CNI: crise política pode afetar confiança dos empresários no próximo Icei

CNI: crise política pode afetar confiança dos empresários no próximo Icei

Brasília - A divulgação da delação dos donos do Grupo JBS jogou uma nuvem de incertezas sobre o governo Temer e terá impactos na confiança do empresariado, avaliou nesta sexta-feira, 19, o gerente de pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Renato da Fonseca. Depois de cair 0,9 ponto em abril, o Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei) subiu 0,6 ponto em maio, de acordo com documento divulgado nesta sexta pela entidade.

A pesquisa foi feita entre os dias 2 e 12 deste mês, antes, portanto, da divulgação da delação da JBS. "Havia uma expectativa muito grande sobre a aprovação das reformas trabalhista e da Previdência, além do provável lançamento de uma reforma tributária no segundo semestre. Mas, com essa reviravolta, há dúvidas se o atual governo se mantém e se ele terá força no Congresso", comentou o economista.

Fonseca lembrou que o otimismo do empresariado melhorou consideravelmente em relação ao ano passado, mas continua abaixo da média história do Icei, que ficou ainda menor durante a crise prolongada. O Icei ficou em 53,7 pontos em maio, pouco abaixo da média histórica de 54 pontos no indicador - média que já foi de 59 pontos antes da recessão.

"O empresário é sempre um pouco mais otimista que o resto da população, porque se ele não acreditar que o seu negócio irá evoluir bem, ele fecha. Ainda é cedo para avaliar o impacto da crise política nessa confiança, mas com certeza na primeira semana de junho, quando a próxima pesquisa for realizada, as informações já estarão mais decantadas", afirmou. "Essa crise e uma eventual troca de governo podem mudar as expectativas sobre a aprovação de reformas e, no limite, até mesmo sobre o programa de concessões", completou.

O próximo Icei será divulgado pela CNI no dia 19 de junho, com as avaliações dos empresários colhidas pela entidade nos nove primeiros dias úteis do próximo mês.