R7 - Notícias

Buscar no site
Eu quero um e-mail @R7
Esqueci minha senha

27 de Maio de 2016

Você está aqui: Página Inicial/Notícias/Brasil/Notícias

Icone de Brasil Brasil

publicado em 20/03/2012 às 12h09:

Dilma lança programa para melhorar educação nas áreas rurais

Pronacampo vai atender escolas do campo e quilombolas

Marina Marquez, do R7, em Brasília

Publicidade

A presidente Dilma Rousseff lançou nesta terça-feira (20) o Pronacampo (Programa Nacional de Educação do Campo) para dar mais atenção à educação nas áreas rurais. A ideia do programa é que os estudantes das áreas rurais tenham as mesmas condições de estudo de quem vive nas cidades.

O Pronacampo é um programa conjunto do MEC (Ministério da Educação) e do MDA (Ministério do Desenvolvimento Agrário).

Hoje, cerca de 6,5 milhões de estudantes estudam em escolas rurais, em cerca de mil municípios que convivem com condições de pobreza aguda e dificuldades de acesso, por exemplo. Para se ter uma ideia, 15% das escolas rurais não possuem energia elétrica, 10,4% não têm água potável e 14,7% não têm nem esgoto sanitário.

Leia mais notícias do R7

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, reforçou que o programa vai ser voltado para o campo, com as particularidades das áreas rurais.

- Hoje o jovem vê na televisão uma realidade predominantemente das cidades e chega na escola e o material didático é o mesmo e não tem nada a ver com o que ele vive. Temos que valorizar a cultura e a tradição no campo.

O programa prevê construção e reforma de escolas, qualificação de professores e a criação de grades curriculares e disciplinas específicas, adaptadas à realidade dos estudantes que vivem na zona rural.

O objetivo do Programa é oferecer apoio técnico e financeiro aos Estados, Distrito Federal e municípios para implementação da política de educação do campo, atendendo escolas rurais e quilombolas.

Situação no campo

Segundo o Ministério da Educação, no campo, 23,18% da população com mais de 15 anos é analfabeta e 50,95% não concluiu o ensino fundamental.        

Atualmente, 40,7% das escolas brasileiras estão nas áreas rurais ou 76 mil escolas, isso inclui quilombolas, indígenas e escolas em zonas rurais, segundo o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais). No entanto, apenas 12,48% do total de matrículas da escola básica (6,2 milhões) são nas áreas rurais. Só nos último cinco anos 13.691 escolas no campo foram fechadas.

A taxa de abandono escolar também é maior nas áreas rurais. No ensino fundamental, 4,7% dos alunos de escolas rurais abandonaram a escola em 2010, enquanto nas cidades, esse percentual atingiu 2,9% do total de estudantes. No ensino médio a diferença é menor. Ao todo, 11% dos estudantes das áreas rurais abandonaram os estudos, enquanto 10,2% dos alunos nas áreas urbanas deixaram de estudar.

Eixos

O Pronacampo está dividido em quatro Eixos: Gestão e Práticas Pedagógicas; Formação de Professores; Educação de Jovens e Adultos e Educação Profissional e Tecnológica; e Infraestrutura Física e Tecnológica, com metas previstas para o período 2012-2014.

Mais de 3 milhões de estudantes receberão material didático relacionado à realidade do campo por meio do Programa Nacional do Livro Didático. Já o programa Mais Educação oferecerá atividades de acompanhamento pedagógico, práticas vinculadas a agroecologia, iniciação científica, direitos em humanos, cultura e arte popular, esporte, lazer, memória e história das comunidades tradicionais. A meta é atender 10 mil escolas com educação integral até 2014. 

Professores

A formação de professores também receberá atenção especial, com oferta de aperfeiçoamento para professores do campo e de escolas quilombolas. Além disso, o Pronacampo apoiará a oferta de formação inicial, continuada e pós-graduação para professores, gestores e coordenadores pedagógicos que atuam na educação básica do campo.

Hoje são 342.845 professores no campo, sendo que apenas 182.526 têm curso superior. Para mudar essa realidade o programa vai oferecer  cursos de licenciatura em educação do campo pelas instituições públicas de ensino superior.

Adultos

Para desenvolver a educação de jovens e adultos e a educação profissional e tecnológica, o governo federal pretende expandir a oferta de cursos voltados ao desenvolvimento do campo nos institutos federais. O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego Campo apoiará a inclusão social dos jovens e trabalhadores do campo. Para isso, serão dedicadas 120 mil bolsas de estudo do Pronatec Campo.

O quarto eixo do Pronacampo, que trata da infraestrutura física e tecnológica das escolas, apoiará a construção de 3 mil escolas e a aquisição de 8 mil ônibus escolares até 2014. O governo também vai fornecer 180 mil bicicletas e capacetes e 2 mil lanchas para o transporte dos alunos.

Além da estrutura física, o Pronacampo promoverá a educação digital e o uso pedagógico da informática nas escolas do campo e quilombolas por meio da instalação de recursos digitais em 20 mil escolas até 2014.

 

Veja Relacionados:  Pronacampo,Dilma,educação,MEC,Mercadante,analfabetismo,escola
Pronacampo  Dilma  educação  MEC  Mercadante  analfabetismo  escola 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!

 

 


Shopping