Associações de carne defendem cabeça de porco em embutidos e afastam risco à saúde

PF disse que 'carne de cabeça de porco, proibida', foi usada por empresa para fazer linguiça

Uso de carne de cabeça de porco em embutidas é legal, dizem exportadores. Hoje, China e UE impuseram barreiras ao Brasil
Uso de carne de cabeça de porco em embutidas é legal, dizem exportadores. Hoje, China e UE impuseram barreiras ao Brasil Guilherme Stutz/20.03.2017/Futura Press/Folhapress

O presidente da Abiec (Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes), Antonio Jorge Camardelli, explicou nesta segunda-feira (20) ser legal o uso de cabeça de suínos na produção de embutidos — como salsicha e linguiça.

— Nós exportamos carne de cabeça [de suíno], porque é permitido. Em alguns tipos de embutidos, é extremamente permitido. A referência da cabeça não é referência à qualidade do produto.

A fabricação de embutidos foi um dos principais alvos da Operação Carne Fraca da PF (Polícia Federal) na última sexta-feira (17).

Uma conversa telefônica entre os donos do frigorífico Peccin, no Paraná, interceptada pela Polícia Federal com autorização da Justiça, mostra interesse deles em incluir carne de cabeça de suíno na composição da linguiça calabresa. 

O vice-presidente e diretor técnico da ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal), Rui Saldanha Vargas, destacou que, “[no caso] o uso de carne de cabeça em produtos, existe uma resolução, uma normativa, que permite dentro de determinados limites”.

— Quando você excede esse limite, tem que mudar o nome do produto. Existe risco para a população? Não existe. É uma questão de fraude econômica.

Papelão

Francisco Turra, presidente da ABPA, comentou sobre a polêmica do papelão nas carnes.

— Essa história do papelão misturado... não existe essa possibilidade. Até o próprio áudio deixa bem claro. Inclusive, todas as embalagens que a indústria usa precisam ser aprovadas.

Neste domingo (19) o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, também fez críticas a "narrativa" da Operação Carne Fraca e ao boato das misturas. 

— É uma idiotice. As empresas gastaram milhões de dólares para conquistar mercados, e vão misturar papelão?