R7 - Notícias

Buscar no site
Eu quero um e-mail @R7
Esqueci minha senha

23 de Outubro de 2014

Você está aqui: Página Inicial/Notícias/Educação/Notícias

Icone de Educação Educação

publicado em 27/09/2011 às 08h10: atualizado em: 27/09/2011 às 09h12

Regras da nova reforma ortográfica

O R7 preparou uma tabela com as normas, disponível para download abaixo

Do R7

Publicidade

Apesar de não ser mais novidade, a reforma ortográfica da língua portuguesa ainda engana estudantes em vestibulares e provas. O acordo que mudou regras do idioma foi assinado em 2009. Desde então, é comum que as mudanças causem confusão entre os brasileiros.

Veja as regras do Acordo Ortográfico

O uso do trema, por exemplo, foi banido - palavras como "consequência", "linguiça" e "pinguim" não usam mais o sinal gráfico.

O uso dos acentos também mudou. Palavras paroxítonas que antes eram acentuadas, como "paranoia", "jiboia", não levam mais o acento. A regra vale para ditongos abertos terminados em "éi" e "ói".

Outra novidade é o fim do uso do acento diferencial em palavras como "pára" (com o significado de parar) e "para" (preposição"). Há dois anos, a frase "protesto para a avenida Paulista" não permite mais acento diferencial, por exemplo.

Pensando nisso, o R7 preparou uma tabela com as regras da reforma ortográfica, que pode ser obtida neste link.

Veja a tabela abaixo:

A nova reforma ortográfica
Mudança Nova regra Regra antiga Exemplos / como fica
Alfabeto O alfabeto agora é formado
oficialmente por 26 letras,
incluindo "k", "w" e "y"
As letras "k", "w" e "y"
não estavam em
nosso alfabeto
Kiwi, yanomâmi, byron, watt
Trema O trema foi extinto na
língua portuguesa. Ele
permanece só em casos de
nomes próprios estrangeiros
e seus derivados
Pela regra antiga, escrevia-se cinqüenta, lingüiça, pingüim Aguentar, frequência, linguiça, tranquilo, delinquir, eloquente, consequência. Exceções: müller
Acento agudo 1 Palavras com com ditongos
abertos "éi" e "ói" não são
mais acentuadas, se a
penúltima sílaba for a mais
forte (paroxítonas)
Palavras como alcalóide,
bóia e Coréia
recebiam acento
Europeia, Pompeia, paranoia. Continuam com acento: herói, lençóis, chapéu, pastéis, ilhéu, céu (pois são oxítonas)
Acento agudo 2 Ainda em palavras
paroxítonas, não se acentua
mais os "i" e o "u"tônicos,
se eles vierem depois
de um ditongo
Palavras como boiúna, feiúra e bocaiúva recebiam acento Bocaiuva, feiura, boiuna
Acento agudo 3 O acento caiu do "u" tônico
em expressões como "tu
redarguis", "eles arguem" e
outras do presente dos
verbos arguir e redarguir
Expressões como "tu redargúis" e "ele argúi" recebiam acento Tu arguis, ele argui, vós arguistes
Acento agudo 4 Não se usa mais acento em
verbos terminados em "guar",
"quar" e "quir", quando
forem flexionados e
tiverem "u" tônico
Usava-se acento em "eu enxagúo", "tu enxagúas", "ele apazigúe",
"ele obliqúe"
Eu enxaguo, eu averiguo, tu obliques, que ele averigue
Acento circunflexo 1 Caiu o acento nas palavras
terminadas em "ôo(s)" e "êem"
- essas últimas conjunções da
terceira pessoa (eles/elas) do
plural do presente do
indicativo ou do subjuntivo
Palavras como vôo, enjôo, dêem, crêem e lêem recebiam circunflexo Enjoo, voo, perdoo, abençoo, creem, deem, leem, releem, reveem
Acento diferencial Era usado para identificar
palavras que têm a mesma
pronúncia (homófonas, como
"pára" e "para")
Expressões como "eu jogo pólo" eram acentuadas "Eu jogo polo", "meu cão tem pelos cinza", "comi a minha pera", "protesto para a avenida". Exceções: pôr e pôde
Hífen 1 Não se usa mais em prefixo
terminando com vogal e com
o sufixo começando com "s"
ou "r". Nessa situação, a
consoante é duplicada
Palavras como
anti-religioso, anti-semita, contra-regra
recebiam hífen
Contrassenha, antirracista, antissemita. Exceções: super-resistente, hiper-requintado (quando o prefixo e o sufixo terminam em "r"
Hífen 2 Não se usa mais hífen
em prefixo e sufixo
terminando e começando
com vogais diferentes
Palavras como auto-estrada, extra-escolar, infra-estrutura
recebiam hífen
Autoestrada, autoensino, infraestrutura, extraescolar
Hífen 3 Não se usa em prefixo
terminado por consoante e o
sufixo começando por vogal
Palavras como hiper-ativo, super-econômico, super-amigo recebiam hífen Interescolar, interestadual, superaquecimento, hiperacidez
Hífen 4 Palavras em que houve perda
da noção de composição não
têm mais hífen
Manda-chuva, pára-quedas, pára-lama, pára-choque, pára-brisa Mandachuva, paraquedas, paraquedista, parachoque, parabrisa
Hífen 5 Locuções de vários tipos
não usam mais hífen
(substantivas, adjetivas,
pronominais, verbais,
adverbiais, prepositivas)
Água-de-colônia,
arco-da-velha,
cor-de-rosa,
pé-de-meia
Cão de guarda, fim de semana, água de colônia, arco da velha, cor de rosa
Hífen 6 O hífen deve ser usado
quando o prefixo e o sufixo
terminam e começam com
a mesma vogal
Microondas, microorganismo eram escritas sem hífen Micro-ondas, micro-organismo
 
Veja o que não muda com a reforma ortográfica
Sinal gráfico Regra Exemplos / como fica
Acento A acentuação dos verbos "ter" e "vir" e seus derivados continua com circunflexo; palavras com mais de uma sílaba também continuam com o acento agudo Elas têm, eles vêm, ele detém, ele intervém
Hífen 1 Permanece o hífen em expressões compostas comuns, sem preposições, quando o primeiro elemento for numeral, verbo, substantivo ou adjetivo Boa-fé, guarda-chuva,
criado-mudo
Hífen 2 Em nomes de países e locais geográficos com "grã" e "grão", como Grã-Bretanha, permanece o hífen; em verbos também no mesmo caso de cidades e países Grã-Bretanha, Grão-Pará
Hífen 3 Hífen continuanas expressões compostas que designam espécies vegetais e animais Não-me-toques, joão-de-barro, feijão-verde, coco-da-baía,
erva-doce
Hífen 4 Ao usar o prefixo "mal", mantém-se o hífen antes de vogais, e também em expressões com "h" ou "l" Mal-humorada, mal-acabado, mal-afamado, mal-estar
Hífen 5 Nos seguintes prefixos, o hífen continua: "além", "aquém", "recém", "bem" e "sem" Bem-estar, além-mar, aquém-oceano, recém-casado,
recém-nascido
Hífen 6 Expressões com duas palavras, os chamados "encadeamentos vocabulares", levam hífen A ponte Rio-Niterói; a relação patrão-empregado
 
Veja Relacionados:  educação, escola
educação  escola 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!

 

 


Shopping