Dólar tem leve queda e abre a semana negociado a R$ 3,18

Recuo de 0,11% da moeda norte-americana foi guiada por alívio externo e política doméstica

Na mínima da sessão, o dólar marcou R$ 3,1763
Na mínima da sessão, o dólar marcou R$ 3,1763 Dado Ruvic/Illustration/Reuters

O dólar encerrou a segunda-feira (17) com leve baixa ante o real, favorecido pelos dados mais fortes da economia chinesa, que elevaram a busca por ativos de risco, e em meio ao ambiente político doméstico mais calmo.

No fechamento da sessão, o dólar apresentava uma baixa de 0,11%, cotado a R$ 3,1814 na venda, depois de ter cedido 2,88% na última semana. Na mínima da sessão, a moeda norte-americana marcou R$ 3,1763 e, na máxima, R$ 3,1886. O dólar futuro tinha leve alta de 0,05% no final da tarde.

"As boas notícias da China fortalecem a leitura positiva para ativos de maior risco", informou mais cedo a corretora H.Commcor em relatório. "A arena política nacional está mais calma, com o recesso [parlamentar]", acrescentou.

Internamente, o clima político trouxe mais tranquilidade aos mercados. O Congresso Nacional entra em recesso a partir desta terça-feira, o que pode esfriar um pouco a crise política, embora os investidores seguissem monitorando o noticiário, aguardando nova denúncia contra o presidente Michel Temer.

"O cenário de elevada liquidez permanece, mantendo o dólar oscilando próximo de R$ 3,20", avaliou a SulAmérica Investimentos em relatório.

O Banco Central brasileiro vendeu integralmente a oferta de até 8.300 swaps cambiais tradicionais — equivalentes à venda futura de dólares — para rolagem dos contratos que vencem em agosto. Com isso, já rolou US$ 2,49 bilhões do total de US$ 6,181 bilhões que vence no mês que vem.