Distrito Federal

2 de Setembro de 2014

Notícias

Assassino da professora estrangulada fez saques no valor de R$ 500 após o crime

Polícia trabalha agora com hipótese de latrocínio

Do R7, com TV Record | 26/04/2013 às 01h17
Publicidade

A Polícia Civil do Distrito Federal acredita na hipótese de latrocínio (roubo seguido de morte) no caso do assassinato da professora Christiane Silva Mattos, de 37 anos. Segundo fontes da Record Brasília, a investigação mostra que Walisson dos Santos Lemos, de 24 anos, chegou a sacar cerca de R$ 500 com o cartão da professora depois de ter abandonado o corpo dela no Parque da Cidade.

A vítima foi abordada pelo acusado dentro do estacionamento do Pátio Brasil Shopping e levada para o parque, onde foi estrangulada e deixada dentro do veículo, na noite de 28 de março, em Brasília.

O Ministério Público informou que o promotor Marcelo Leite Borges solicitou as imagens do shopping feitas na data do crime, mas ainda não recebeu o material.

Leia mais notícias no R7 DF

Após o crime, a delegada da 1ª DP, Mabel Farias, que apura o caso, havia informado que todos os elementos colhidos na investigação apontavam que Walisson não conhecia Christiane antes do crime.

Para a polícia, Walisson relatou que estava desesperado após a demissão de um supermercado onde trabalhava como repositor. Ele disse que sua preocupação maior era com as despesas que têm com o filho. O rapaz teria distribuídos alguns currículos no shopping e resolveu cometer o assalto para conseguir dinheiro.

Ele abordou a vítima e ordenou que ela fosse até o Parque da Cidade. No local, ela entregou R$ 15 e informou que era tudo que tinha. Ele pegou o dinheiro e, nesse momento, a mulher teria reagido. Foi então que Walisson teria estrangulado a vítima. Antes de fugir, segundo ele, pegou a aliança da mulher, pois teria sido a única coisa de valor que encontrou. Ele disse ainda que usou um celular para fingir que estava armado.

Relembre

A vítima saiu de casa às 14h30 para comprar ovos de Páscoa e deveria buscar os filhos, um menino de 7 anos e uma menina de 2, na escola no fim da tarde. Como não apareceu, o marido dela, Marcos Mattos, registrou ocorrência de desaparecimento na 1ª Delegacia de Polícia da Asa Sul, bairro nobre da capital federal, e a polícia iniciou as buscas.

O corpo de Christiane foi encontrado no estacionamento 9 do Parque da Cidade. Ela estava com o carro parado em uma das vagas e o cinto de segurança preso ao corpo. O corpo estava caído para o lado do passageiro, com sinais visíveis de estrangulamento no pescoço.

A primeira suspeita da polícia era de sequestro relâmpago, mas inicialmente foi apurado que só uma aliança e R$ 15 reais tinham sido levados. Quando a polícia chegou ao local, a porta do carro estava trancada e a chave havia sido levada. O vidro do carro foi quebrado pela polícia para a vítima ser retirada. O suspeito foi preso no dia seguinte do crime.

Imagens do circuito de segurança do estacionamento do shopping mostram o momento em que Christiane sai do local com Walisson no banco do passageiro do veículo.

O crime acendeu um alerta nos brasilienses que todos os dias deixam os seus carros em estacionamentos públicos e privados na capital federal.

 

 
Veja Relacionados:  professora, estrangulada, assassino, latrocínio, saques
professora  estrangulada  assassino  latrocínio  saques 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!
RSS