Você está aqui: Página Inicial/Notícias/Carros/Notícias

NOTÍCIAS  

Publicado em 12/01/2012 às 13h40

Conheça o Schwimmwagen, o carro
anfíbio de Hitler que virou joia de coleção

Modelo foi utilizado na Segunda Guerra Mundial para atravessar rios e lagos

Schmi 1 GAntigo Motors

Schwimmwagen foi o primeiro carro anfíbio feito em grande escala na Europa


Confira Também
Do R7, com Webmotors (Antigo Motors/Fernanda Lopes)

Enchentes são, em parte, tragédias previsíveis. Todo ano chove, e muito, nos primeiros meses, mas nunca são vistas ferramentas ou máquinas diferenciadas que ajudem as pessoas nesses momentos. É irresistível propor a releitura de um carro anfíbio para essas ocasiões. Assim, a matéria de hoje relembra um antigo de guerra, o Schwimmwagen, um carro anfíbio alemão.

Veja as gatas do Salão de Detroit

O atual proprietário deste exemplar começou a trabalhar como borracheiro ainda muito jovem. Um dos primeiros pneus que consertou foi o deste anfíbio.

Progrediu profissionalmente e financeiramente à medida que o tempo passava. Por 35 anos o carro ficou em sua cabeça, até que, por circunstâncias do destino, o dono estava num impasse entre vender ou não o exemplar. Era chegada a hora. Aquele jovem estava em condições de ajudar e partiram para a negociação. Por incrível que pareça, o carro estava apenas a 300 metros de sua residência durante todos esses anos.

- À primeira vista, o carro estava uma tristeza só.

Ficava coberto com plástico preto, perto da represa Billings, em São Bernardo do Campo (SP). Mas tudo logo mudou. No início, novo e antigo dono se tornaram sócios e começaram a restauração. Até que o outro meio proprietário precisou trocar de carro e vendeu a parte no empreendimento. Hoje, esse carro de guerra é figura das mais ilustres em eventos e exposições no Estado de São Paulo, e os visitantes sempre tiram fotos com o modelo histórico.

Schmi 2 G

Eficiente em rios e lagos, carro nunca foi testado durante enchentes (Divulgação)

Na Alemanha de Hitler, Ferdinand Porsche idealizou o carro do povo, que anos mais tarde se popularizou por essas bandas tropicais como Fusca. A ideia era manter a base e, ao mudar o restante, obter diversos outros veículos. Nos tempos da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), isso foi providencial. Desse princípio surgiu o primeiro carro anfíbio feito em escala na Europa, de 1942 a 1944.

Desenhado para terrenos alagadiços, foi considerado muito eficiente para atravessar rios e lagos. Fica a dúvida se serviria para enchentes, também. O projeto final pertence a Ferry Porsche, filho do mestre, a pedido da tropa alemã, que aperfeiçoando o modelo chegou a um carro nadador com certa capacidade de carga. Contava com uma hélice na parte traseira, que ficava virada para cima quando não estava em uso. Quando exigida, encaixava-se num prolongamento do virabrequim.

Os motoristas do carro anfíbio recebiam treinamento especial para evitar vícios de direção. A função de leme cabia às rodas dianteiras e, para parar o veiculo, não adiantava pisar no freio. Havia remos em caso de parada inesperada.

Estima-se que, das 14.283 unidades fabricadas, apenas 150 estejam em bom estado e plenamente funcionando em todo mundo. No Brasil, há três exemplares.