Sem dinheiro do governo, desfile de blocos de Carnaval pode ser cancelado no DF

Blocos têm feito campanhas para financiar a festa neste ano

Tradicional desfile dos blocos de Carnaval pelas ruas de Brasília pode ser cancelado neste ano.
Tradicional desfile dos blocos de Carnaval pelas ruas de Brasília pode ser cancelado neste ano. José Cruz/Abr

O tradicional desfile dos blocos de Carnaval pelas ruas de Brasília pode ser cancelado neste ano. O motivo é a falta de dinheiro para a realização dos eventos. O GDF (Governo do Distrito Federal) informa que não possui recursos para patrocinar a festa. A verba que seria destinada para o desfile das escolas de samba do DF foi suspensa pelo governo.

Para tentar fazer o desfile alguns blocos têm pedido patrocínio para a iniciativa privada. De acordo com a Liga dos Blocos Tradicionais, para que a festa seja realizada é preciso de um investimento de R$ 1,6 milhão, mesmo valor recebido no último ano pelo governo. Em 2014, o carnaval de rua do DF teve público de 700 mil pessoas. 

O bloco Galinho de Brasília começou uma campanha de arrecadação de dinheiro pela internet. O objetivo é conseguir R$ 300 mil para a realização do desfile de Carnaval pelas ruas de Brasília.

Leia mais notícias no R7 DF

Escolas de Samba do DF reduzem em 22,6% os custos, mas ainda não têm garantias de verba para o carnaval 

Mesmo com o anúncio da suspensão do dinheiro público para as escolas de samba e blocos de rua, a Secretaria de Turismo do DF informa que a festa de Carnaval vai acontecer. O governo agora espera a participação de patrocinadores para ajudar as escolas de samba e os blocos de rua. A secretaria informa ainda que espera que até a próxima semana tenha a resposta das empresas privadas.

A Liga das Escolas de Samba do DF informou que, sem o dinheiro, será “impossível” realizar a festa de carnaval no Distrito Federal, já que existe um débito de R$ 1,4 milhão esperando para ser quitado. Para  o presidente da Liga das Escolas de Samba do DF, Geomar Leite, o Carnaval não pode responder pelas mazelas deixadas pelo antigo chefe do executivo do DF e, mesmo com todos os problemas de caixa, é possível realizar a festa.