R7

Buscar no R7

Terça-feira, 18 de outubro de 2011

publicidade

Notícias

Fonte:

publicado em 27/09/2010, às 06h02:

Dilma nega favoritismo e Serra diz que eleitor decide se vai haver segundo turno

Após debate da Record, Marina pede disputa com Dilma e Plínio minimiza ataques

Candidatos pouco antes do início do debate
Alex Silveira/R7

Veja fotos do debateDilma e Serra evitam confronto direto durante debate da TV Record

Do R7

Apesar do favoritismo da candidata petista à Presidência, Dilma Rousseff, o presidenciável tucano, José Serra (PSDB), afirmou neste domingo (26) que o eleitor é quem vai decidir se haverá segundo turno nestas eleições. A declaração, feita ao final do debate da TV Record, encontrou eco na declaração da petista, que rejeitou o rótulo de favorita, enquanto Marina Silva (PV) reivindicou um lugar no segundo turno. Plínio de Arruda Sampaio (PSOL) saiu do debate dizendo que as críticas dirigidas aos adversários são um papel muito importante nesta campanha.

Presidenciáveis discutem propostas a uma semana da eleição

Veja as melhores frases do debate

Serra não quis cravar um lugar no segundo turno nem dizer que Dilma é favorita quando foi questionado sobre a possibilidade de a petista vencer já no dia 3 de outubro.

- Nada é decisivo nesta eleição, e tudo é importante.

Ele disse que a pergunta precisa ser feita “ao eleitor”, que é quem vai decidir se haverá mais um turno.

Já a candidata do PT não pensou duas vezes ao negar vitória no primeiro turno logo que uma repórter de um jornal português perguntou sobre as chances de o presidente Luiz Inácio Lula da Silva fazer sua sucessora já na semana que vem.

- Aqui só se sente presidente depois da apuração dos votos.

Antes de deixar os estúdios, Marina pediu para que os eleitores coloquem duas mulheres no segundo turno.

- Uma Rousseff e uma Silva.

A candidata costurou uma frase sob medida, já que sua campanha diz que ela é a “outra Silva”, em uma referência a Lula.

Um dos últimos a deixar a Record, Plínio foi embora dizendo que não é vilão só porque critica mais veementemente os adversários. Neste domingo, o principal alvo foi Marina, a quem ele chamou de “ecocapitalista”.

- Gentileza a gente troca no camarim. Uma voz contra serve para apertar, mostrar de que lado eles estão. Não é pessoal, é política.

Assista à integra do debate

 

 

x

Envie para um amigo

publicidade

Shopping

Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009-2011 Rádio e Televisão Record S/A