Cidades

28/7/2013 às 07h52 (Atualizado em 28/7/2013 às 15h04)

Caso Tayná: Ministério Público cancela depoimento de policiais acusados de torturar suspeitos

Quatro homens foram presos suspeitos da morte, mas afirmam que só confessaram sob tortura

Do R7, com Jornal da Record

Tayná Adriane da Silva, de 14 anos, foi estuprada e morta em um parque de diversões no Paraná Reprodução Facebook

O Ministério Público cancelou os depoimentos dos policiais acusados de torturar os suspeitos de matar a adolescente Tayná na região metropolitana de Curitiba (PR). Em um vídeo, um dos suspeitos conta como a vítima teria sido morta.

O delegado Silvan Pereira, que teria comandado as seções de tortura, chegou para o depoimento com uma camiseta que mostrava a foto de Tayná. Mas ele e os outros nove policiais civis presos suspeitos das agressões saíram sem falar nada. O advogado Cláudio Dalledone informou que eles só dariam um depoimento escrito, e o Ministério Público queria gravar.

Uma gravação mostra o primeiro depoimento de um dos funcionários do parque suspeitos de matar Tayná Adriane da Silva, de 14 anos. O vídeo foi feito dois dias depois que a adolescente desapareceu. Sem nenhuma lesão aparente, ele conta como a vítima teria sido morta. No depoimento, Sérgio Amorin Silva fala que teria mantido relações sexuais sem o consentimento da vítima e que outro funcionário teria matado a garota.

Leia mais notícias de Cidades

Os quatro funcionários suspeitos pela morte da adolescente dizem ter confessado o crime depois de sessões de tortura. Eles foram presos e depois liberados por falta de provas. Um guarda municipal, que também é suspeito de tortura, confessou as torturas ao Ministério Público. Ele contou que bateu nos funcionários do parque por revolta depois que eles confessaram o crime brutal.

O Ministério Público terminou a fase de investigação. Na semana que vem, deve apresentar a denúncia à Justiça. Mas o promotor do caso não tem dúvida de que houve tortura.

Relembre o caso

As investigações sobre a morte de Tayná tiveram grandes reviravoltas. Quatro homens foram presos suspeitos da morte, mas disseram que só confessaram o crime porque foram torturados. Eles relataram que levaram choques, chutes e foram obrigados a fazer sexo entre si na frente e a pedido de um militar.

Um exame comprovou que o sêmen achado no corpo dela não pertencia a nenhum dos envolvidos e o resultado vazou. Os suspeitos foram soltos a pedido do Ministério Público. Além das denúncias de tortura, a polícia ainda investiga quem matou a jovem, achada no dia 27 de junho.

Catorze policiais, entre eles um delegado, foram presos suspeitos de tortura. Os espancamentos foram confirmados após exame de corpo de delito realizado por uma comissão da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil).

O governo do Paraná informou que Marcus Vinícius Michelotto deixou o cargo de delegado-geral da Polícia Civil do Estado na última segunda-feira (22). O novo delegado-geral é Riad Braga Farhat, que respondia pelo Denarc (Divisão Estadual de Narcóticos). Não foi esclarecido se Michelotto quis deixar o cargo ou foi afastado. Ele disse apenas que se trata de uma “oxigenação, novos rumos e novos desafios”.

Mais uma morte

O corpo de uma jovem identificada como Jennifer Priscila de Oliveira, 20 anos, foi encontrado próximo ao parque de diversões em Colombo, cidade do Paraná, onde a jovem Tayna da Silva, de 15 anos, também foi achada sem vida.  

Jenifer foi localizada na última terça-feira (23) com marcas de pancadas pelo corpo, mas a causa da morte ainda deve ser esclarecida. Segundo a Polícia Civil, o local em que ela foi encontrada fica a cerca de 800 metros de onde Tayná estava.

Assista ao vídeo:

  • Espalhe por aí:

Veja também

Todas as notícias
Publicidade

Vitrine de ofertas

Compartilhe
Compartilhe
Engoliu presilha

“Minha joia mais preciosa descansou nos meus braços”, diz mãe de criança

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Pacto de morte coletivo

Pais dizem que filhas não demonstraram variação no comportamento

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Goiânia

Familiares de vítimas de serial killer ficam frente a frente com suspeito

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Crime bárbaro

Mãe conta como matou a filha de 7 anos para ritual no PR; ossada é encontrada

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
  • Últimas de Cidades

  • Últimas de Notícias

Compartilhe
Braço amputado

Tigre ataca menino de 11 anos em zoo do Paraná ; pai responderá por lesão

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!