R7 - Notícias

Buscar no site
Eu quero um e-mail @R7
Esqueci minha senha

30 de Julho de 2014

Você está aqui: Página Inicial/Notícias/Educação/Notícias

Icone de Educação Educação

publicado em 02/04/2010 às 19h07:

Estudantes dão dicas de como fazer
intercâmbio gastando pouco dinheiro

Destinos mais em conta são Nova Zelândia, Austrália e Canadá, afirma especialista

Amanda Polato, do R7

Quem sonha em estudar no exterior, mas tem pouco dinheiro, não precisa perder as esperanças. Há  muitas maneiras de economizar na viagem. Diretores de agências de intercâmbio e estudantes contam que o segredo é planejar com antecedência e obter o máximo de informações possíveis sobre o destino.

Marcelo Capucci tem 27 anos e vai passar três meses na cidade de Vitória, no Canadá, estudando inglês. Ele só embarca em abril, mas já sabe até quanto custa um Big Mac por lá.

Em fóruns na internet e mesmo no Facebook, uma rede social similar ao Orkut, o estudante encontrou brasileiros que estavam na cidade canadense. Assim, ficou mais fácil conseguir dicas sobre o preço da comida, do transporte e até das roupas.

Um material enviado pela universidade onde ele vai estudar também ajudou nesse ponto.

Colocando tudo na ponta do lápis, Capucci calculou que vai gastar cerca de R$ 1.400 (US$ 800) por mês no Canadá.

O estudante vem planejando a viagem desde 2007. Ele visitou feiras de intercâmbio para escolher a agência e o curso, e só vai agora porque o dólar canadense está com um bom preço:

- Com a crise entre 2008 e 2009, ficou quase impossível viajar. Agora, o projeto cabe no meu orçamento.

Marcia Mattos, gerente de cursos no exterior do STB (Student Travel Bureau), recomenda planejar a viagem com, pelo menos, oito ou nove meses de antecedência. Isso ajuda, por exemplo, a conseguir passagem aérea mais barata.

Destinos e épocas

As primeiras coisas a serem decididas no intercâmbio são o destino e a época do ano da viagem. São essas decisões que vão fazer a maior diferença no custo total.

Cláudia Farina, diretora da SIP (Student International Programs), conta que, atualmente, os destinos mais em conta são a Nova Zelândia (moeda local a R$ 1,24), Austrália (moeda a R$ 1,62) e o Canadá (dólar a R$ 1,73).

A Inglaterra é a mais cara, mas muita gente ainda prefere ir para lá, pela possibilidade de conhecer outros países europeus.

Intercâmbio

 Viviane Cordeiro da Silva, 26, gastou cerca de R$ 7.000 em uma viagem para Londres. Foto: Arquivo pessoal

Para economizar na passagem aérea, a melhor saída é voar na baixa temporada, explica Adriana Covelo, diretora da unidade de São Paulo da BEX Intercâmbio. Os meses mais baratos costumam ser entre março e maio e entre agosto e novembro.

Vale sempre tentar comprar a passagem de estudante (para quem tem menos de 35 anos), que costuma ser mais em conta.

Quem vai viajar por agências precisa ter cuidado na escolha, alerta Maura Leão, da Belta, associação de instituições que trabalham com intercâmbios no estrangeiro:

- O ideal é que seja uma empresa com referências, seja da associação [Belta] ou mesmo de pessoas que já usaram o serviço. O estudante precisa confiar na agência e se sentir seguro.

Veja Relacionados:  intercâmbio, estudar fora, escola
intercâmbio  estudar fora  escola 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!

 

 


Shopping