R7 - Notícias

Buscar no site
Eu quero um e-mail @R7
Esqueci minha senha

27 de Agosto de 2014

Você está aqui: Página Inicial/Notícias/Educação/Notícias

Icone de Educação Educação

publicado em 05/02/2014 às 00h11:

Frequência mínima de 60% das aulas na pré-escola não afeta rede particular, dizem colégios

Na rede pública, a novidade é o plano de expansão das vagas nas creches de São Paulo

Do R7

Publicidade

A última alteração na LDB (Lei de Diretrizes e Bases), aprovada  em 2013, trouxe duas mudanças que entraram em vigor em janeiro e afetam os alunos da pré-escola. A primeira delas é à obrigatoriedade da matrícula de crianças com quatro anos. A segunda, determina que elas precisam frequentar pelo menos 60% das aulas no ano. Para responsáveis por colégios particulares consultados pelo R7, o controle de frequência já era uma rotina e, portanto, não afeta as atividades de ensino.

— Quando algum aluno começava a faltar, o colégio já entrava em contato com a família para saber os motivos. O diário de classe é de extrema importância para esse controle. Agora com as prerrogativas da nova lei, o colégio só manterá o que já vinha fazendo, explicou o diretor pedagógico do Colégio Mary Ward, Carlos César Marconi.

Leia mais notícias sobre Educação

Já Everton Augustin, diretor geral do Colégio Humboldt, frisou que os alunos matriculados no colégio que ele administra não faltam com frequencia porque seus pais precisam trabalhar e optam por mante-los na escola. Assim, mesmo que eles [pais] optem por tirar férias durante o ano letivo, a média de aulas assistidas supera a cota mínima de 60% estabelecida pela lei.

Mudanças

Os administradores dos dois colégios concordam que as mudanças na LDB são positivas porque reforçam o compromisso da família com a educação das crianças  na pré-escola.

Marconi ressalta, porém, que o controle da frequência pode ser uma forma do governo federal controlar os programas sociais vinculados à presença do aluno em sala de aula.

— No caso do nosso colégio, por ser particular, esse efetivo controle da presença bem como os relatórios de desenvolvimento dos alunos já eram uma prática, comentou.

Augustin, do Colégio Humboldt, também faz uma ressalva ao lembrar que além da assiduidade e da pontualidade, é fundamental fiscalizar a infraestrutura dos locais de ensino onde as crianças com quatro anos de idade  passarão parte do dia.

— Pontualidade e assiduidade são valores que devem ser ensinados desde cedo, no entanto, a criança precisa ir para um espaço onde ela possa realmente se desenvolver e aprender. Nosso colégio já exigia a frequencia mínima de 75% das aulas.

Expansão das vagas na rede pública

O secretário municipal de Educação da cidade de São Paulo, Cesar Callegari, anunciou na última terça-feira (4) que a prefeitura vai criar 15 mil vagas em creches ao longo do ano. A expansão faz parte de um programa municipal para educação, que atende as mudanças na LDB.

Além das creches, Callegari contou que a Secretaria Municipal de Educação fará um concurso público para a contratação de 3.154 professores de educação infantil e ensino fundamenta, que atuam nas pré-escolas.

 
Veja Relacionados:  educação,brasil,creches,rede pública, ensino
educação  brasil  creches  rede pública  ensino 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!

 

 


Shopping