R7 - Notícias

Buscar no site
Eu quero um e-mail @R7
Esqueci minha senha

18 de Setembro de 2014

Você está aqui: Página Inicial/Notícias/Educação/Notícias

Icone de Educação Educação

publicado em 29/01/2013 às 14h24:

Mercadante reconhece dificuldade para Estados e municípios pagarem piso do magistério

Ele defendeu uma solução conjunta entre governantes e professores

Da Agência Brasil

Publicidade

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, disse nesta terça-feira (29) que o piso nacional do magistério, tal como foi aprovado, “tensiona” as contas dos Estados e municípios ao longo dos anos. Ele defendeu uma solução conjunta entre governantes e professores para valorizar o professor de forma compatível com as receitas estaduais e municipais. 

Sancionada em 2008, a Lei 11.738, que estabelece o piso nacional do magistério público da educação básica, determinou um valor mínimo que deve ser pago pelos Estados e municípios a professores da rede pública com jornada de 40 horas semanais. 

— A lei como está, ao longo dos próximos anos, tensiona demais as finanças municipais e estaduais, e temos que ter crescimento salarial dos professores que seja sustentável, progressivo e compatível com os recursos orçamentários. 

MEC anuncia reajuste de quase 8% no piso salarial dos professores

Leia mais notícias de Educação

Na avaliação de Mercadante, é importante que a questão seja resolvida ainda este ano. 

De acordo com o ministro, entidades como a CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação) e a Undime (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação) reconhecem que a lei que trata do piso precisa de ajustes e apresentaram propostas de alteração que estão em discussão no Congresso Nacional. 

— Reconhecemos que tem problemas da forma como a lei foi aprovada e há o compromisso da CNTE e Undime para se chegar a um entendimento que ajuste a legislação para valorizar o professor de forma compatível com a receita dos municípios e Estados. 

O ministro disse que a posição do Ministério da Educação é que o piso nacional do magistério precisa continuar crescendo de forma sustentável e progressiva, para atrair bons profissionais. Ele apontou como alternativa de financiamento a destinação dos recursos dos royalties do petróleo para a educação.

— Se tivermos recursos dos royalties, vamos resolver o problema de financiamento, inclusive salarial dos professores. 

No início deste mês, o MEC anunciou que será de 7,97% o reajuste do piso salarial nacional do magistério da educação básica para 2013. Com o aumento, o piso passa de R$ 1.451 para R$ 1.567 e já será pago por Estados e municípios em fevereiro. 

 

 

  • R7 Banda Larga é grátis. Experimente
  • Imprima suas fotos com o R7 Fotos
  • Crie seu e-mail @R7! É grátis
  •  

     

     
    Veja Relacionados:  mercadante,educação,professores,governantes
    mercadante  educação  professores  governantes 
     
    Espalhe por aí:
    • RSS
    • Flickr
    • Delicious
    • Twitter
    • Digg
    • Netvibes
    • Facebook
    • Google
     
     
     
     

    Fechar
    Comunicar Erro

    Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

    Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
    Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!

     

     


    Shopping