Polícia Federal analisou carne de apenas uma empresa em dois anos de investigação, diz jornal

Segundo jornal Folha de S.Paulo, só uma amostra da Peccin Agro Industrial foi periciada

Do R7

Polícia Federal deflagrou a operação Carne Fraca na sexta-feira (17) Fabio Rodrigues-Pozzebom/Agência Brasil

Nos dois anos de investigação da Operação Carne Fraca, deflagrada na última sexta-feira (17)a Polícia Federal periciou amostra de alimentos produzidos por frigoríficos em apenas um caso. Segundo o jornal Folha de S.Paulo, só produtos da Peccin Agro Industrial, responsável pela marca Italli, foram para testes em laboratórios.

Segundo a PF, foram identificados o uso de carnes estragadas na composição de salsichas e linguiças, uso de substâncias para disfarçar a deterioração dos alimentos, falta de rotulagem e refrigeração.

Ainda de acordo com a Folha, a Peccin nega as irregularidades. O ministro da Agricultura, Blairo Maggi questionou a parte técnica da investigação, dizendo que práticas consideradas irregulares são, na verdade, permitidas pela lei.

Veja também: Operação Carne Fraca foi exagerada e irresponsável, diz ex-ministro da Agricultura

A Polícia Federal investigou cerca de 40 empresas. Na sexta-feira, o delegado responsável, Maurício Moscardi Grillo, chegou a dizer que em todas elas "tinham problemas sérios".

— É possível que a gente tenha consumido produtos de baixa qualidade, no mínimo. Senão estragada, de qualidade inferior àquela que deveria ter sido fornecida.

  • Espalhe por aí:

Twitter

X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!