R7 - Notícias

Buscar no site
Eu quero um e-mail @R7
Esqueci minha senha

20 de Outubro de 2014

Você está aqui: Página Inicial/Notícias/Economia/Notícias

Icone de Economia Economia

publicado em 19/12/2012 às 18h49:

Automóveis e eletros vão ficar mais caros a partir de 2013

Governo vai deixar o IPI mais alto também para fogão e geladeira

Carolina Martins, do R7, em Brasília

Publicidade

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou, nesta quarta-feira (19), uma recomposição da taxa de IPI (Imposto Sobre Produtos Industrializados) para carros de motor 1.0.

A partir de janeiro, o imposto que hoje está zerado, vai passar para 2%. Em março, a taxa sobe um pouco mais, para 3,5%, e em julho atinge 7%, o valor cobrado normalmente.

A taxa para carros flex de motor mais potente, até 2.0, também vai subir. Atualmente, o IPI para esse tipo de automóvel está em 5,5%. Em  janeiro, o governo vai passar a cobrar 7%. Em abril o IPI sobe para 9% até atingir a alíquota normal de 11%, em julho.

Com isso, o preço dos carros deve subir para o consumidor. As montadoras haviam anunciado que não vão conseguir segurar o aumento do imposto e por isso os automóveis devem ficar mais caros em 2013.

No entanto, o ministro Guido Mantega acredita que o setor está bastante aquecido e por isso vai conseguir arcar com o aumento dos impostos.

— Houve uma boa recuperação do mercado nesse segundo semestre, então nós acreditamos que o mercado de automóveis vem com impulso para o próximo ano.

O IPI para utilitários de carros também vai sofrer uma recomposição gradual. A alíquota normal é de 8%. Com o desconto, o governo está cobrando 1%, mas, a partir de janeiro, ela passa para 2%.

Somente os caminhões permanecerão com a alíquota de IPI zerada permanentemente. O governo decidiu extinguir o imposto da produção por considerar que os veículos são considerados bens de capital, ou seja, são utilizados para produzir outros bens e serviços.

Linha branca e móveis

A linha branca também vai sofrer com a recomposição do IPI. O imposto de fogões e tanquinhos, que está zerado, vai passar a ser de 2% em fevereiro. A partir de julho, a taxa do tributo para o fogão volta a ser de 4% e o do tanquinho passa para 10%.

No entanto, as máquinas de lavar permanecem com a redução do imposto. A taxa normal do IPI é de 20%, mas com o desconto está sendo cobrado a metade, 10%. Essa taxa deve permanecer por tempo indeterminado.

Os móveis também devem ficar mais caros a partir de fevereiro. Desde que a redução do IPI entrou em vigor, a alíquota para sofás e estantes passou de 5% para zero. Em janeiro, a taxa passa para 2,5% e em julho volta a ser cobrado o tributo integral.

 
Veja Relacionados:  ipi, carros, desoneração
ipi  carros  desoneração 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!

 

 


Shopping