R7 - Notícias

Buscar no site
Eu quero um e-mail @R7
Esqueci minha senha

27 de Maio de 2016

Você está aqui: Página Inicial/Notícias/Economia/Notícias

Icone de Economia Economia

publicado em 07/07/2011 às 09h02:

Inflação oficial de junho é a menor em dez meses

Brasileiro gasta menos com comida e deslocamento e indicador do IBGE fica perto de zero

Do R7

Publicidade

Os alimentos e os transportes ficaram mais baratos para o consumidor e a inflação oficial de junho ficou em 0,15%, informou nesta quinta-feira (7) o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Este é menor patamar do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) desde agosto de 2010. 

Enquete: transporte e comida estão mais baratos?

Indicador oficial de inflação do governo, o IPCA é calculado pelo IBGE desde 1980, se refere às famílias com rendimento monetário de 1 a 40 salários mínimos (R$ 545 a R$ 21,8 mil), qualquer que seja a fonte, e abrange nove regiões metropolitanas do país, além do município de Goiânia e de Brasília. 

Para cálculo do índice de junho foram comparados os preços coletados no período de 28 de maio a 28 de junho de 2011 (referência) com os preços vigentes no período de 29 de abril a 27 de maio de 2011 (base). 

O nível que o indicador de preços do governo atingiu em junho significa que praticamente não houve aumentos para o brasileiro - um pouco diferente do registrado em maio, quando o IPCA marcou 0,47%. 

Com isso, a inflação oficial no primeiro semestre deste ano fechou em 3,87%, acima da taxa de 3,09% observada no mesmo período de 2010. 

Nos últimos 12 meses, que o que realmente importará no final do ano, quando o governo fechar o índice em dezembro, o IPCA está na casa de 6,71% - o maior patamar para o período dos últimos seis anos. A meta oficial de inflação do governo é de 4,5% para este ano, com tolerância de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Isso significa que pode chegar a 2,5% ou subir a 6,5%.

inflacao-junho-tl-20110707

Preços mostraram aumentos mais fortes no começo do ano nas comparações mensais  Arte R7

A inflação recuou em junho, principalmente, por causa dos transportes e da alimentação. A comida, que já tinha desacelerado em maio, está mais barata para o consumidor desde junho. Os itens que ficaram mais em conta foram a batata-inglesa (com queda de quase 12%) e a cenoura (até 16% mais leve no bolso). Também vale destacar a desaceleração dos preços de queijos, iogurtes, leite em pó e o açúcar refinado.

No caso do deslocamento, o brasileiro já tinha sentido uma queda de preços em maio e o comportamento se repetiu em junho. A gasolina foi o principal destaque, já que o preço do litro caiu quase 4% em junho. O álcool não ficou para trás e também está mais leve no bolso - quase 9%.

As passagens aéreas, no entanto, atrapalhou um recuo maior de preços do grupo transportes, já que houve um reajuste de 12,85% nas viagens de avião. As tarifas de ônibus urbanos, que ficaram mais caras no Rio de Janeiro, em Belém e em Goiânia, também tiveram leve interferência nos preços dos transportes.

Os gastos com habitação, despesas pessoais e saúde desaceleraram em junho, com destaque para a taxa de água e esgoto, aluguel residencial, condomínio, salários de empregados domésticos e remédios. Todos esses itens subiram, mas em ritmo mais moderado que em maio.

Os únicos grupos a apresentarem elevação de preços maior em junho que em maio foram vestuário e artigos de residência. As roupas masculinas, móveis e eletrodomésticos foram os itens que mais encareceram para o consumidor.

 


Veja as respostas corretas do quiz sobre grana

Veja Relacionados:  inflação oficial,ipca
inflação oficial  ipca 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!

 

 


Shopping