R7 - Notícias

Buscar no site
Eu quero um e-mail @R7
Esqueci minha senha

27 de Maio de 2016

Você está aqui: Página Inicial/Notícias/Educação/Notícias

Icone de Educação Educação

publicado em 25/04/2012 às 05h30:

Pioneira em sistema de cotas, UnB tem mais de 11% de alunos negros

Desde 2004, a instituição oferece 20% das vagas para cotistas

Bianca Bibiano, do R7

Publicidade

No dia em que o STF (Supremo Tribunal Federal) julga a constitucionalidade das cotas raciais para o ingresso em universidades públicas, a UnB (Universidade de Brasília) comemora oito anos do programa que direciona 20% das vagas do vestibular para estudantes negros.

A instituição foi uma das pioneiras no País a defender a reserva de vagas para afrodescendentes, ficando atrás apenas da UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro), que instituiu o sistema após uma determinação do governo do Rio para garantir cotas em todas as instituições do Estado.

Iniciado em 2004, o programa registra atualmente 3.437 estudantes cotistas. O número representa 11,2% do total de 31 mil alunos matriculados na UnB. 

Leia mais notícias do R7

Você é a favor das cotas raciais em universidades? Vote

Para Nelson Inocêncio, coordenador do núcleo de estudos afro-brasileiros da UnB, o momento é propício para a comemoração e também para o debate.

— Antes das cotas, a paisagem do campus era digna de uma instituição europeia. Não se viam negros nas salas de aula. É impossível manter uma estrutura segmentada como essa em um País que tem 50,7% de população negra.

De acordo com Inocêncio, a validade das cotas ainda é colocada em xeque.

— Percebemos que muitos jovens conservadores são contra o sistema. Agora, o debate sobre isso é absolutamente normal.

O especialista se diz otimista com relação à votação no STF da ação movida pelo partido Democratas contra as cotas raciais da UnB. 

— Em alguns momentos, precisamos da força da lei para garantir que os direitos sejam respeitados. Foi assim com relação à violência entre as mulheres e, infelizmente, precisará ser desse modo com relação às cotas. Afinal, a abolição da escravatura tem mais de 120 anos e, até agora, não conseguimos igualar os direitos entre negros e brancos.

Em março, a universidade esteve envolvida em um caso de racismo. Um ex-aluno da instituição foi preso por envolvimento em supostas ameaças feitas nas redes sociais, incitando a violência contra negros, homossexuais, mulheres, judeus e nordestinos.

Veja Relacionados:  cotas,stf,debate,unb,negros,universidade,
cotas  stf  debate  unb  negros  universidade 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!

 

 


Shopping