R7 - Notícias

Buscar no site
Eu quero um e-mail @R7
Esqueci minha senha
Você está aqui: Página Inicial/Notícias/Rio e cidades/Notícias

Icone de Rio e cidades Rio e cidades

publicado em 15/03/2010 às 02h55:

Belo Horizonte terá greve de ônibus e
de médicos nesta segunda-feira

Capital mineira e região metropolitana devem ficar sem os dois serviços

Do R7, com Hoje em Dia

Belo Horizonte e parte da região metropolitana devem ficar sem ônibus nesta segunda-feira (15). Os rodoviários voltam a fazer greve. Para complicar ainda mais, o atendimento médico na capital ficará precário com a paralisação, por tempo indeterminado, do pronto-socorro do Hospital João XXIII. As informações são do site Hoje em Dia.

A greve dos rodoviários será retomada em Belo Horizonte e parte da Região Metropolitana. A confirmação de que os rodoviários voltam a cruzar os braços foi feita durante assembléia da categoria, na tarde deste domingo (14).

Cerca de mil trabalhadores do setor participaram do encontro, ocorrido na capital. O transporte deixa de funcionar a partir da zero hora desta segunda-feira (15).

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários, cidades como Ribeirão Neves, Sabará e Santa Luzia, Vespasiano, Nova Lima, Rio Acima e Pedro Lepoldo também ficarão sem transporte.

Sindicatos de Contagem e Betim fizeram reunião na tarde deste domingo (14). Em Betim houve acordo. Os rodoviários aceitaram reajuste oferecido de 6,5%. A informação é do presidente do sindicato, Gerson Cesário. Além do aumento salarial, os funcionários receberão R$ 245 em vale-refeição.

Já o sindicato de Contagem não aceitou os valores oferecidos na negociação em assembleia e resolveu manter a paralisação total do serviço nesta segunda.

Os rodoviários recusaram a última proposta apresentada pelas empresas, de aumento de 4,36%. Os trabalhadores querem reajuste de 12% e redução da jornada de trabalho.

Saúde
Os médicos do Hospital de Pronto-Socorro João XXII (HPS), em Belo Horizonte, decidiram entrar em greve por tempo indeterminado a partir desta segunda-feira (15). Somente os casos de urgência serão atendidos, como aconteceu das 7 horas de segunda-feira às 7 horas de terça-feira, período em que o operário Custódio dos Reis Santana, 29 anos, não conseguiu implantar a mão que havia perdido em um acidente. Profissionais de dois hospitais se negaram a atendê-lo. Ele recebeu alta ontem e adiantou que vai entrar na Justiça.

Custódio Santana informou que vai pedir indenização por danos morais.

No dia do acidente, os médicos grevistas, durante a triagem, não consideraram que o caso era de urgência. Depois, foi para o Hospital Odilon Behrens (HOB), local em que também não foi atendido. Na tarde da última sexta-feira (12), ao receber alta, ele ainda não sabia se a ação que irá mover será contra a Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig), que administra o João XXIII ou os médicos grevistas. O operário também estuda a possibilidade de acionar, na Justiça, o HOB.

Os médicos do HPS querem aumento do salário-base, que, hoje, é de R$ 2.400 por 24 horas de plantão por semana. Segundo a direção do Sindicato dos Médicos de Minas Gerais, não foi apresentado à direção da Fhemig pedido de reajuste. A entidade alega que espera apresentação de uma proposta pela direção da fundação. De acordo com a entidade, sinalização de reajuste poderá suspender a greve.

No HPS, maior hospital especializado no atendimento de traumas, são cerca de 300 médicos que assistem cerca de 400 pessoas por dia. Segundo a Fhemig, as reivindicações da categoria profissional estão sendo analisadas. Sobre a ação judicial que será movida por Custódio Santana, a fundação alegou que não tem conhecimento.

 
Veja Relacionados:  Belo Horizonte, greve, ônibus, hospital João XXIII
Belo Horizonte  greve  ônibus  hospital João XXIII 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 


 

 


Shopping
Ir para a home do site