R7 - Notícias

Buscar no site
Eu quero um e-mail @R7
Esqueci minha senha

27 de Maio de 2016

Você está aqui: Página Inicial/Notícias/Educação/Notícias

Icone de Educação Educação

publicado em 15/07/2010 às 09h24:

Curitiba tem as melhores escolas entre as capitais

Cidade obteve 5,7 no Ideb, 19% a mais do que os 4,7 dados aos colégios de São Paulo

Rafael Sampaio, do R7


Publicidade

 A melhor rede de escolas públicas entre as 27 capitais brasileiras está em Curitiba, no Paraná, segundo dados do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) para os primeiros anos do ensino fundamental (1ª a 4ª série).

A cidade obteve nota de 5,7 no Ideb, em uma escala que vai de 0 a 10. Em segundo lugar está Belo Horizonte, com 5,6 pontos para os mesmos anos do fundamental. A rede de educação paulista ficou com 4,7 no Ideb - a primeira colocada teve pontuação 19% maior do que São Paulo.

É a terceira vez que a capital paranaense lidera no Ideb desde que o índice começou a ser medido, em 2005. A informação partiu da secretária de Educação de Curitiba, Eleonora Fruet.

Ela atribui o bom desempenho a avaliações regionais das escolas, segundo o bairro em que estão inseridas.

- Temos algumas regiões com bolsões de pobreza. Vemos o que os bairros precisam e fazemos mudanças nas escolas. Em algumas, as aulas tornaram-se integrais; em outras, houve aumento de atividades fora do currículo, como esportes ou cursos de línguas.

Conforme os dados do Ideb foram sendo liberados - o indicador é medido de dois em dois anos, desde 2005 - a Prefeitura de Curitiba fez o cruzamento deles com outros, como os do Censo do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). A partir daí o poder público teve uma visão precisa do que acontecia na rede escolar da cidade, diz Eleonora.

- Isolamos o fator familiar, por exemplo, para saber o que mais influi na evolução da criança na escola. A renda ou a idade dos pais, por exemplo, tem menos interferência no aprendizado do filho do que a escolaridade dos pais, principalmente da mãe. Quanto mais escolarizada a mãe, mais chances há do filho se dar bem nas aulas.

A avaliação é parecida com a de outros especialistas, como Alberto Pfeifer, presidente do Ceal (Conselho Empresarial da América Latina). Ele ressalta que, em geral, o patamar de estudos do filho é maior que o dos pais, e que a exigência nos estudos cresce conforme a escolaridade dos progenitores.

- O pai que não terminou a escola quer que o filho conclua os estudos; já o que fez uma faculdade quer que o filho faça pós-graduação.

Metas

Partindo desse e de outros dados, Curitiba passou a estabelecer metas para a rede de ensino. Uma das principais, de acordo com a secretária de Educação, é que todas as escolas atinjam Ideb 6 ou maior na próxima avaliação, que será divulgada em 2012.

- O desafio é ter uma equidade, ter todos os colégios andando juntos, mais do que cumprir uma meta numérica. Em municípios com mais de 200 mil habitantes fica muito difícil ter um controle sobre a rede pública de ensino. A diversidade é grande, escolas boas e ruins vão existir. O importante é a rede caminhar junto, não privilegiar uma escola e deixar outras sem recursos.

 


Veja Relacionados:  educação
educação 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!

 

 


Shopping