R7 - Notícias

Buscar no site
Eu quero um e-mail @R7
Esqueci minha senha

24 de Julho de 2014

Você está aqui: Página Inicial/Notícias/Brasil/Notícias

Icone de Brasil Brasil

 

publicado em 21/09/2011 às 11h01: atualizado em: 21/09/2011 às 11h25

Em abertura na ONU, Dilma diz que “século será das mulheres” e pede união dos países contra a crise

Presidente defendeu criação do Estado Palestino e vaga do Brasil no Conselho de Segurança

Do R7


Publicidade

A presidente Dilma Rousseff abriu, nesta quarta-feira (21), a 66ª Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova York, e ressaltou que é a primeira “voz feminina” a inaugurar os debates que reúnem mais de 190 líderes mundiais todos os anos. A presidente também concentrou seu discurso na crise econômica mundial. O evento foi transmitido ao vivo no R7 pela Record News.

- Tenho certeza que esse século será o das mulheres.

Balaio do Kotscho: Dilma está fazendo bonito em Nova York

Dilma defende Estado Palestino na ONU

Dilma lembra que foi torturada para defender a democracia

Acompanhe a cobertura completa da Assembleia da ONU

Leia mais notícias do R7

Depois de muito aplaudida, Dilma deixou de lado o tema mulheres e começou a falar sobre a crise econômica que atinge principalmente os países da Europa e os Estados Unidos. A presidente disse que não haverá retomada de crescimento econômico enquanto não forem coordenadas as ações dos países e órgãos.

- A crise é séria demais para ser administrada por poucos países.

Em mais de uma oportunidade, Dilma defendeu união.

- Nunca o destino do mundo esteve nas mãos de todos os seus governantes, ou nos unimos todos e saímos vencedores, ou sairemos derrotados. 

Em seguida, a presidente disse que o Brasil está pronto para assumir suas responsabilidades como membro permanente do Conselho de Segurança, reivindicação antiga do país.

- Cada ano que passa, mais urgente se faz uma solução para a falta de representatividade do Conselho de Segurança da ONU. [...] O tema já entra em 18º ano. Não é possível, senhor presidente, protelar mais.

Ela pediu ainda que o conselho incorpore não só o Brasil, mas também novos membros permanentes e não permanentes.

A presidente defendeu ainda a criação do Estado Palestino e afirmou que apenas uma Palestina livre e soberana poderá trazer a paz duradoura.

- É chegado o momento de termos a Palestina como representado aqui.

A viagem

A viagem de Dilma Rousseff aos Estados Unidos é a primeira de seu mandato e já estava prevista desde a visita do presidente Barack Obama ao Brasil, em março deste ano.

Em Nova York, Dilma já teve, na última terça-feira (20), encontros bilaterais com Obama e com o presidente do México, Felipe Calderón. Amanhã, além de discursar na ONU, ela vai se reunir com os chefes de Estado da França, da Grã-Bretanha, do Peru e da Colômbia e com o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon.

Na segunda-feira (19), em sua primeira fala durante um debate na ONU, a presidente disse que a saúde da mulher é prioridade em seu governo.

Outras assembleias

As assembleias gerais da ONU acontecem desde 1945, quando a organização foi criada, e a primeira sessão especial foi aberta em 1947 por um diplomata brasileiro. Desde então, cabe ao país iniciar os encontros, por ter sido o primeiro membro das Nações Unidas.


Veja Relacionados:  dilma, onu
dilma  onu 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!

 

 


Shopping