Cidades

3/2/2013 às 21h54 (Atualizado em 4/2/2013 às 11h31)

Heróis de Santa Maria relembram noite do incêndio na boate Kiss

Durante o resgate, diversas pessoas — além de médicos e bombeiros — ajudaram a salvar vidas

Do R7, com Domingo Espetacular

Em meio a uma das maiores tragédias do País, diversos heróis surgiram durante o incêndio na boate Kiss. Um vizinho da casa noturna, por exemplo, gravou imagens do local assim que o incêndio começou. Mas, quando ele percebeu a gravidade do que acontecia, parou de gravar e foi ajudar também.

Uma médica que estava de plantão no pronto-socorro para onde foram levadas as primeiras vítimas se lembra de que recebeu muito mais pacientes do que imaginava. Ela pediu ajuda e conseguiu mobilizar cerca de 50 profissionais naquela noite.

A médica conta que as vítimas não chegavam chorando ou gritando de dor. Segundo ela, estavam todos em silêncio, olhando para o nada, em estado de choque. Mais de 800 profissionais de saúde trabalharam na operação de salvamento do incêndio.

Veja a cobertura completa da tragédia em Santa Maria

Leia mais notícias de Cidades

Um médico do Samu afirma que na primeira viagem da ambulância, saiu com quatro vítimas do incêndio. O veículo permite o transporte de um paciente crítico, mas o profissional sabia que precisava levar vários pacientes de uma vez.

O médico recorda quando tentaram colocar dois corpos na ambulância, mas ele se negou a transportá-los, dizendo que o veículo estava ali para levar gente viva, que precisava de socorro.

Outro médico que também ajudou no primeiro atendimento às vítimas conta sobre um rapaz que morreu enquanto era avaliado. A noiva dele chegou e tentou fazer massagem cardíaca no rapaz, mas os socorristas sabiam que não havia mais o que fazer.

Heróis da boate

Muitos jovens, assim que escaparam do incêndio, voltaram à boate para resgatar vítimas. Um desses heróis conta que só pensava em tirar mais pessoas de dentro da casa noturna.

A mãe de um dos jovens que ele ajudou agradeceu a atitude do estudante. O rapaz acredita que ajudou mais de 15 pessoas, mas não sabe se todos sobreviveram. Ele conta que se protegeu usando a camiseta molhada como máscara.

Muitos que tentaram salvar os feridos não sobreviveram. Também foram intoxicados pela fumaça do incêndio. Um estudante de educação física deu a vida para ajudar outras pessoas. Segundo amigos, ele resgatou pelo menos 14 pessoas.

Veja mais notícias na nova home do R7

Assista ao vídeo:

  • Espalhe por aí:

Veja também

Todas as notícias
Publicidade
Compartilhe
X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!