Distrito Federal

1 de Outubro de 2014

Notícias

Superação: conheça a história da presidiária, condenada a 13 anos por tráfico, que virou cantora

Ela quer usar o dom da voz para reconstruir a vida e conquistar um futuro melhor

Do R7, com TV Record Brasília | 10/02/2013 às 07h30
Publicidade

Condenada a 13 anos por ter se envolvido duas vezes com o tráfico de drogas, agora a jovem Danila Dands, de 26 anos, tenta reconstruir a vida de uma forma diferente: ela quer usar o dom da voz para cantar e conquistar um futuro melhor.

Danila contou que nasceu no presídio da Papuda e foi obrigada pelo destino a se envolver com a vida criminosa. Agora, ela só pensa em aproveitar a liberdade e nunca mais voltar para a cadeia.

— Quando nasci, meus pais estavam presos. Minha família toda em Brasília, naquela época, tinha envolvimento com o tráfico de drogas. Eles conheciam e se envolviam com pessoas perigosas, que cometiam crimes, e eu fui nesse embalo.

Durante quase seis anos, tempo em que a jovem cantora ficou presa, diversos momentos de medo e dúvidas surgiram na cela onde passou pelos momentos mais difíceis da vida.

— Eu tinha medo de alguma coisa ruim acontecer comigo. De brigar com alguém, ter que ir para o isolamento. Aquele medo me consumia, eu pensava que nunca mais ia acabar essa fase ruim.

Porém, o medo dela acabou na manhã deste sábado (9). Depois de cumprir seis anos de prisão em regime fechado no presídio feminino de Brasília, conhecido como Colméia, ela recebeu a notícia de que foi beneficiada pelo "pacote completo".

— Tenho direito ao saidão, saídas temporárias, posso ir para rua, dormir em casa. Agora tenho a chance de recomeçar, porque minha pena é aparecer de dois em dois meses para assinar um documento.

Leia mais notícias no R7 DF

Mulher se joga de carro em movimento para escapar de sequestro no DF

Mulher esquece bebê de 25 dias trancado dentro do carro em lava-jato

Tudo isso começou quando Danila participou do Concurso Miss Penitenciária. Ela não quis usar os olhos verdes, nem o sorriso para encantar os jurados na passarela. Preferiu soltar a voz e mostrar o que sabe fazer de melhor: cantar.

— Eu vi o concurso e falei que queria participar. Queria cantar, subir no palco como cantora. Eu fiz uma música para todas as Misses Penitenciárias.

Quem a descobriu foi o produtor musical Christian Oliveira. Ao perceber o talento e o dom que Danila tem com a voz, como cantora, ele decidiu incluí-la em um projeto social da Secretaria de Direitos Humanos do Distrito Federal.

— Quando ela subiu no palco e cantou, eu pensei: é essa a garota. Vamos gravar! É um talento enorme e só faltava a oportunidade.

Danila teve quatro filhos, sendo que um deles foi dentro da cadeia. Para superar a dor, sempre que possível ela assistia televisão e cantava. Agora, com a possibilidade de ser livre novamente, ela diz que o desafio é outro: reaprender a andar por Brasília.

— Eu não sei mais andar aqui. Fiquei sabendo que os ônibus mudaram e muita coisa mudou. Na minha época era bem diferente.

Para a estudante Lorrane Alves essa é uma história de superação e um exemplo que deve ser seguido por todos, pois mostra uma vida que ninguém quer ter.

— A gente pode sim ter um caminho maravilhoso. Drogas? Tô fora!

E os próximos desejos e desafios? Danila ainda não parou para pensar, mas deixa a música falar.

— É uma sensação indescritível, porque estou acostumada a viver de mãos para trás, com cabeça baixa. Nem acredito que hoje estou aqui podendo contar minha história e viver minha liberdade.

Assista ao vídeo:

Assista a todos os vídeos do Balanço Geral DF!

O Portal R7 está de cara nova. Clique aqui e conheça a maior home dos portais brasileiros!

 
Veja Relacionados:  cantora, superação, exemplo de vida, crack, drogas, violência, presidiária
cantora  superação  exemplo de vida  crack  drogas  violência  presidiária 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!
RSS