R7 - Notícias

Buscar no site
Eu quero um e-mail @R7
Esqueci minha senha

21 de Dezembro de 2014

Você está aqui: Página Inicial/Notícias/Economia/Notícias

Icone de Economia Economia

publicado em 17/08/2011 às 14h11: atualizado em: 17/08/2011 às 15h25

Operação confisca ilha de envolvidos
em esquema de sonegação fiscal

Além da ilha, no litoral da Bahia, aviões, casas e outros bens foram confiscados

Do R7, com Jornal Hoje em Dia


Publicidade

Uma ilha, no litoral da Bahia, foi confiscada pela Receita e pela Polícia Federal nesta quarta-feira (17), durante a Operação Alquimia. A megaoperação contra empresários e outros contribuintes já prendeu ao menos 18 pessoas envolvidas em um esquema de sonegação fiscal. O prejuízo estimado aos cofres públicos pelos sonegadores é de R$ 1 bilhão. A PF e o Fisco cumprem desde a manhã de hoje 31 mandados de prisão.

Veja os bens apreendidos na Operação Alquimia

A polícia diz que identificou ao menos 166 pessoas envolvidas com o esquema, embora esteja cumprindo somente 31 mandados de prisão. Não foi revelada a identidade de nenhum dos detidos. A maior parte da operação está focada em empresários.

Esta é a maior operação já realizada no país na área tributária. De acordo com as investigações, 300 empresas nacionais e estrangeiras estão envolvidas nas fraudes. Outros 129 mandados de busca e apreensão e 63 mandados de conduções coercitivas (que podem ser como multas e outras retenções de suspeitos ou de bens) serão cumpridos.

Além da ilha, na baía de Todos os Santos, outros bens foram fiscalizados pela PF e pelo Fisco como residências,  veículos, embarcações, aeronaves e equipamentos industriais dos envolvidos.

ilha confiscada2_700x525

 Vista aérea da ilha de 20 mil m2 confiscada nesta quarta-feira - Divulgação/Receita Federal

Esquema

O esquema começou a ser investigado no final dos anos 1990, quando a Receita suspeitou de fraude e sonegação de impostos.
Empresários que compram e vendem produtos químicos abriam uma companhia no exterior, nas ilhas virgens britânicas, e abriam empresas laranjas em vários Estados brasileiros para comprar e repassar os produtos sem pagar imposto.

As empresas laranjas recebiam os produtos do exterior, deixavam os impostos devidos à Receita acumular e, quando o Fisco batia à porta, elas fechavam e tinham seu patrimônio “comprado” pelas outras companhias da quadrilha. Um inquérito sobre o caso foi aberto no final de 2002.

Das 300 empresas envolvidas, 50 são comprovadamente laranjas. A Receita diz que já levantou o balanço e dados fiscais de 11 delas e diz que têm R$ 110 milhões em impostos a pagar. O montante de dívida de todas as envolvidas pode chegar a R$ 1 bilhão.
O Fisco diz que há envolvidos em Minas Gerais, Bahia, Alagoas, Ceará, Espírito Santo, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, São Paulo, Santa Catarina e Sergipe. Outros mandados de busca e apreensão são cumpridos em Amazonas, Goiás, Mato Grosso do Sul, Pará e Piauí e no Distrito Federal.

Além de prender os suspeitos, a Justiça Federal também decretou a tomada de bens, incluindo veículos, embarcações, aeronaves e equipamentos industriais e o bloqueio de recursos financeiros dos suspeitos.

Ao menos 90 auditores da Receita e 500 policiais federais participaram da operação.

*Com reportagem de Humberto Santos, do Jornal Hoje em Dia


Veja Relacionados:  sonegação fiscal, ilha, operação alquimia
sonegação fiscal  ilha  operação alquimia 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!

 

 


Shopping