Você está aqui: Página Inicial/Notícias/Carros/Notícias

NOTÍCIAS  

Publicado em 18/12/2012 às 01h30

Demora, descaso e esperança marcam as vendas dos primeiros Hyundai HB20

Interessados pelo hatch enfrentam meses de espera e escassez de acessórios

HB20Divulgação

Visual ousado, acabamento acima da média e bom desempenho. Interessou? Então melhor se preparar

Veja mais fotos do HB20

 
Rodrigo Ribeiro, do R7

O ano de 2012 ficou marcado pelo lançamento do novo Ford EcoSport e do Chevrolet Onix, mas nenhuma carro foi tão falado quanto o HB20. Inversamente proporcional à seu diminuto nome, a fama do primeiro Hyundai popular brasileiro provocou uma invasão aos concessionários da marca, que foram divididos em dois grupos: revendas exclusivas do HB20 e outras voltadas para os carros importados da empresa, mas que também revendem o hatch fabricado em Piracicaba (SP). Em comum em todas elas uma longa lista de problemas enfrentados por quem quis colocar um HB20 em sua garagem.

Os relatos são concentrados em sites, redes sociais e fóruns de discussão, sendo o maior deles o HB20 Clube, que reúne quase 1,7 mil membros. Entre eles está Igor Paiola,  que reservou um modelo 1.6 Comfort Style há mais de um mês.

— Eu entendo que a HMB está enfrentando uma demanda elevada pelo carro, mas se a meta da empresa é crescer no mercado eles precisam se preparar melhor.

Entre as principais críticas dos interessados pelo modelo está no atendimento ruim de alguns concessionários e da venda casada. Há casos de vendedores declarando que o emplacamento e o licenciamento do carro devem obrigatoriamente ser feitos na revenda. Questionado por R7 Carros, Maurício Jordão, gerente de relações públicas da HMB, repudiou tal postura por parte dos concessionários.

— Nós instruímos a todos os revendedores a não cobrar ágio ou impôr serviços opcionais na venda do carro ao consumidor. Caso um cliente enfrente essa situação pedimos que notifique o quanto antes a Hyundai Motors do Brasil através de nosso SAC (0800-7703355) para que possamos advertir e, se necessário, punir a revenda que cometa tal infração.

A venda de um produto condicionada à outro produto ou serviço é proibida pelo Artigo 39 do Código de Defesa do Consumidor. Porém mesmo o impedimento legal parece não convencer alguns revendedores, como o analista de seguros Alexandre Rodrigues, 34, que ouviu informações errôneas do vendedor.

— Mesmo falando para ele que era proibido obrigar o licenciamento e o emplacamento à venda do carro, ele afirmou que essa era a condição para fecharmos negócio.

Os problemas, contudos, mostram-se pontuais e variam até mesmo dentro de uma mesma revenda, como detalha Alexandre.

— Uma semana depois voltei à mesma loja e conversei com outro vendedor, que foi muito atencioso, apesar do prazo de entrega ainda ser elevado e chegar a 90 dias.

Há quem tope esperar pelo carro, como o advogado Fernando Valle, que recebeu o carro há menos de um mês.

— Li muitas recomendações positivas sobre o carro, cuja garantia de cinco anos foi outro atrativo para levá-lo para casa.

HB20
Fernando Valle já recebeu seu HB20, e espera apenas um adaptador para o som (Crédito: Daia Oliver/R7)

Mas nem sempre a saga por um HB20 termina com um final feliz. A espera interminável e prorrogada indefinidamente por alguns concessionários provocam uma demandada de ex-futuros-donos do compacto.

Leia mais: Demora na entrega no HB20 gera onda de desistentes

Consumidores que já estão com seu carro em mãos promovem uma enxurrada de elogios, mas problemas pontuais e falta de explicações na apresentação do carro ocasionam alguns descontentamentos, como o enfrentado pelo analista de sistemas Tiago Pontes, de 28 anos.

— Quando comprei o carro notei que de série a versão que escolhi vinha com rede e ganchos no porta-malas, o que não ocorreu quando eu retirei meu HB20 da concessionária. O vendedor falou que aquilo era opcional, e notei que a HMB retirou a menção dos equipamentos do site.

Em nota a HMB informa que “A especificação original informava que alguns acabamentos seriam “em metal”, o que pode ter levado alguns clientes a entender que se tratava de acabamento cromado. Identificamos esse mal entendimento e modificamos a descrição para “pintadas na cor prata”. Em nenhum momento foi alterada a configuração do veiculo, as peças sempre permaneceram as mesmas.”

Parada compulsória
Pior do que esperar pelo carro, só ter que aguardar por suas peças. Foi o que aconteceu com a advogada Patrícia Scardilhi, cujo HB20 Comfort Plus teve seu vidro estourado em uma tentativa de furto. Na ocasião ela descobriu que o alarme do hatch não é volumétrico (que dispara caso haja invasão do habitáculo).

— Depois disso pensei em um colocar um alarme fora da concessionária, mas tenho medo de perder a garantia por causa disso.

O prejuízo da advogada foi considerável, abrangendo o estepe e o vidro lateral traseiro. O reparo do componente foi feito na concessionária Future, em Bragança Paulista (SP), por R$ 107. Porém Patrícia precisou esperar dez dias para poder voltar a rodar com seu carro, tempo necessário para que a loja recebesse o vidro.

Em nota a HMB afirma que “todas as concessionárias foram abastecidas com um pacote bastante amplo de peças, incluindo vários itens de funilaria” e destaca que conta com um estoque de 3.000 componentes em seu depósito de Rio das Pedras (SP).

Silêncio dos inocentes
Com o carro reparado, Patrícia ainda enfrenta outra dificuldade: colocar um sistema de som de sua preferência no HB20

— Não tem a frente que permite a colocação de um aparelho sem ser original. É como você fosse obrigado a instalar o som dele.

A ausência de adaptadores e o projeto do painel impede que um aparelho comprado em uma loja de acessório seja instalado no HB20

Leia mais: sem peças no mercado paralelo, donos do Hyundai HB20 ficam sem som no carro

A falta de equipamentos e acessórios se dá pela chegada recente do HB20 ao mercado e começou a ser sanada apenas neste mês, como a própria HMB explicou em nota, afirmando que "a rede de concessionárias Hyundai já conta com kits de áudio para essa adaptação ao gosto do cliente."

Contudo R7 Carros questionou dez concessionárias em São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte e nenhuma dela soube informar da existência e preço dos componentes. Os adaptadores eram oferecidos apenas em lojas de som tradicionais, com preços variando de R$ 325 a R$ 550 (sem incluir o rádio).

A Hyundai também promete intensificar a fiscalização de seus concessionários e agilizar a entrega de seus carros. Tudo para diminuir (e, em breve, sanar) a maior fonte de reclamações do HB20: a longa lista de espera. Porém com produção limitada e lançamento de mais dois produtos em 2013 (o HB20X e a versão sedã do compacto), interessados pelo hatch mais falado de 2012 ainda precisarão ter muita paciência para ter um HB20 na garagem.