Você está aqui: Página Inicial/Notícias/Carros/Notícias

NOTÍCIAS  

Publicado em 11/07/2011 às 06h00

É fácil conviver com um
Chevrolet Camaro? O R7 testou

Muscle car da montadora americana custa R$ 185 mil; veja o que você ganha com isso

Chevrolet Camaro 1Divulgação

Para ter um Camaro amarelo ou branco, você vai ter que esperar cerca de três meses na fila

Veja mais fotos

Confira Também
Lucas Bessel, do R7

Quando passei por um cruzamento na região do Butantã, zona sudoeste de São Paulo, e um grupo de meninas soltou gritinhos animados, tive a exata noção do que seriam os cinco dias seguintes. Andar por aí em um Chevrolet Camaro SS (R$ 185 mil) é ser promovido a celebridade instantânea.

OUTROS DESTAQUES DE JULHO/2011
>> Carros envelopados invadem as ruas brasileiras
>> Mitsubishi ASX é da cidade, mas vai para o mato
>> Conheça a Harley-Davidson do Capitão América

Veja mais fotos do Chevrolet Camaro SS

Mude jeito de dirigir e economize R$ 1.700

Poucos carros vendidos no Brasil atualmente têm uma imagem tão forte e são tão facilmente reconhecidos na rua. Se o Camaro for amarelo com listras pretas, uma exata cópia do Bumblebee de Transformers, as reações são ainda mais empolgadas. Visual matador, motor potente - trata-se, afinal, de um V8 6.2 com 406 cv - e atitude de sobra fazem desse muscle car um bem de consumo desejado e admirado.

O Camaro SS, no entanto, é "apenas" um carro. E, como todo carro, tem suas particularidades, qualidades e defeitos. Minha missão era descobrir se é fácil conviver com o grandalhão, tanto do ponto de vista prático - consumo, conforto e segurança - quanto do ponto de vista pessoal. Como é ser constantemente observado em todos os lugares?

Banheirão voador
O modelo esportivo da Chevrolet é largo. Muito largo. São quase 2,10 m de lado a lado. Para se ter uma ideia, o SUV grandalhão Hyundai Veracruz tem 1,90 m nessa mesma dimensão. No primeiro momento, essa característica "banheirona" deixa o motorista receoso, mas é surpreendente quão rápido o cérebro se adapta a calcular as distâncias com mais folga. Durante os cinco dias de teste, o único momento em que a largura do carro realmente incomodou foi na hora de parar na garagem do prédio. No shopping center, entretanto, as vagas são maiores, e deixar o Camaro por ali foi bem tranquilo.

A característica de carro grande e pesado (1.790 kg) é mais sentida na hora de fazer curvas. O Camaro SS não é um primor de estabilidade, e sua carroceria tende a rolar mais do que seria confortável em velocidades altas. Nesse ponto, o Chevrolet é fiel aos muscle cars da década de 1960: é rápido, tem cara de mau e não faz curvas direito. Ele nasceu para acelerar em linha reta.

E quando o Camaro SS acelera, o motorista se esquece de todo o resto. Posso dizer que 56,7 kgfm de torque a 4.000 rpm é muito. Mas, para dimensionar isso, imagine a seguinte cena. Você está parado no semáforo em uma pista de três faixas. Seu carrão é o primeiro da fila. A luz fica verde e você afunda o pé. Enquanto a cabeça cola no encosto do banco, o friozinho toma conta da barriga e o rugido selvagem do V8 entra pelos ouvidos, você olha no retrovisor e vê os outros carros lá atrás, como se estivessem parados. Não estão, mas parecem. Zero a 100 km/h: 4,8 s. Só fique esperto com os freios a disco ventilado, que não são tão efetivos assim.

Camaro 2
Visual invocado, motor absurdo e atenção instantânea: dono do Camaro ganha tudo isso (Divulgação)

Cirurgia plástica
Mesmo parado, no entanto, o Camaro SS é um fenômeno. Fenômeno de popularidade, é claro. Em um sábado, paro na farmácia, compro um xarope e, quando volto, meia dúzia de pessoas estão ao redor do carro, duas delas tirando fotos.

