar precisa, ele pode procurar um profissional de sua preferência, no Brasil ou no exterior, e depois apresentar o recibo médico para ser ressarcido. Mas, nesse caso, o benefício é somente para o parlamentar — não abrange familiares — e o reembolso não é total.

Em 2012, a despesa para ressarcir deputados que usaram atendimento médico particular foi de R$ 1,4 milhão.

  • Espalhe por aí:

Veja também

Todas as notícias
Publicidade
Compartilhe
Compartilhe
Pechinchas

Leilão da PF vende caminhonete por R$10,5 mil e GM Omega por R$ 1,8 mil

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Esposa modelo

Conheça Letícia Weber, a mulher do senador e pré-candidato Aécio Neves

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Duro na queda!

Novos blindados do Exército resistem a explosões e atingem alvo a 2.000 metros

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Relacionamento

Amor na política: conheça os casais que se formam nos bastidores da vida pública

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
  • Últimas de Brasil

  • Últimas de Notícias

X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!