Distrito Federal

31 de Outubro de 2014

Notícias

Sumiço de estudante brasiliense no Peru completa 30 dias

Irmão do jovem diz que os pais ainda têm esperança de encontrá-lo

Do R7 | 21/01/2013 às 00h28
Publicidade

Nesta segunda-feira (21), completam 30 dias que o estudante brasiliense Artur Paschoali, de 19 anos, está desaparecido no Peru. O jovem saiu no dia 21 de dezembro para tirar algumas fotografias na região do Machu Picchu e, desde então, não voltou. As buscas estão sendo feitas por equipe multitécnica com profissionais do Corpo de Bombeiros, policiais, especialistas em resgate em minas e em rios, além de cães farejadores e helicópteros.

De acordo com o irmão do estudante, Felipe Paschoali, mesmo após um mês sem notícias dele, os pais de Artur permanecerão acompanhando as buscas pelo jovem.

— Eles só vão voltar quando acharem meu irmão.

Leia mais notícias no R7 DF

Veja fotos do estudante desaparecido no Peru

Segundo Felipe, os pais tem andado cerca de nove quilômetros por dia, em busca de alguma pista de Artur Paschoali. O período de chuvas tem dificultado as buscas. Uma equipe de 40 profissionais está percorrendo a região onde supostamente o jovem esteve quando desapareceu.

Na última semana, os pais do jovem encontraram indícios de que o rapaz estaria vivo e circulando na região onde foi visto pela última vez. A família encontrou meias e algumas roupas queimadas numa região ao sul da Vila de Santa Teresa. Os pais acreditam que o filho possa estar em fuga, mas não sabem o motivo.

Uma fogueira apagada perto de uma construção de uma hidrelétrica também foi vista pelos pais do jovem. Nessa construção não há circulação de turista, segundo informou um guia da região. Por isso os pais suspeitam que a fogueira tenha sido feita pelo estudante. A família acredita ainda que o jovem se escondeu nessa hidrelétrica.

Os pais de Artur Paschoali também encontraram uma pilha de pedras que o jovem costuma fazer. Na foto tirada pela família e outra imagem publicada no facebook do estudante, mostram que as pedras são pistas reais da passagem dele pelo local.

A família encontrou ainda pegadas de um cão e latas de atum. Uma comerciante que viu o jovem antes de desaparecer, disse que o rapaz comprou o enlatado para alimentar o animal.

Desde o último dia 5 de janeiro, o diplomata brasileiro Carlos Garcete chegou ao local onde o jovem desapareceu para acompanhar as buscas. Ele levou mapas topográficos ampliados da área para auxiliar as equipes. Ele também permanecerá na região até o desfecho do caso.

O Portal R7 está de cara nova. Clique aqui e conheça a maior home dos portais brasileiros!

 
Veja Relacionados:  sumico
sumico 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!
RSS