- É seu, esse Camaro?

Pergunta tentadora. A vontade de responder sim e pagar de gatão é grande, então saio com uma gracinha.

- É temporariamente meu.

Piada péssima. Ninguém entendeu, é claro.

A audiência e as fotos se repetem em outros lugares. Na padaria, em frente ao prédio, na casa do sogro. Para quem não está acostumado a ser o centro das atenções, chega a ser constrangedor. Quando saio para jantar com minha mulher e entrego o carro no vallet, vejo que o manobrista tira um SUV qualquer que estava parado em frente ao restaurante e coloca o Camaro no lugar. Sinto-me meio idiota por pagar preço de estacionamento e ficar com o carro na rua, mas entendo a motivação marqueteira da coisa.

Um amigo, que ficou bastante feliz por ganhar uma carona até sua casa, se saiu com uma boa analogia para o fenômeno.

- Camaro é bem melhor que cirurgia plástica. O cara se sente muito bonito.

Pé no chão
Quando me perguntam se não sinto medo de assalto ou sequestro por estar em um carro tão vistoso, respondo com convicção.

- O carro chama tanta atenção que o bandido ficaria com receio diante de tantos olhares.

Sei lá se a cabeça do meliante funciona assim. Mas, se um sequestro de fato rolar e você for jogado no porta-malas, saiba que o Camaro SS tem um dispositivo que permite a abertura da tampa por dentro (veja foto abaixo).

Apesar de minha relativa tranquilidade diante do cenário de potenciais crimes, essas questões me trazem de volta ao mundo real, que fica ainda mais duro quando paro para abastecer o "Camarão". Encher o tanque de 71 litros com gasolina premium - a única verdadeiramente adequada ao carro - custa quase R$ 200. E o precioso líquido some na mesma velocidade com que o Camaro acelera: o computador de bordo marca consumo de 4,8 km/l (de gasolina, lembre-se).

Portanto, além das retas longas e das fachadas de restaurantes chiques, o lugar onde o Camaro SS fica mais à vontade é ao lado da bomba do posto de combustíveis. Café pequeno para quem paga R$ 185 mil em um carro? Provavelmente.

Camaro montagem
Do alto, no sentido horário: garagem do prédio, posto de gasolina, shopping e dispositivo antissequestro

Um carro do coração
Racionalizar, usar a cabeça, fazer contas e pesar prós e contras não é prudente quando se fala de um muscle car. Não é diferente no caso do Camaro. Pelo preço de um apartamento, o que você leva é o motor apaixonante, o visual arrasador, a popularidade de uma estrela e a emoção que só um zero a 100 km/h em 4,8 s pode proporcionar. Para quem valoriza esses aspectos, poucas opções são tão vantajosas quanto o carrão da Chevrolet.

Porque, se você parar para analisar muito, logo vai perceber que o Camaro SS tem materiais internos de nível similar aos do pobrezinho Celta. Alguns dos encaixes do painel são quase amadores. A faixa amarela que cobre parte do plástico escuro ameaça se soltar em vários pontos. A direção mais pesada, tão desejada em velocidades altas, torna o ato de manobrar o carro uma tarefa e tanto. Tecnologia, luxo, acabamento e sofisticação que você encontra em Mercedes-Benz, Audi e BMW definitivamente não estão aqui. Se isso é importante para você, esqueça o Camaro.

Agora, se o que você busca é transformar seu rico dinheirinho em diversão, considere o muscle car da Chevrolet como uma das melhores opções - entre as poucas disponíveis no mercado brasileiro. Se algum amigo vier dizer que você fez bobagem, é possível apresentar ao menos uma conta racional: o Camaro SS custa R$ 455 por cavalo de potência. Nessa mesma comparação, um VW Gol Rallye (104 cv), que também é amarelo com listras pretas, custa R$ 388. Pouco a menos, e não tem nem ar-condicionado de série.

Veja mais fotos do Chevrolet Camaro


 

Comentários sobre a Notícia

Topo

Comentários