R7 - Notícias

Buscar no site
Eu quero um e-mail @R7
Esqueci minha senha

22 de Novembro de 2014

Você está aqui: Página Inicial/Notícias/Brasil/Notícias

Icone de Brasil Brasil

 

                                                      
publicado em 01/01/2011 às 06h53:

Homem-forte do governo Cabral, vice Pezão
assume hoje para mais quatro anos de mandato

Vice-governador assumiu a linha de frente das obras do PAC e em momentos de crise

Mariana Costa, do R7

Publicidade

Conhecido pela sua discrição e fidelidade a Sérgio Cabral, Luiz Fernando Pezão, de 55 anos, vice-governador do Rio de Janeiro, é para muitos o verdadeiro gestor e principal executivo do governo do Estado.

Apontado como quem mais entende dos meandros da política fluminense, foi responsável pela articulação entre os prefeitos do interior do Estado durante a campanha vitoriosa de Cabral, reeleito no primeiro turno em outubro com 66% dos votos.

Nascido em Piraí, no sul fluminense, foi prefeito de sua cidade natal por dois mandatos, entre 1996 e 2004, e chegou a presidir a Associação dos Prefeitos do Estado do Rio de Janeiro, daí o bom trâmite no cenário político do interior.

Além de parceiros políticos (ambos são do PMDB), Cabral e Pezão são amigos pessoais e se conhecem há quase 30 anos.

Em 2006, Pezão foi eleito vice-governador na chapa de Sérgio Cabral, entre 2007 a 2010, cargo que acumulou, durante boa parte do tempo, com a Secretaria Estadual de Obras.

Atuou ativamente na execução das obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e participou do planejamento da segunda etapa de intervenções do governo federal no Estado, o PAC-2.

Para adversários e aliados, é o verdadeiro homem forte por trás do governo Cabral.

Em abril de 2009, Pezão completou cem dias de governo, graças às viagens internacionais do governador. 

Assumiu a linha de frente em vários momentos de crise, como na tragédia que causou a morte de 53 pessoas em Angra dos Reis, em 31 de dezembro de 2009.

Na época, Pezão foi uma das primeiras autoridades a chegar ao local, por volta das 8h do dia seguinte aos deslizamentos causados pela chuva. Cabral, que havia passado o Réveillon a poucos quilômetros dali, em Mangaratiba, só foi até lá dois dias depois, após uma enxurrada de críticas da imprensa sobre a ausência do governador diante da magnitude do desastre.

Também esteve à frente do governo em março de 2008, quando eclodiu a epidemia de dengue. Meses depois, em junho, Pezão era o governador em exercício quando foi divulgada a informação de que repórteres do jornal "O Dia" tinham sido torturados numa favela da zona oeste.

 


 
Veja Relacionados:  Homem-forte, Cabral, Pezão
Homem-forte  Cabral  Pezão 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!

 

 


Shopping