Distrito Federal

1 de Setembro de 2014

Notícias

Família de menor doente estuprada pelo avô sobrevive com auxílio-doença da vítima

Mãe da jovem pede ajuda para sustentar os filhos

Do R7, com TV Record Brasília | 26/03/2013 às 00h51
Publicidade

A mãe da adolescente de 14 anos que foi estuprada pelo avô em Samambaia, região administrativa do DF, pede ajuda para sustentar a casa. A família sobrevive apenas com o auxílio que a menina recebe do governo, por ser portadora de epilepsia, esclerose e problemas cardíacos.

Por se sentir envergonhada, a mãe da garota não quis se identificar. Segundo ela, o dinheiro do benefício, no valor de um salário mínimo (R$ 678), é insuficiente para arcar com as despesas da casa e ainda comprar parte dos remédios que a adolescente precisa para seu tratamento de saúde, já que alguns são gratuitos. Ela diz que uma cesta básica por mês já faria diferença para a família.
Quem quiser ajudá-los, pode ligar nos telefones (61) 3459-2268 e (61) 3336-3150.

O homem acusado de abusado da neta é Severino Silva Santos, de 61 anos. A irmã socorreu a menina depois de ouvir gritos de socorro.

Leia mais notícias no R7 DF

Conheça as instalações da suíte mais luxuosa do motel mais caro de Brasília

O idoso estaria bêbado quando abusou da garota. Quando o neto chegou ao quarto, viu a irmã seminua e avô vestindo as calças.

O adolescente saiu correndo da casa para pedir ajuda a um vizinho. Depois, foram à polícia denunciar o avô.

O suspeito e sua mulher, ambos avós da vítima, estavam morando na casa com os netos. Ele foi preso em flagrante. Ela que não acreditou na história, saiu da casa. A mãe da adolescente disse que nunca desconfiou do avô de seus filhos.

O acusado está sendo investigado pela 26ª Delegacia de Polícia (Samambaia).

Assista ao vídeo:

 
Veja Relacionados:  Samambaia, abuso, sexual,
Samambaia  abuso  sexual 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!
RSS