Distrito Federal

1 de Agosto de 2014

Notícias

Orquidário do Ibama de Brasília reduz visitas por risco de desabamento

Áreas do local estão interditadas; maior orquídea do mundo está no espaço

Do R7 | 27/02/2013 às 01h00
Publicidade

O Orquidário Nacional do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), em Brasília, está funcionando com áreas interditadas devido ao risco de desabamento. A estrutura é toda de madeira e, portanto, precisa de manutenção periódica.

A coordenadora do orquidário, Lou Menezes, explica que os lugares que eram mais sensíveis foram bloqueados com o objetivo de prevenir acidentes. Ela conta que a parte superior do local, onde acontecem reuniões e coffee break, está interditada.

— Estamos em processo de reforma, mas a visitação não está fechada. Alguns locais estão interditados com a fita amarela, no entanto, o orquidário pode ser visitado. Parte do acervo já foi transferida para outros locais e, assim que a reforma for concluída, as plantas voltarão para o local de origem.

Leia mais notícias no R7 DF

Estudos da Secretaria de Segurança traça perfil de homicídios registrados no DF

Após licença, médica que receitou superdosagem de adrenalina em bebê deve voltar ao trabalho hoje

Menezes afirma ser normal o problema, pois estruturas de madeira exigem manutenção. No entanto, admite que o espaço precisa de investimentos. De acordo com ela, as visitas foram controladas pelo fato de algumas áreas estarem sem segurança.

—Precisávamos ter uma verba especifica para o orquidário. No nosso caso, apenas quando temos emergências, recorremos a diretoria do Ibama e eles nos socorre. Já entrei com pedido de reforma e isso deverá acontecer nos próximos dias. Temos que aguardar a licitação.

Criado em 2001, o local abriga aproximadamente três mil orquídeas de diversas espécies e gêneros. Entre elas, a maior do mundo chamada de 'Grammatophyllum speciosum’. A muda é natural da Malásia e recebeu um tratamento diferenciado por conta das diferenças climáticas. Com o intuito de driblar a falta de umidade, abundante em seu país de origem, foi construído um pequeno córrego ao seu redor. A coordenadora do projeto Lou Menezes diz que quando fala em maior orquídea não é propriamente a flor, e sim a planta.

—Ela é maior pelo conjunto. É um porte avantajado e flores relativamente grandes. A planta causou tanto impacto que há dois anos, época da maior floração, um empresário ofereceu R$30 mil para lecar a planta.

Os interessados em conferir as orquídeas podem optar por uma visita guiada ou sem compromisso. Para o tour realizado com Lou Menezes e equipe, deve-se agendar o passeio previamente pelo telefone (61) 3316-1212. Os horários são de segunda a sexta-feira, das 9h às 11h30 e das 14h às 16h30.

Colaborou Samara Neres, estagiária do R7

Portal R7 está de cara nova. Clique aqui e conheça a maior home dos portais brasileiros! 

 

 
Veja Relacionados:  Orquidário, Brasília, Ibama, risco, desmoronamento, reformas
Orquidário  Brasília  Ibama  risco  desmoronamento  reformas 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!
RSS